maratona piauí cbn de podcast

Quatro em cada dez internautas já ouviram podcast no Brasil

Pesquisa inédita do Ibope foi divulgada neste sábado na Maratona Piauí CBN de Podcast

11maio2019_15h01

No Brasil, dos cerca de 120 milhões de internautas, 40% já ouviram podcast – são 50 milhões de pessoas que já escutaram algum programa de áudio pela internet. Os dados integram pesquisa inédita realizada pelo Ibope e divulgada neste sábado, 11, na Maratona Piauí CBN de Podcast.

O outro lado dessa moeda é que 32% dos internautas, 38,4 milhões de pessoas,  nem sabem o que é um podcast. O Ibope entrevistou duas mil pessoas entre os dias 15 e 18 de janeiro. A margem de erro é de dois pontos percentuais.

Jovens, homens e integrantes  das classes A e B são os principais interessados em podcasts. Entre os homens, 45% já ouviram podcast ao menos uma vez; entre as mulheres, o índice cai para 36%. A familiaridade com esse tipo de mídia cresce em proporção inversa à idade: entre os jovens, 47% já ouviram podcast; entre os mais velhos, apenas 30%. Mulheres e pessoas com mais de 55 anos são os que menos ouvem podcasts.

“O que a pesquisa mostra é o potencial dos podcasts. E, se nos basearmos na tendência de outros países, é um grande potencial”, disse a CEO do Ibope Inteligência, Marcia Cavallari. Nos Estados Unidos, por exemplo, os podcasts são conhecidos por 70% dos internautas – ou seja, sete em cada dez pessoas. Cavallari participou de uma mesa com Greice Matos, analista de inteligência de mercado da rádio CBN. A conversa foi mediada por José Roberto de Toledo, editor do site da piauí.

O levantamento do Ibope também revela a frequência com que os entrevistados ouvem podcasts. No Brasil, um público fiel de 16 milhões de internautas – ou 19% do total – ouve podcasts três vezes ou mais por semana. Ao todo, 21,5 milhões têm o hábito de ouvir podcast ao menos uma vez a cada sete dias. Por outro lado, 43% dos entrevistados não costumam ouvir programas com regularidade.

Os ouvintes mais assíduos de podcasts, segundo a pesquisa, são jovens de 16 a 24 anos: quase metade deles (47%) escuta programas de áudio ao menos uma vez por semana, e 27% ouvem três vezes ou mais. Entre os mais velhos, por outro lado, 50% não costumam ouvir podcasts com frequência.

O Ibope também fez uma pesquisa qualitativa sobre os hábitos e preferências dos ouvintes. Os podcasts são ouvidos, em geral, enquanto o internauta faz outras atividades (da faxina de casa aos deslocamentos urbanos). A preferência dos ouvintes é por episódios curtos e objetivos.

O celular é, de longe, o equipamento mais usado pelos brasileiros para ouvir podcasts: três em cada quatro ouvintes (75%) utilizam o aparelho. Em seguida vêm o computador, com 40% das preferências, e o tablet, restrito a apenas 8% dos internautas.

A plataforma mais usada por quem ouve podcasts é o YouTube, escolhido por 42% dos entrevistados. Logo atrás vem o Spotify, acessado por 32% dos ouvintes. Juntas, as duas plataformas detêm 74% do público de podcasts no Brasil.

Mas a mesa também tratou de quem faz podcast no Brasil. Greice Matos, da CBN, divulgou uma pesquisa sobre o perfil dos produtores dos programas de áudio no país. O levantamento mostra um cenário ainda pouco profissional: 73,5% dos podcasters gravam seus programas em casa, sem qualquer ambiente especial, e 26,7% gravam em casa, mas improvisando um ambiente de estúdio. Apenas 1,5% dos produtores alugam um estúdio profissional para gravar. A pesquisa está disponível para download no site da Associação Brasileira de Podcasters (ABPod).

O estudo apresentado por Greice mostra também que a produção de podcasts ainda é muito restrita aos homens, que são 87,1% dos podcasters no Brasil. Mas, segundo a analista da CBN, esse é um cenário em transformação. “Já temos um número muito maior de mulheres participando do meio de podcasts hoje. Acredito que isso vá crescer ao longo do tempo.”

Leia também

Últimas

A noite mais fria, na capital mais fria

As histórias de quem vive nas ruas geladas de Curitiba  - e por que muitos ainda recusam acolhimento nos abrigos públicos

O limbo brasileiro em Cannes

No maior festival de cinema do mundo, protestos contra Bolsonaro e apreensão com o futuro dos filmes no país

Após o fogo, o remendo

Um dia depois do incêndio em galpão da Cinemateca Brasileira, governo publica chamada aguardada há quase um ano para tentar resolver crise da instituição; proposta inclui até cobrança de taxa para quem quiser guardar filmes no acervo

Foro de Teresina #161: Bolsonaro, o Arenão e suas obras

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Cinemateca Brasileira em chamas

Filmes e documentos foram relegados a abandono criminoso; incêndio de hoje se tornou tragédia anunciada

A farra das emendas pix no Congresso

Deputados e senadores já liberaram mais de 1 bilhão de reais em dinheiro público transferido diretamente para o caixa de estados e municípios, sem finalidade definida nem transparência

Mais textos