questões esotéricas

A culpa é de Saturno e Capricórnio, tá ok?

Como Maricy Vogel se tornou a astróloga preferida dos bolsonaristas 

João Batista Jr.
20out2020_10h55
Intervenção de Paula Cardoso/fotos de internet

Em geral, astrólogos detestam ser chamados de videntes. Acham que o termo  reduz bastante o que fazem. É inegável, porém, que muitos profissionais do ramo ganham projeção e dinheiro quando acertam palpites sobre o futuro, principalmente os de natureza política. A paulistana Maricy Vogel – virginiana com ascendente em Aquário, que mora em Nova York – virou a astróloga preferida do bolsonarismo. O motivo da paixão cósmica: em novembro de 2017, numa entrevista ao apresentador Amaury Jr., ela cravou que Jair Bolsonaro, ariano com ascendente em Peixes, seria eleito presidente do Brasil. Àquela altura, nem o mais talentoso dos profetas ousaria tal prognóstico. De acordo com a astróloga, a improvável vitória se daria porque “Saturno iria entrar em Capricórnio”. Usando a tecla SAP do astrologuês para o português: haveria um retorno do conservadorismo, e nenhum outro candidato aglutinava tão bem os valores tradicionais quanto Bolsonaro. 

Antes disso, Vogel havia preconizado que Donald Trump venceria as eleições presidenciais dos Estados Unidos em 2016, quando todas as pesquisas e boa parte da imprensa norte-americana viam o empresário e ex-apresentador de reality show como um bufão. Não bastasse, no primeiro semestre de 2012, a astróloga previu que Fernando Haddad, aquariano com ascendente em Escorpião, se tornaria prefeito de São Paulo e que o Corinthians se sagraria vencedor da Copa Libertadores da América. 

Agenda cheia e clientes abonados Vogel tem há décadas, mas a demanda nunca se revelou tão grande como agora. “Outro dia, me reconheceram enquanto era chamada para tirar sangue num laboratório, mesmo eu estando de máscara”, relembra. A devoção dos bolsonaristas a motivou a estrear na arena preferida deles, o Twitter, em novembro de 2019. Atualmente, ela soma 20,6 mil seguidores, e alguns de seus tuítes chegam a alcançar mil compartilhamentos. Dentro ou fora das redes sociais, a astróloga faz previsões políticas de forma irônica e, claro, sempre embasada nas estrelas: “O Marreco (como gosta de chamar o ex-ministro Sergio Moro) nunca será presidente do Brasil. O mapa astral dele não bate com o do país.” Ou: “O Calça Apertada (João Doria) pode até se iludir com o cargo, mas esse sucesso também destoa de seu mapa.”

Para as próximas eleições municipais, Vogel evita prever o destino de São Paulo. “Tanto o mapa da cidade quanto o dos candidatos estão embolados. Não vejo ninguém dizendo que vai votar em Celso Russomanno.” Já sobre Manuela D’ Ávila, leonina com ascendente em Virgem e candidata à prefeitura de Porto Alegre pelo PCdoB, a astróloga é categórica: “Neste momento, a Lua dela em Áries significa rejeição. A esquerda não dominará a capital gaúcha.”  




Nascida numa família de judeus alemães em São Paulo, Maricy Vogel cursou administração de empresas e atuou no mercado financeiro como gestora de marketing. É magra, tem 63 anos e estatura mediana, pinta os cabelos de loiro escuro e se veste de maneira sóbria. Frequentemente, adorna o pescoço com lenços ou cachecóis. A personalidade forte a impede de ter papas na língua. 

Na década de 1980, tirou dois anos sabáticos entre Israel e Inglaterra. Quando voltou ao Brasil, resolveu se dedicar exclusivamente à astrologia, área pela qual se interessa desde a adolescência. “Sou autodidata. Já li mais de oitocentos livros sobre o assunto.” Seus primeiros clientes pertenciam à comunidade judaica, como o empresário Meyer Nigri, a jornalista Joyce Pascowitch e a socialite Tania Wagner. “Ao me mudar para Nova York em 1989, passei a atender políticos e milionários dos Estados Unidos e de todo o mundo. Hoje, boa parte dos meus clientes são americanos, indianos e japoneses.” Ela, no entanto, procura vir ao Brasil a cada dois meses para dar conta da freguesia local. Conhecido como “o médico dos famosos”, o cardiologista Roberto Kalil Filho, por exemplo, não assina um contrato ou faz uma viagem sem consultar a astróloga. “Eu atendo mais homens do que mulheres. Não suporto perua preocupada com bolsa Chanel ou Prada. Prefiro lidar com homens de negócios, que querem saber a data certa de fazer o IPO da empresa.”

O preço de sua consulta é 1 500 reais para assuntos pessoais e 2 500 quando a demanda é de caráter empresarial. Ambas duram uma hora. “Atendo gente da família real britânica, tá entendendo? Conheço todos os continentes do mundo. Não sou como qualquer astrólogo de Botucatu, que nunca saiu da própria cidade”, desdenha. Por causa da quarentena, as viagens de Vogel cessaram. Desde março, ela só faz atendimentos por Skype e pelo Facetime, de um flat em São Paulo, onde está hospedada. “Fiquei presa no Brasil quando a pandemia estourou.  Tenho pensado em voltar a morar aqui depois de mais de trinta anos fora.” 

