festival

A relevância do trabalho de Jane Mayer para a imprensa americana

Chefe da sucursal da revista The New Yorker em Washington, ela foi pioneira na cobertura da Casa Branca

26ago2019_18h22

Num perfil publicado este ano na revista Elle, Jane Mayer é citada, logo de cara, como uma das jornalistas investigativas de maior relevância dos Estados Unidos.

Desde 1995 na New Yorker , Mayer hoje chefia a sucursal  da revista em Washington, cobrindo política, cultura e segurança nacional. É autora dos livros Dark Money, sobre os bilionários que estão por trás da ascensão da extrema-direita norte-americana, e Dark Side, baseado em artigos seus publicados na New Yorker sobre o impacto da chamada “guerra contra o terror” adotada pelos Estados Unidos depois do 11 de Setembro.

Quando se fala de Jane Mayer o mais comum é encontrar reportagens sobre esses temas assinadas pela jornalista, entretanto, ela também esteve à frente de uma cobertura de repercussão mundial da qual não é comum estar associada: as investigações e reportagens sobre assédio na indústria cinematográfica que resultaram no maremoto do #MeToo. O mais recorrente é que o o jornalista Ronan Farrow seja considerado o protagonista desse marco da imprensa americana – o que não está errado – mas o trabalho jornalístico de Mayer também foi fundamental para esta cobertura.

E se hoje Jane Mayer faz história em uma das revistas semanais mais tradicionais dos Estados Unidos, pelo Wall Street Journal , onde atuou nas coberturas da Guerra do Golfo e da queda do Muro de Berlim, ela foi a primeira correspondente feminina a cobrir a Casa Branca, isso em 1984.



Mayer também pode ser encontrada nos corredores de Universidade Princeton, onde é professora no curso de jornalismo, e em outubro estará em São Paulo, para a sexta edição do Festival Piauí de Jornalismo. A norte-americana conversará com Malu Gaspar, repórter da piauí, e com o jornalista André Petry.

Leia Também

Relacionadas Últimas

Hanna Rosin fala sobre o uso das redes sociais no movimento feminista

Na conversa com a jornalista Branca Vianna lembra da importância da internet para o movimento MeToo

A América de Jack Bauer bate sem dó nem piedade

No seriado 24 Horas a tortura dá mais resultado do que no Iraque

Acompanhe a transmissão ao vivo da segunda Maratona Piauí CBN de Podcast

Encontro está sendo transmitido em áudio e em vídeo nos sites e redes sociais da piauí e da CBN

A história e os bastidores do Foro de Teresina

Apresentadores relembram início do programa, que completa um ano esta semana

Conteúdo patrocinado e anunciantes estão entre os principais modelos de financiamento

Diretor da CBN diz que programas em áudio são caminho para formar novos ouvintes

Interação com o público ajuda a ganhar e manter audiência

Fidelidade de ouvintes pode se transformar em financiamento coletivo e ajudar a manter podcasts

Os desafios e a rotina de contar histórias em podcast

Roteiro capaz de amarrar narrativas é segredo para um bom programa; dificuldade de financiamento é cotidiana

Mais textos
1

O Brasil e a recessão democrática

Como o cenário político global ajuda a entender a nossa crise – e vice-versa

2

Uma família de poder

A imagem reproduzida nesta página não é uma foto de família, apesar de representar quatro gerações de uma mesma família. Não foi feita para ser vista apenas por seus membros mas por um público amplo e não serviu para lembrar uma reunião de parentes, mas para passar uma clara mensagem política: a perenidade da dinastia reinante sobre a Inglaterra, então a nação mais poderosa do mundo. Tirada em 1899, às vésperas do novo século que prenunciava uma nova era, mostra a Rainha Vitória, então muito mais soberana do mundo que simplesmente rainha da Inglaterra, cujo reinado completara 62 anos, cercada por seu filho e herdeiro, o futuro Edward VII, seu neto, o futuro George V e seu bisneto, o futuro Edward VIII, cujo reinado, por oposição à sua bisavó, bateria o recorde de brevidade (apenas dez meses em 1936).

3

Após esfaquear Bolsonaro, agressor disse cumprir “ordem de Deus”

Policiais Federais que prenderam Adelio Bispo de Oliveira em Juiz de Fora imediatamente após o atentado afirmaram duvidar de sua “integridade psicológica”

4

Sobrou para o PSTU

Agremiação trotskista com apenas dois vereadores não escapou da fúria contra os partidos, mas já faz planos para o pós-revolução

5

A planta inteligente

Cientistas debatem um novo modo de entender a flora

6

A semana no site da piauí

O "início do namoro" entre Mão Santa e Bolsonaro, as investidas do procurador Carlos Fernando contra os críticos da Lava Jato e outras histórias

7

How do you do, Dutra?

É mais arriscado [e divertido] ir de São Paulo ao Rio de carro do que remar da África a Salvador

8

Romário convoca CPI para investigar a cor do cabelo de Marin

BARRACA DO PEPÊ - Decidido a colocar em pratos limpos tudo que acontece na CBF, o deputado federal Romário recolheu assinaturas para uma CPI que investigará a cor do cabelo do presidente da entidade. "Se o Marin está diante de um fundo azul, o cabelo fica acaju. Se o fundo é branco, fica tudo meio esverdeado", desconfiou o craque, enquanto fazia aquecimento para uma partida de futevôlei com Aécio Neves.

9

Hidroginástica ou morte

Desespero e amolação em sorteio de vagas no Sesc