questões eleitorais

Ausentes, mas decisivos

Abstenção é recorde e chega a 23% em ano de pandemia; analistas destacam impacto nos resultados e descolamento do eleitor em relação ao sistema de votação

Fernanda da Escóssia e Marcos Amorozo
16nov2020_00h09
Ilustração de Carvall

A pensionista Miriam Aparecida Borges, de 60 anos, percorreu algumas escolas públicas em Copacabana, na zona sul do Rio, em busca do seu local de votação. Ela não conseguiu achar o título e tentou consultar o local certo pelo aplicativo do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), sem sucesso. Por volta das 10h30, estava na porta da escola municipal Dom Aquino Correia, onde funcionam seções eleitorais, tentando descobrir onde iria votar. Entregou a identidade a um dos funcionários da Justiça Eleitoral na esperança de que ele a ajudasse na consulta. Caso contrário, iria desistir – e entrar para a estatística de abstenção recorde na capital fluminense, de 32,79%. Na mesma escola, a professora universitária Fátima Pinel, de 65 anos, não desistiu de votar, mas também se queixou das mudanças no local de sua seção. Ela votava numa agência bancária em Copacabana, mas a seção foi transferida. “Juntaram seções, eu não consegui entrar no site antes e acabei dando uma viagem a mais. Achei desorganizado.” Seções que funcionavam na Aliança Francesa foram transferidas para outra escola municipal em Copacabana, a Alencastro Guimarães. Com isso, formou-se fila na calçada, sem distanciamento social. Dentro do prédio, porém, as seções estavam separadas, com álcool em gel à disposição dos eleitores. 

No país todo, a abstenção chegava a 23,14% com 99,79% de urnas apuradas – a maior já verificada numa eleição brasileira. Um aumento em relação aos percentuais de 17,58% e 16,41% registrados nas últimas eleições municipais, em 2016 e 2012, respectivamente. A soma de abstenções, votos em branco e nulos chegou a 30,6%, a maior desde 1996. O  Rio de Janeiro teve a maior abstenção proporcional, com 28,08% de ausentes. A cidade do Rio, que em 2016 foi a capital com maior ausência de eleitores (24,28%), perdeu este ano para Porto Alegre, que teve 33,08% de não comparecimento. Entre todos os municípios, Oiapoque, no Amapá, apresentou a maior taxa de abstenção: quatro em cada 10 eleitores não foram às urnas. 

“Creio que a abstenção é um fenômeno que antecede a pandemia. Há eleitores que começam de fato a se descolar do sistema eleitoral”, destacou o cientista político Jairo Nicolau, professor da UFRJ. Alguns motivos podem ajudar a entender a abstenção maior deste ano – entre eles, a pandemia de Covid-19, que deixou mais de 160 mil mortos e fez com que muitas pessoas ficassem em casa neste domingo, com medo de contaminação. O TSE permitiu que o eleitor fizesse a justificativa pelo celular, o que, na avaliação de Nicolau, tornou mais simples a vida de quem não queria comparecer. “A gente está criando, na prática, o voto facultativo. Posso morar num bairro distante, não quero pegar ônibus, nem tomar sol, justifico pelo celular. Essa facilitação vai aprofundar o padrão de abstenção e do voto facultativo na prática”, avalia.

Não se sabe até que ponto os cartórios eleitorais atualizaram seus dados para excluir dos cadastros eleitores que morreram este ano. Outra marca da votação deste ano foi a mudança de lugar de várias seções eleitorais, por causa da pandemia, para evitar aglomerações, ou porque escolas entraram em reforma. Seções foram aglutinadas – fazendo com que, como aconteceu em Copacabana, muita gente ficasse em dúvida sobre o local exato para votar. 



 

Cerca de 13 milhões de eleitores baixaram o aplicativo do e-título, criado pelo TSE para facilitar a busca de informações. Mas quem tentou acessar o aplicativo no domingo teve dificuldade, e o sistema do TSE ficou sobrecarregado. O presidente do TSE,  ministro Luís Roberto Barroso, disse que  houve uma tentativa de ataque ao sistema do tribunal, que foi contida a tempo e que não prejudicou a votação. Ele lembrou ainda que três milhões de pessoas deixaram para baixar o app no dia da eleição, o que ajudou a criar uma sobrecarga no sistema.  

“O aplicativo está ali há muito tempo, mas as pessoas deixaram para baixá-lo no último dia e na última hora. Com muitos milhões de acessos simultâneos, ele apresentou algum nível de instabilidade. Mas ele está funcionando adequadamente. Peço desculpas por não termos uma capacidade maior e peço às pessoas que se empenhem. Nós nos defendemos dizendo: ‘olha, nós pedimos para as pessoas irem baixando com antecedência’. Todo mundo baixando no último dia tem esse problema”, disse Barroso. “Esse problema” não foi o único: um problema técnico no TSE atrasou a divulgação dos resultados em três horas.

