rádio piauí

Retrato Narrado #2: Indisciplina militar

Palmito vira Cavalão: a transformação do jovem Jair em capitão do Exército 

07out2020_00h37

    No segundo episódio da série Retrato Narrado, a jornalista Carol Pires destrincha a vida militar de Jair Bolsonaro. Conta como ele passou do apelido de “palmito”, devido às canelas finas e brancas, para o de “cavalão”, mas que isso não foi suficiente para garantir uma trajetória brilhante nas Forças Armadas. Por conta do desempenho abaixo da média na sala de aula, Bolsonaro cogitou deixar o Exército. Foi  impedido pelo pai, Percy Geraldo Bolsonaro, com o aviso de vou te quebrar todinho”, caso acontecesse.   

Nessa investigação, Carol Pires passa pela Academia Militar das Agulhas Negras, em Resende, no Sul do estado do Rio, onde Bolsonaro se formou cadete. Ela ressalta como foi fundamental para a sua formação o fato de ter tido como instrutores militares que perseguiram integrantes da Guerrilha do Araguaia. Com eles, o futuro presidente aprendeu a identificar seus “inimigos”. 

Dessa fase da trajetória de Bolsonaro na Academia Militar, Carol Pires também dá destaque ao ingresso na equipe dos paraquedistas. Segundo Maurício Santoro, doutor em ciência política que montou o curso de relações internacionais do Exército, ser um “PQD” teria moldado a personalidade do atual presidente. “Existe uma ideia de que eles [os paraquedistas] são a elite do Exército, de que são uma categoria especial, de que estão prontos pra tudo”, descreve Santoro.  

Esse período da vida de Bolsonaro também explica a nomeação de determinados militares para cargos importantes do Executivo, formando o governo com mais militares em posições de liderança desde o fim da ditadura. Um exemplo é o atual chefe do Gabinete de Segurança Institucional, o general Augusto Heleno, que foi um dos professores de Bolsonaro na Academia.  



Além de estabelecer elos entre o cadete e o presidente, o episódio também acompanha o caminho traçado por Bolsonaro: do jovem que se encanta pelas Forças Armadas durante a caça ao ex-capitão do Exército Carlos Lamarca, um militar insubordinado, até se tornar ele mesmo um militar insubordinado. 

E, ao lidar com as consequências dessa insubordinação, Bolsonaro usa uma estratégia que se tornaria recorrente em sua vida política: desacreditar e desqualificar o trabalho de jornalistas, especialmente mulheres.

Ouça aqui: 

Retrato Narrado é uma série original do Spotify e da revista piauí, produzida pela Rádio Novelo.
Reportagem, roteiro e apresentação: Carol Pires
Direção: Paula Scarpin e Flora Thomson-DeVeaux
Montagem: Jordana Berg com assistência de Victoria Zanardi
Música original: Pedro Leal David
Produção: Aline Scudeller e Claudia Nogarotto 
Captação de som direto: Pedro Faria  
Mixagem: João Jabace
Checagem: Érico Melo e Marcella Ramos
Promoção e conteúdo extra: Mari Faria 

Leia também

Últimas Mais Lidas

Podcast Praia dos Ossos chega ao último episódio

Ouça já o capítulo final da série produzida pela Rádio Novelo

Quando gente vira cobaia

Fernando Reinach explica quais são e como funcionam os controles que existem para cientistas não ultrapassarem limites éticos em suas pesquisas

Vacinas na mira dos boatos

De carona na recusa do governo federal à vacina chinesa, conteúdos falsos e enganosos sobre imunização se intensificam nas redes sociais

Faltou combinar com a Bahia

Defensor do apoio a Ciro Gomes em 2018, senador Jaques Wagner minimiza encontro do pedetista com Lula e diz que presidenciável cearense se aproxima da direita

As incríveis aventuras do ministro-astronauta

Pontes nomeou para cargo de confiança sócia com quem mantém rede de empresas para venda de bonecos, livros, palestras motivacionais e viagens ao espaço

A esquerda que se arma contra Trump

Cultura armamentista típica dos conservadores americanos ganha cada vez mais adeptos entre minorias e grupos de tradição democrática

Foro de Teresina #124: O bolsonarismo frita seus generais

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Mais textos
4

Dado Dolabella exige que seus namoros sejam cobertos pelo SUS

RIO DE JANEIRO – O ator, cantor e enfant terrible Dado Dolabella declarou ontem que tem mais de dez anos de bons serviços prestados à saúde pública brasileira "sem jamais ter recebido um tostão por isso”. Dolabella se referia à afirmação do ministro da Saúde, José Gomes Temporão, segundo a qual o sexo é um dos meios mais eficientes para combater a hipertensão, um mal que aflige uma fatia crescente da população brasileira.

5

Os melhores momentos do futebol-arte

O que Van Gogh, Manet e Edvard Munch têm a dizer sobre o nobre esporte

7

Mikhail Zygar e a Rússia de Vladimir Putin

Mikhail Zygar conversou com João Moreira Salles, editor da piauí, e Raul Juste Lores, da Folha de S.Paulo. Zygar passou os últimos dezesseis anos – desde que Vladimir Putin assumiu o poder na Rússia – entrevistando pessoas ligadas direta e indiretamente ao presidente e ao Kremlin.

9

Margalit Fox e os perfis póstumos de heróis e heroínas anônimos

Assista a um trecho da participação de Margalit Fox no primeiro dia de evento

10

O bispo e os bicheiros

Os contraventores do Carnaval carioca ajudaram a eleger o prefeito Marcelo Crivella. Estão arrependidos