A astróloga afirma que a deputada bolsonarista Bia Kicis (PSL-DF) costuma consultá-la por videochamada. Vogel também menciona o governador de Goiás, Ronaldo Caiado, como cliente assíduo e conta que foi procurada por Joice Hasselmann (PSC-SP) para ler o mapa astral dela quando a candidata à prefeitura paulistana ainda apoiava Bolsonaro. Kicis confirma que, de fato, se aconselha com a astróloga. Já Caiado e Hasselmann negam. Dizem que nem mesmo a conhecem pessoalmente. 
Embora colecione previsões políticas acertadas, Voguel anteviu que Aécio Neves venceria Dilma Rousseff nas eleições de 2014. “Errei? Claro que não! Houve fraude naquela eleição”, justifica-se, sem apresentar nenhuma evidência da maracutaia e ecoando o discurso do presidenciável derrotado. 

Sobre Olavo de Carvalho, guru bolsonarista e ex-astrólogo que virou professor de filosofia online, limita-se a dizer: “Não nos conhecemos. Só sei que palavrão não sai da minha boca.” Quanto às chances de Bolsonaro se reeleger em 2022, Vogel é enfática: “Ele só não ganha se não disputar a eleição.”

João Batista Jr. (siga @joao_batistajr no Twitter)

Repórter da piauí, ex-colunista de Veja e autor do livro A Beleza da Vida — A Biografia de Marco Antonio de Biaggi

Leia também

Últimas Mais Lidas

A morte de um cinema de rua

Empresário que administrou por dez anos o Cine Joia, em Copacabana, relata crise que levou o cinema a fechar as portas após oito meses de pandemia

Assassinato no supermercado

Inépcia e inoperância do governo federal desautorizam expectativas favoráveis em qualquer frente - inclusive no audiovisual

Derrota por correspondência

Filho de imigrantes brasileiros, gay e conservador, o republicano George Santos já se considerava eleito deputado federal por Nova York – até chegarem os votos retardatários pelos correios

O novo Tio Sam e o Brasil

Biden terá que reatar tratados e rever estratégia de acordos bilaterais; guerra comercial é desastre para exportações brasileiras

Foro de Teresina ao vivo no segundo turno

Saiba como acompanhar a transmissão

PT reelege, mas não renova

Se não fosse pelos prefeitos com mandato renovado, partido de Lula definharia ainda mais; siglas de direita como o Democratas avançam sobre adversários

Arco-íris na urna

Pelo menos 89 pessoas LGBT foram eleitas para as Câmaras Municipais em 69 cidades

Mais textos
3

Sarney decide encerrar a carreira

BRASILIA - Em entrevista ao Fantástico de ontem, o senador José Sarney anunciou que abandonará a política. "Eu queria continuar, mas não consigo. Penso na nomeação de uma prima de terceiro grau, mas não executo como quero. Tá na hora. Mas foi lindo pra caramba, " disse, emocionado, a Patrícia Poeta.

4

The BolsozApp Herald

A rede social mais patriótica do Brasil

5

Lula e o eleitor do agreste

Trabalhadores rurais de Alagoas entendem que ele se envolveu com corrupção, mas não deve ser punido diante da “lama geral”

6

Ele e eu – Dziga Vertov em apuros

Biografia de cineasta russo lembra relação estreita entre arte e resistência

7

Um esporte individual

Já nos acréscimos, o São Paulo perdia por dois a um e Ganso bateu uma dessas faltas que viraram moda: levantada na área, a bola passou por todo mundo, o goleiro ficou com aquela cara de qualé, e pronto. Barbante e jogo empatado. Mas que nada: quando a bola ultrapassava a linha, o centroavante Aloísio, certamente para somar um golzinho a mais na artilharia, empurrou-a pra dentro com a mão.

8

Revoltada, Nana Gouvêa sensualiza de biquini preto

EGO - Super inn na tendência new revolt iniciada por Susana Vieira e seguida pela família de Carla Perez, Nana Gouvêa realizou um ensaio sensual vestindo apenas um biquininho preto. "Como sou uma modelo e manequim à frente do meu tempo, resolvi ir além: sensualizei com peças de roupa que expressam metaforicamente o tamanho da decência que restou ao STF", explicou Nana, professoral.

9

PT e aliados preparam campanha Lula-2022

Solto, ex-presidente vai percorrer o país e comandar oposição a Bolsonaro

10

Documentos vazados revelam que governo brasileiro é um tédio

BRASÍLIA - O vazamento dos telegramas diplomáticos americanos pelo site WikiLeaks vem causando grande constrangimento ao governo brasileiro. Uma fonte ligada ao Itamaraty revelou que cada nova revelação aumenta o sentimento de desconforto do Palácio do Planalto em relação à condução da política externa brasileira.