Para o presidente do instituto Ideia Big Data, Maurício Moura, o não comparecimento às urnas modificou o desenho do pleito. “As abstenções são as protagonistas destas eleições e vêm acontecendo como a gente vê no resto do mundo, principalmente nas faixas etárias acima dos 55 anos. A tendência das abstenções pode ter mexido no peso de cada grupo de eleitores. Isso deu mais peso para os votos dos jovens de até 30 anos e, com isso, as candidaturas de preferência deles, como a Marília Arraes (Recife), Manuela D’Ávila (Porto Alegre) e Guilherme Boulos (São Paulo). Estimo aumento de pelo menos 8 a 10 pontos percentuais”, afirmou Moura. 

Segundo a Justiça Eleitoral, até o início da manhã de domingo, mais de 400 mil pessoas tinham usado o aplicativo para fazer a justificativa. Poucas horas depois, às 15h, o número já tinha subido para 561 mil. O prazo para justificar o voto é de 60 dias, a contar a partir de segunda-feira (16), e pode ser feito presencialmente ou pela internet. 

Fernanda da Escóssia (siga @fescossia no Twitter)

Editora da piauí (site). Foi repórter da Folha de S.Paulo e editora de política do Globo

Marcos Amorozo

Estagiário de jornalismo na piauí

Leia também

Últimas Mais Lidas

Virada eleitoral: missão (im)possível?

Só uma em cada quatro disputas de segundo turno teve reviravolta em relação ao primeiro nas últimas seis eleições municipais

Parente é serpente, visse!

Disputa ferrenha no Recife expõe influência da viúva de Eduardo Campos na campanha do filho João; aliança pró-Marília Arraes reúne de Lula a figuras próximas do bolsonarismo

A morte de um cinema de rua

Empresário que administrou por dez anos o Cine Joia, em Copacabana, relata crise que levou o cinema a fechar as portas após oito meses de pandemia

Assassinato no supermercado

Inépcia e inoperância do governo federal desautorizam expectativas favoráveis em qualquer frente - inclusive no audiovisual

Derrota por correspondência

Filho de imigrantes brasileiros, gay e conservador, o republicano George Santos já se considerava eleito deputado federal por Nova York – até chegarem os votos retardatários pelos correios

O novo Tio Sam e o Brasil

Biden terá que reatar tratados e rever estratégia de acordos bilaterais; guerra comercial é desastre para exportações brasileiras

Foro de Teresina ao vivo no segundo turno

Saiba como acompanhar a transmissão

PT reelege, mas não renova

Se não fosse pelos prefeitos com mandato renovado, partido de Lula definharia ainda mais; siglas de direita como o Democratas avançam sobre adversários

Mais textos
3

Sarney decide encerrar a carreira

BRASILIA - Em entrevista ao Fantástico de ontem, o senador José Sarney anunciou que abandonará a política. "Eu queria continuar, mas não consigo. Penso na nomeação de uma prima de terceiro grau, mas não executo como quero. Tá na hora. Mas foi lindo pra caramba, " disse, emocionado, a Patrícia Poeta.

4

The BolsozApp Herald

A rede social mais patriótica do Brasil

5

Lula e o eleitor do agreste

Trabalhadores rurais de Alagoas entendem que ele se envolveu com corrupção, mas não deve ser punido diante da “lama geral”

6

Ele e eu – Dziga Vertov em apuros

Biografia de cineasta russo lembra relação estreita entre arte e resistência

7

Um esporte individual

Já nos acréscimos, o São Paulo perdia por dois a um e Ganso bateu uma dessas faltas que viraram moda: levantada na área, a bola passou por todo mundo, o goleiro ficou com aquela cara de qualé, e pronto. Barbante e jogo empatado. Mas que nada: quando a bola ultrapassava a linha, o centroavante Aloísio, certamente para somar um golzinho a mais na artilharia, empurrou-a pra dentro com a mão.

8

Revoltada, Nana Gouvêa sensualiza de biquini preto

EGO - Super inn na tendência new revolt iniciada por Susana Vieira e seguida pela família de Carla Perez, Nana Gouvêa realizou um ensaio sensual vestindo apenas um biquininho preto. "Como sou uma modelo e manequim à frente do meu tempo, resolvi ir além: sensualizei com peças de roupa que expressam metaforicamente o tamanho da decência que restou ao STF", explicou Nana, professoral.

9

PT e aliados preparam campanha Lula-2022

Solto, ex-presidente vai percorrer o país e comandar oposição a Bolsonaro

10

Documentos vazados revelam que governo brasileiro é um tédio

BRASÍLIA - O vazamento dos telegramas diplomáticos americanos pelo site WikiLeaks vem causando grande constrangimento ao governo brasileiro. Uma fonte ligada ao Itamaraty revelou que cada nova revelação aumenta o sentimento de desconforto do Palácio do Planalto em relação à condução da política externa brasileira.