=igualdades

Um paulista produz quase o dobro de lixo que um catarinense

Amanda Gorziza, Lianne Ceará e Renata Buono
25fev2021_09h00

Santa Catarina foi o estado que gerou menos lixo em 2019, proporcionalmente à população, mostram dados da Abrelpe (Associação Brasileira das Empresas de Limpeza Pública). Em média, cada catarinense produziu 257 kg de lixo, e o estado de 7,2 milhões de habitantes, acumulou 1,8 milhões de toneladas de resíduos sólidos. São Paulo é o primeiro do ranking:  produziu em 2019 23 milhões de toneladas de resíduos. Cada um dos 46,3 milhões de habitantes produziu cerca de 498 kg de lixo, quase o dobro que um catarinense produz. 

O Rio de Janeiro, terceiro estado mais populoso do país, com 17,3 milhões de habitantes, é o segundo na produção de lixo per capita: 8,2 milhões de toneladas no total, 473 kg por pessoa. Minas Gerais, com 21,3 milhões de habitantes, está na 13ª posição no ranking de geração de resíduos. Foram 326 kg de lixo por habitante, ou seja, quase 7 milhões de toneladas no total.

No Ceará, os números são ainda mais alarmantes: apesar de possuir 9,2 milhões de habitantes e ser o oitavo estado mais populoso do país, em números proporcionais, é o terceiro estado que mais produziu lixo no ano de 2019: 385 kg para cada cearense.

Fonte: Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil 2020 da Abrelpe



Amanda Gorziza (siga @amandalcgorziza no Twitter)

Estagiária de jornalismo na piauí

Lianne Ceará (siga @lianneceara no Twitter)

Estagiária de jornalismo na piauí

Renata Buono (siga @revistapiaui no Twitter)

Renata Buono é designer e diretora do estúdio BuonoDisegno

Leia também

Últimas

Bolsonaros cumprem quarentena

Enquanto o presidente sabota medidas para frear o coronavírus no país, seus parentes se beneficiam do lockdown em Eldorado, no interior paulista

Isolamento militar

Exército contrariou negacionismo de Bolsonaro, exigiu máscara, impôs distanciamento contra a Covid - e isso custou cargo a general

Foro de Teresina #145: Com fome, com sufoco, com tudo

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Combate à corrupção exige democracia

Após extinção da Lava Jato, procuradores da força-tarefa no Rio fazem balanço, apontam erros e dizem que trabalho não acabou 

“Temos de cobrar dos governos vacina e informação”

Pesquisador da Universidade de Vermont faz sucesso ensinando como usar máscaras PFF2

Lei fura fila da vacina

Projeto que estimula vacinação privada divide o país entre quem tem direito e quem tem “mais direito”

Mais textos