Igualdades

Tem um buraco no meio do caminho

Luigi Mazza, Amanda Rossi e Renata Buono
22out2019_11h15

O Brasil depende muito das rodovias – principal sistema de transporte do país –, mas nem por isso elas são bem cuidadas. A cada 100 quilômetros de pista no país, apenas 14 são pavimentados. E mesmo onde há pavimentação, os problemas são recorrentes, como demonstra a Pesquisa da Confederação Nacional do Transporte (CNT) sobre a qualidade das estradas brasileiras em 2019. Do total de 213 mil quilômetros de rodovias pavimentadas no Brasil, o estudo avaliou a situação de 108 mil quilômetros. Os resultados mostram que, na comparação com o ano passado, o número de pontos críticos nas rodovias – buracos, pontes caídas, erosões na pista e quedas de barreiras – disparou de 454 para 797. O =igualdades desta semana mostra a situação das estradas do país.

A cada 100 quilômetros de rodovia pavimentada no Brasil, 59 têm problemas no seu estado de conservação (ou seja, foram avaliados como regulares, ruins ou péssimos), e 41 estão em bom estado (avaliados como bons ou ótimos).

As rodovias brasileiras têm, pelo menos, 797 pontos considerados críticos. A cada mil quilômetros avaliados, há 7 trechos em condições muito ruins, com buracos, erosões ou barreiras caídas. É uma alta de 73% em relação ao ano passado, quando foram encontrados 4 pontos críticos por mil quilômetros avaliados.

Entre os 797 pontos críticos, 639 são trechos com buracos de larga escala (maiores que um pneu), 130 são erosões na pista, 26 são quedas de barreira e 2 são pontes caídas.

O problema que mais aumentou foram os buracos de larga escala. Para cada um desses buracos encontrados nas estradas em 2018, passou a haver dois em 2019.

O Nordeste tem a malha viária mais comprometida por pontos críticos dentre todas as regiões do país. A cada problema grave nas estradas do Sudeste, há dez nas estradas nordestinas. As duas regiões tiveram praticamente a mesma quilometragem de estradas avaliadas.

Considerando o estado geral das rodovias – não só os pontos críticos, mas também sinalização, pavimentação e geometria das vias – a pior situação é no Norte, onde 77% da malha tem algum tipo de problema. No Sudeste, região com a melhor situação, o percentual é de 47,5%.

No Amazonas, todas as rodovias avaliadas têm algum tipo de problema. A situação é tão grave que 16% da pavimentação amazonense está completamente destruída – é como se 16 entre 100 quilômetros não existissem mais. A média do Brasil é de 0,9% – menos de 1 a cada 100 quilômetros.

Apesar da má condição das estradas, o número de acidentes em rodovias vem caindo no Brasil nos últimos seis anos. Para cada 10 acidentes em 2013, ocorreram apenas 4 em 2018.

Fonte: Pesquisas CNT de Rodovias 2019 e 2018; Painel de Acidentes Rodoviários da CNT.

Luigi Mazza (siga @LuigiMazzza no Twitter)

Repórter da piauí, produtor da rádio piauí e diretor do podcast Foro de Teresina

Amanda Rossi (siga @amanda_rossi no Twitter)

Jornalista, trabalhou na BBC, TV Globo e Estadão, e é autora do livro Moçambique, o Brasil é aqui

Renata Buono (siga @revistapiaui no Twitter)

Renata Buono é designer e diretora do estúdio BuonoDisegno

leia mais

Últimas Mais Lidas

Médico no Rio se arrisca mais e ganha menos

Governo Witzel corta adicionais de insalubridade de profissionais que atuam contra a Covid-19 em hospital da Uerj

Maria vai com as outras #8: Ela voltou

Monique Lopes, atriz pornô e acompanhante, fala novamente com Branca Vianna, agora sobre seu trabalho durante a pandemia do novo coronavírus

Autor de estudo pró-cloroquina admite erros em pesquisa

Enquanto isso, maior investigação já realizada sobre a droga reitera que não há benefício comprovado contra Covid-19 e alerta para riscos

Mortos que o vírus não explica

Belém tem quase 700 mortes a mais do que o esperado apenas em abril; oficialmente, Covid-19 só matou 117

Foro de Teresina #101: Bolsonaro sob pressão

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Lockdown à brasileira

Como estados e municípios usam estratégias de confinamento com prazos e métodos distintos contra a Covid-19

Amazônia perto do calor máximo

Pesquisa inédita revela que, acima de 32 graus Celsius, florestas tropicais tendem a emitir mais carbono na atmosfera do que absorver

Nem limão, nem feijões: sem milagres contra a Covid-19

Ministério Público e polícia investigam “receitas infalíveis” contra o vírus

Valores permanentes, circunstâncias efêmeras

Cinema, apesar de tudo, mas em que condições?

Mais textos
1

Dentro do pesadelo

O governo Bolsonaro e a calamidade brasileira

2

Tem cloroquina?

Um balconista de farmácia conta seu dia a dia durante a pandemia

3

Mortos que o vírus não explica

Belém tem quase 700 mortes a mais do que o esperado apenas em abril; oficialmente, Covid-19 só matou 117

4

Nem limão, nem feijões: sem milagres contra a Covid-19

Ministério Público e polícia investigam “receitas infalíveis” contra o vírus

5

Autor de estudo pró-cloroquina admite erros em pesquisa

Enquanto isso, maior investigação já realizada sobre a droga reitera que não há benefício comprovado contra Covid-19 e alerta para riscos

6

Amazônia perto do calor máximo

Pesquisa inédita revela que, acima de 32 graus Celsius, florestas tropicais tendem a emitir mais carbono na atmosfera do que absorver

8

Uma biografia improvável

O que são vírus – esses parasitas que nos deram nada menos que 8% do nosso DNA

9

O que move a CNN Brasil

Com dois sócios que sempre estiveram ao lado do poder, a nova emissora tenta mostrar que pode ser independente

10

Quarentena evita um bilhão de toneladas de carbono na atmosfera

Emissão de poluentes caiu 17% no mundo; no Brasil, queda chegou a 25% em 20 de março, mas regrediu a 8% no fim de abril