Após condenação de Lula, confiança de Aécio na Justiça se multiplica por 9,6

12jul2017_18h36

 

TERRA DO NUNCA – Aécio Neves afirmou nesta quarta-feira – por meio de nota assinada por sua irmã Andrea Neves – que recebeu com “êxtase absoluto, irrestrito e transcendental” a notícia da condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a nove anos e seis meses de prisão. “Eu estava descrente de que nossas cortes pudessem julgar com serenidade. Agora, diante da condenação de Lula, fico feliz em declarar que confio 9,6 vezes mais na Justiça brasileira”, disse.

No mesmo documento, o senador explicou que havia perdido a crença na Justiça brasileira “também devido aos reveses que se lhe impuseram”, mas que seu “entusiasmo cívico” foi restaurado por causa dos reveses que se lhe desimpuseram.

O senador mineiro disse ter enfrentado, há pouco mais de um mês, um dos “piores momentos da [sua] vida”, por conta de seu afastamento do Senado e da prisão de sua irmã-tutora. O calvário não durou tanto. No dia 30 de junho, o ministro do STF Marco Aurélio Mello determinou o retorno do mineiro à Brasília.

Comemorando a decisão, Aécio comentou a amigos próximos, muito emocionado, que “o guerreiro tem armas para transpor obstáculos. Caso sejam intransponíveis, os amigos do vovô podem ajudar”.

O irmão de Andrea Neves salientou ainda que confia muito no ministro do STF Gilmar Mendes – a quem o sistema de sorteio da corte costuma distribuir inquéritos contra Aécio. E encerrou, em nota: “É só o começo. Espero fechar o ano confiando 45 vezes mais na Justiça.”