Igualdades

Desiguais desde o parto

Emily Almeida e Renata Buono
22jul2019_09h06

Desde 2009, o número de cesarianas realizadas no Brasil vem superando o de partos normais. Em 2017, elas representaram 56% do total de partos no país. Mas as cesáreas não ocorrem com frequência igual entre as brasileiras: proporcionalmente, são dez vezes mais comuns entre mulheres com mais anos de estudo do que entre aquelas sem instrução. A OMS considera aceitável uma taxa de 10 a 15% de cesarianas, e a porcentagem de cesáreas no Brasil ainda é maior que a verificada em outros países. Nesta semana, a piauí reúne comparações sobre as cesarianas.

 

No Brasil, em 2017, as cesarianas representaram 56% dos partos realizados no país. Naquele ano, nos Estados Unidos, elas somaram 32%. Ou seja, no Brasil, de cada 12 partos realizados, 7 foram cesáreos. Nos Estados Unidos, o número foi de 4 a cada 12 partos.

 

A região Centro-Oeste foi a que concentrou a maior taxa de partos cesáreos por 10 mil habitantes em 2017, com 95. Isso é quase o dobro da taxa de partos normais registrados naquele ano na região (57). Assim, para cada bebê nascido num parto normal, nasceram dois de cesariana.

 

Goiânia é a capital com maior proporção de partos cesáreos no país, e Macapá, a de menor proporção. Em comparação com o total de nascimentos, para cada parto cesáreo feito em Macapá, há 4 em Goiânia

 

Em 2017, mulheres com mais de doze anos de instrução fizeram, proporcionalmente, quase 10 vezes mais cesarianas que mulheres sem nenhuma instrução

 

Uma das maiores proporções de cesarianas por local de residência da mãe, no município do Rio de Janeiro, está na Barra da Tijuca, bairro de classe média alta. Uma das menores proporções está no Complexo do Alemão, conjunto de favelas na zona norte do Rio. Proporcionalmente, para cada parto cesáreo realizado no Complexo do Alemão em 2017, havia 6,5 na Barra

 

As cesáreas também são maioria entre mulheres casadas. Proporcionalmente, elas fizeram 2,5 vezes mais partos cesáreos do que mulheres solteiras em 2017. 

 

No Brasil, quanto mais jovem é a mulher, menor a probabilidade de o parto ser cesáreo. Em 2017, uma mulher na média dos 32 anos fez, proporcionalmente, 3 vezes mais partos cesáreos que uma na média dos 17 anos

 

Fontes: Datasus; Centers for Disease Control and Prevention; Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro

Emily Almeida (siga @emilycfalmeida no Twitter)

É estagiária de jornalismo da piauí. Antes, trabalhou no jornal O Globo

Renata Buono (siga @revistapiaui no Twitter)

Renata Buono é designer e diretora do estúdio BuonoDisegno

leia mais

Últimas Mais Lidas

Ascensão e queda de um ex-Van Gogh

Tela do Masp atribuída ao pintor holandês tem autoria revista e inspira debate sobre valor artístico

Um bicheiro no centro do poder

A rede de assassinatos, amizades e dinheiro que cerca Jamil Name no Mato Grosso do Sul

Seis conclusões sobre o modelo do mundo sem a Amazônia 

O preço que o Brasil e o mundo pagarão caso a floresta continue a ser derrubada para dar lugar à pecuária

O mundo sem a Amazônia

Modelo climático prevê efeitos da conversão da floresta em pasto: diminuição de 25% das chuvas no Brasil e aumento da temperatura, com prejuízo "catastrófico" para agricultura e produção de energia

Foro de Teresina #73: Autofagia no governo, crise na oposição e o óleo nas praias do Nordeste

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Domingo – um dia especial

Filme paga preço alto ao ser lançado agora, quando expectativa de “nova era” se mostrou ilusória

O novo Posto Ipiranga

Ex-capitão do Exército transformado em ministro da Infraestrutura cresce no Twitter e na agenda positiva do governo Bolsonaro 

Brasil mais longe da Europa

“Efeito Bolsonaro” afasta turistas europeus e prejudica negócios

Maria Vai Com as Outras #5: Crime e castigo contra a mulher

Uma socióloga e uma defensora pública falam dos efeitos que a violência tem na vida profissional das mulheres

Mais textos
1

Brasil mais longe da Europa

“Efeito Bolsonaro” afasta turistas europeus e prejudica negócios

2

Fala grossa e salto fino

As façanhas de Joice Hasselmann, do rádio ao Congresso

3

Mitificação de Eduardo, demonização da esquerda

Em evento bolsonarista, filho do presidente e ministros apresentam rivais como mal radical, em sintoma da deterioração democrática no país

4

Um bicheiro no centro do poder

A rede de assassinatos, amizades e dinheiro que cerca Jamil Name no Mato Grosso do Sul

6

O novo Posto Ipiranga

Ex-capitão do Exército transformado em ministro da Infraestrutura cresce no Twitter e na agenda positiva do governo Bolsonaro 

7

O mundo sem a Amazônia

Modelo climático prevê efeitos da conversão da floresta em pasto: diminuição de 25% das chuvas no Brasil e aumento da temperatura, com prejuízo "catastrófico" para agricultura e produção de energia

8

Letra preta

Os negros na imprensa brasileira

10

A volta do concurso literário mensal da piauí

Além da frase “Eduardo, meu filho, esse hambúrguer é orgânico?” o texto de outubro deve ter o seguinte ingrediente improvável: 'Oswaldo Montenegro'