=igualdades

Porto de Santos tem o dobro de apreensão de cocaína do que a Argentina

Luigi Mazza, Marcos Amorozo e Renata Buono
23out2020_18h44

O Porto de Santos é o que mais movimenta cargas no Brasil. Também, é, por tabela, o que movimenta a maior quantidade de drogas traficadas por rotas marítimas. Em 2018, a Polícia Federal apreendeu ali 23,8 toneladas de cocaína – o equivalente ao dobro de toda a cocaína apreendida na Argentina, naquele ano. Nos últimos dez anos, de 2010 a 2019, a PF confiscou um total de 80,7 toneladas de cocaína no porto santista.

A cada 10 toneladas de cocaína apreendidas nos portos brasileiros, 7 são em Santos. Em 2020, mesmo com a pandemia, a PF confiscou ali 14,1 toneladas. A maior parte desse volume tinha como destino a Europa, segundo os dados da Polícia Federal. De toda a cocaína que foi apreendido em portos no Brasil este ano, 80% seria embarcada para países europeus. E 60% iria para apenas dois países: Holanda (35%) e Bélgica (25%).

As apreensões de cocaína no Brasil vêm crescendo à medida que o país ganha espaço de destaque na rota do tráfico internacional de drogas. Nos últimos cinco anos, o volume de cocaína apreendido pela PF triplicou. Hoje, o Brasil é o quarto país do mundo com maior quantidade de cocaína confiscada pela polícia, atrás apenas de Colômbia, Estados Unidos e Equador.

Fonte: Polícia Federal (PF); ONU.

Luigi Mazza (siga @LuigiMazzza no Twitter)

Repórter da piauí

Marcos Amorozo (siga @marcosamrz no Twitter)

Produtor do Foro de Teresina e repórter na piauí, é estudante da Universidade de Brasília (UnB)

Renata Buono (siga @revistapiaui no Twitter)

Renata Buono é designer e diretora do estúdio BuonoDisegno

Leia também

Últimas

O mantra do negacionismo namastê

Praticantes de um estilo de vida supostamente saudável recorrem à desinformação e recusam a vacina

A única semelhança

Cientista de dados negro, preso por engano no Rio depois de reconhecimento por foto, narra os dias no cárcere e a dificuldade para ser solto

Nos erros de reconhecimento facial, um “caso isolado” atrás do outro

Presos por engano, cientista de dados, mototaxista e motorista têm algo mais em comum: são negros

Foro de Teresina #169: O vírus mal-disfarçado do bolsonarismo

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Na crise climática, Congresso tira o corpo fora

Metade dos parlamentares se diz muito preocupada com o meio ambiente no Brasil, mas só 7% acham que seus colegas têm o mesmo interesse; maioria atribui a crise ao governo

Mais textos