quadrinho

Compreendendo a poesia

Dicas para se aproximar do inefável

Alguns dos meus melhores amigos são discos

Eles me acompanham aonde quer que eu vá

Notas de um fundamentalista da liberdade de expressão

Uma reflexão sobre o massacre no Charlie Hebdo

Back to work

Na volta das férias, uma pilha de e-mails para responder

Meu aborto em quadrinhos

Éramos cinco na fila, e a polícia apareceu na clínica

Lose your selfie

Como cair no ridículo na barafunda dos autorretratos

Detox

Vou me isolar no deserto para purgar o vício na Copa

Quadrinhos filosóficos

Freud, Nietzsche e Marx jogam Banco Imobiliário

Peixes de aquário

Minha infância numa casa da Vila Madalena, nos anos 80, cercado por vizinhos malufistas

Mais textos