=igualdades

Proporcionalmente, PM tem o dobro de praças do que as Forças Armadas

Luigi Mazza, Amanda Gorziza e Renata Buono
10set2021_17h00

Tanto na Polícia Militar quanto nas Forças Armadas há dois tipos de carreiras a serem seguidas: a de praça e a de oficial. Praças são os cargos mais baixos, oficiais são os mais altos (e que geralmente exigem curso superior). Para cada oficial da PM – isto é, um policial em posto de chefia, como tenente ou coronel –, há doze praças – denominação que abarca de soldados a subtenentes. Nas Forças Armadas, a proporção é de um para seis. Isso significa que as PMs brasileiras têm mais pessoas na base de sua pirâmide do que as Forças Armadas, proporcionalmente.

Somadas, as Polícias Militares de todos os estados têm um efetivo superior ao das Forças Armadas. São, ao todo, 406 mil PMs da ativa espalhados pelo país. Segundo a estimativa mais recente do Ministério da Defesa, as Forças Armadas contam com 356 mil militares na ativa (são 215 mil no Exército, 76 mil na Marinha e 65 mil na Aeronáutica).

Confira os dados completos na seção =igualdades desta semana.

Fontes: Anuário Brasileiro de Segurança Pública e Ministério da Defesa.

Luigi Mazza (siga @LuigiMazzza no Twitter)

Repórter da piauí

Amanda Gorziza (siga @amandalcgorziza no Twitter)

Estagiária de jornalismo na piauí

Renata Buono (siga @revistapiaui no Twitter)

Renata Buono é designer e diretora do estúdio BuonoDisegno

Leia também

Últimas

O adeus de Merkel, a anti-Trump

Enquanto nos Estados Unidos e no Brasil debate público virou briga de rua, política alemã mostrou com sua chanceler a assepsia de um seminário de pós-graduação – o que também está longe do ideal

O puro suco de Bolsonaro

Ao comer pizza na rua e mentir na ONU, presidente contamina as redes e desvia a atenção daquilo que abala sua popularidade

O horror está entre nós

Uma face tétrica da atualidade é a perda da esperança de viver bem no Brasil

A morte em segredo

O conhecido médico negacionista Anthony Wong morreu de Covid-19 – mas isso foi escondido por 123 profissionais do hospital da Prevent Senior

Reforma administrativa ameaça democracia

Fim da estabilidade dos servidores, uma das propostas da mudança, fragiliza o Estado e coloca em risco as políticas públicas

Mais textos