diz aí, mestre

vultos da Copa

Da várzea à taça

Em série de vídeos da piauí, grandes jogadores recuperam histórias de seus mundiais e iluminam a maior paixão coletiva do Brasil

amor e ódio

Do inferno ao céu, de chuteiras

Os campeões mundiais Nilton Santos e Tostão e o técnico do time de 82 e 86, Telê Santana, investigam a relação do torcedor brasileiro com a sua seleção

os craques

O craque segundo Tostão

Uma das estrelas da Copa, o português Cristiano Ronaldo é um gênio ou um bom jogador? Tostão, titular da seleção do tri em 70, explica a diferença

Didi ensina a arte do meia-armador, aquele que Tite não tem

A definição de um meia-armador clássico pelo gênio do Botafogo e da seleção bicampeã mundial em 58 e 62

Garrincha treinava, mas não ouvia o professor

Nilton Santos, Zezé e Aymoré Moreira recuperam as histórias do mais habilidoso – e o que menos se levava a sério – ponta-direita que o Brasil já viu

Dario, o órfão, ex-ladrão e ex-grosso que virou Dadá

O campeão mundial em 70 relembra o seu começo no futebol, do primeiro chute aos 19 anos ao técnico que percebeu nele, apesar dos tropeções, um goleador

vultos da Copa

Fora de campo, o protagonista

Dois dos maiores técnicos do Brasil, Flávio Costa, da seleção de 50, e Telê Santana, de 82 e 86, explicam o papel do “professor” dentro e fora de um Mundial

os erros

45 anos de pena por um palpite errado

Titular da seleção de 50, Barbosa lembra o quanto custa o erro de um goleiro numa Copa do Mundo; De Gea é candidato a descobrir

momentos históricos

O jogo da virada

Didi, Joel e Bellini reconstituem a arrancada para o primeiro título mundial do Brasil

Outro 1 a 2 em Copa, 68 anos atrás

Zizinho, Barbosa, Nilton Santos e o técnico Flávio Costa reconstituem as horas seguintes ao Maracanaço, a tragédia do Mundial de 1950

a tensão

Bellini ensina a disfarçar o nervosismo em jogo de Copa

Zizinho, Nilton Santos, Telê Santana e o capitão de 58 medem a tonelagem da pressão sobre o jogador do Brasil em um Mundial

Jogador malandro e sem cabeleireiro

Zizinho, eleito o melhor do Mundial de 50, e Dadá Maravilha, da seleção de 70, relembram as manhas para infernizar a vida dos zagueiros numa Copa, sem precisar de laquê

a tristeza

Quando a Copa termina antes da hora

Nilton Santos e Zezé Moreira lembram a pancadaria na eliminação do Brasil em 54 e a desolação de deixar um Mundial no meio do caminho

Uma finta na idade

Zizinho e Ademir da Guia falam da dor de deixar os gramados e das artimanhas do craque para adiar o fim da carreira

Últimas Mais Lidas

Praia dos Ossos: terceiro episódio já está disponível

Podcast original da Rádio Novelo é publicado aos sábados

Boi com endereço

Se atender à pressão dos exportadores sem criar regulação interna, mercado ameaça criar  dois tipos...

A amiga oculta da J&F

Empresa dos irmãos Batista não apresenta no acordo de leniência a Unifleisch S/A, representante da...

Matemática da inclusão

Prêmios recebidos pelas duas únicas pesquisadoras do Impa destacam a importância da igualdade de gênero...

E se estivermos variolizados?

O uso disseminado de máscaras pode expor a população a quantidades minúsculas de Sars-CoV-2 e...

Do Islã ao PCC

Como um jovem condenado por terrorismo depois de trocar mensagens na internet sobre atentados foi...

No rastro das onças-pintadas

Expedição pelo Pantanal acompanha animais como forma de medir preservação do ambiente enquanto se prepara...

Mais textos
2

Desenhando esquinas

Andrés Sandoval explica o processo por trás das ilustrações que adornam a piauí desde a primeira edição.

4

90

6

R$ 0,46 no tanque dos outros

Agora, caminhoneiros grevistas usam WhatsApp para defender queda da gasolina, de Temer e da democracia

9

Sardanapalo

Babilônios cabotinos contracenarão com garbosas falanges assírias?

vultos da república

O patriota

A trajetória do Véio da Havan

Roberto Kaz

tempos da peste

Muita coisa!

A pandemia e a saúde mental nas favelas

Armando Antenore

questões democráticas

Derrubem as estátuas

Quem reclama da “cultura do cancelamento” está cego para a cultura do outro

Miguel Lago

carta do líbano

A cidade sem janelas

Em poucos meses, entre Belém e Beirute, vivi uma vida inteira

Wafa’a Celine Halawi

questões visuais

Os olhos eram azuis

Como Marina Amaral passou a colorizar fotos históricas e descobriu o seu autismo

Filipe Vilicic

anais da neurologia

A nostalgia reimaginada

A neurociência está descobrindo o que a propaganda política já sabe há muito tempo

Felipe de Brigard

anais da segurança

Democracia despedaçada

A polícia contra o Estado – e como meu nome foi parar no dossiê do Ministério da Justiça

Luiz Eduardo Soares

tempos da peste

O dia seguinte

Como a pandemia afetou – e afetará – a indústria do petróleo

Consuelo Dieguez

tribuna da história

A ignorância na política

E a política da ignorância

Peter Burke

questões criminais

A construção de um serial killer

Ele está preso e foi acusado de matar 21 pessoas. Sua história é um prodígio de imaginação

Mario Cesar Carvalho
Edição Completa