anais da política

Os intocáveis

Como um grupo de procuradores combateu a corrupção na Itália – e acabou derrotado

Rafael Cariello
Gherardo Colombo, Antonio Di Pietro (ao centro) e Piercamillo Davigo compunham a equipe principal da Operação Mãos Limpas; em 1992, pichações nos muros de Milão saudavam o herói do grupo: “Di Pietro é melhor que Pelé”, dizia uma delas
Gherardo Colombo, Antonio Di Pietro (ao centro) e Piercamillo Davigo compunham a equipe principal da Operação Mãos Limpas; em 1992, pichações nos muros de Milão saudavam o herói do grupo: “Di Pietro é melhor que Pelé”, dizia uma delas FOTO: CORRIERE DELLA SERA_1993_REPRODUÇÃO

A intérprete, que traduzia do italiano para o português e vice-versa, vinha fazendo o seu trabalho havia quase uma hora, sempre de maneira objetiva e impessoal – o tom de voz era neutro, monocórdio, sem ênfases ou inflexões que sugerissem qualquer interpretação sobre o que estava sendo relatado. Mantinha os olhos baixos, sobre um caderninho onde anotava os pontos mais importantes do discurso do ex-magistrado italiano Antonio Di Pietro. De repente, aparentemente motivada por algo que acabara de ouvir, achou por bem fazer uma pausa – muito breve – no fluxo do que estava dizendo e, do outro lado da mesa, levantou os olhos na minha direção. “Acho importante verificar isso”, alertou-me em português, como se questionasse sutilmente aquilo que Di Pietro havia acabado de falar. “Sete milhões de liras são cerca de 3 mil euros”, ela disse.

A quantia lhe parecia irrisória. Era difícil crer – como mais tarde, depois de terminada a entrevista, ela insistiria – que a Operação Mãos Limpas tivesse começado por tão pouco; um suborno quase desprezível na antiga moeda italiana. O que aconteceu depois que aquele punhado de dólares trocou de mãos foi talvez a maior crise política da Itália desde o fim da Segunda Guerra Mundial. A série de investigações deflagrada no início de 1992 por Di Pietro na Procuradoria de Milão, no norte do país, foi responsável por colocar um ponto final, em pouco mais de dois anos, no regime político clientelista e corrupto comandado ao longo de quase cinco décadas pela Democracia Cristã, a mais importante legenda italiana do pós-guerra. Como resultado da ação dos magistrados, em 1994 os principais partidos políticos do país simplesmente haviam deixado de existir.

MATÉRIA FECHADA PARA ASSINANTES
Para acessar, assine a piauí

Rafael Cariello

Repórter da piauí. Foi editorialista da Folha de S.Paulo e correspondente do jornal em Nova York

Leia também

Relacionadas Últimas

Guerra civil em Palermo

Com a máquina fotográfica a tiracolo, me tornei testemunha de todo o mal

O chefão

As relações de Frank Sinatra com o presidente e a máfia

Foro de Teresina #39: A fritura de Bebianno, a matança no Rio e os inimigos na Amazônia

Podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Guerra Fria – tragédia da paixão impossível

Indicado ao Oscar, filme polonês se distingue ao narrar história simples de modo inovador

Quatro tons de amarelo

Coletes-amarelos franceses racham entre ultradireita, defensores de “democracia direta”, candidatos a deputados e um novo partido de oposição

Arqueólogos redescobrem relíquias do Museu Nacional

Quantidade e qualidade das peças resgatadas surpreendem pesquisadores; a piauí foi o primeiro veículo brasileiro a entrar no palácio após o incêndio

Maria vai com as outras #2: Peso

Duas professoras falam sobre como perder ou ganhar muitos quilos afetou suas vidas dentro e fora do trabalho

Abaixo da ilha das Cobras, um tesouro biológico

Cientistas descobrem no litoral paulista o recife de corais mais ao sul do oceano Atlântico

Um engenheiro, um policial e duas tragédias

Delegado que investigou Mariana reencontra em Brumadinho gerente de minas envolvido nos dois desastres

Helio Bolsonaro e os novatos da Câmara

Deputados de primeiro mandato são apresentados ao “vota no meu, que eu voto no seu”

Foro de Teresina #38: Os novos donos do Congresso, as leis de Moro e os escândalos do governo

Podcast da piauí discute os fatos da semana na política nacional

Fevereiros – vislumbre de felicidade

Documentário sobre Maria Bethânia é testemunho do sincretismo religioso afro-brasileiro que está na origem de sua expressão musical

Mais textos
1

Arqueólogos redescobrem relíquias do Museu Nacional

Quantidade e qualidade das peças resgatadas surpreendem pesquisadores; a piauí foi o primeiro veículo brasileiro a entrar no palácio após o incêndio

3

A guerra do PCC

Facção se internacionaliza com tráfico de cocaína, e pela primeira vez Marcola vê seu poder ameaçado

4

Quatro tons de amarelo

Coletes-amarelos franceses racham entre ultradireita, defensores de “democracia direta”, candidatos a deputados e um novo partido de oposição

5

Abaixo da ilha das Cobras, um tesouro biológico

Cientistas descobrem no litoral paulista o recife de corais mais ao sul do oceano Atlântico

6

Onze bilhões de reais e um barril de lágrimas

Luis Stuhlberger, o zero à esquerda que achava que nunca seria alguém, construiu o maior fundo multimercado fora dos Estados Unidos e, no meio da crise, deu mais uma tacada

7

Foro de Teresina #39: A fritura de Bebianno, a matança no Rio e os inimigos na Amazônia

Podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

8

Um engenheiro, um policial e duas tragédias

Delegado que investigou Mariana reencontra em Brumadinho gerente de minas envolvido nos dois desastres

9

O ponto a que chegamos

Da Constituição de 1988 à eleição de Jair Bolsonaro

10

Em nome do nada

O suicídio de jovens no Brasil