humor e podcast

Entre gargalhadas, cotidiano e estratégia: os podcasts de humor

Linguagem politicamente incorreta e medo da repetição estão entre as preocupações dos realizadores 

17ago2019_17h53
Mauricio Cid, Samir Duarte e o mediador Dan Stulbach
Mauricio Cid, Samir Duarte e o mediador Dan Stulbach FOTO: MARCELO SARAIVA

O ônibus, o sexo, a internet, a roupa, a militância das cenas da vida cotidiana, pouco escapa ao radar atento de Mauricio Cid e Samir Duarte, apresentadores de podcasts de humor e participantes da quarta mesa da 2ª Maratona Piauí CBN de Podcast, realizada neste sábado em São Paulo. Com mediação do ator Dan Stulbach, também comentarista da CBN, a mesa levou às gargalhadas a plateia do auditório da ESPM, na Vila Mariana. Mas os convidados deixaram claro que criatividade não basta para garantir a vida de um podcast de humor, e a estratégia conta.

Cid é o humorista e empresário é a figura por trás de quase trinta blogs, programas no YouTube e podcasts da marca Não Salvo. O primeiro podcast criado por ele foi o Não Ouvo. Sob esse guarda-chuva, surgiram outros três, também humorísticos. Juntos, constituem uma série que disponibiliza novos episódios nos tocadores de segunda a quinta-feira, cada dia com um podcast diferente. Atualmente, o Não Ouvo é o segundo podcast mais escutado no Brasil, de acordo com a última PodPesquisa. O medo de se repetir, em comparação com outros programas, é uma preocupação constante, mas Cid confia no humor como ferramenta de diálogo.

“Eu gosto de contar uma boa história. Eu fazia vários podcasts, para outras pessoas, aí resolvi fazer também”, contou Cid. Ele considera que o brasileiro tem uma pegada humorística muito forte, e é até de estranhar que os podcasts de humor tenham demorado a ganhar mercado.

Com frequência, o podcast Um Milkshake Chamado Wanda conta com convidados para falar dos assuntos mais comentados nas redes sociais, estratégia que provocou forte engajamento dos ouvintes. Wanda foi eleito o podcast do ano pela MTV e o quinto mais mencionado no Twitter em 2018, com cerca de 700 mil downloads a cada episódio. Duarte afirmou que o programa, iniciado no improviso, aos poucos foi se profissionalizando: tem roteiro fixo e anunciantes.  

“Experiência, vivência e tragédia”, resumiu Duarte sobre o que atrai seu ouvinte, ainda que, num podcast de humor, o sentido de tragédia varie de uma situação para outra. Um dos episódios mais comentados do Wanda, segundo ele, foi o de uma jovem que alugou uma casa mobiliada para um Carnaval e, ao chegar lá, encontrou apenas um lugar vazio, com alguns colchões e um freezer com sorvete.

Outra preocupação de Duarte é evitar a linguagem politicamente incorreta e qualquer forma de preconceito. “A gente aprende muito. Existem termos que a gente usava, mas não usa mais. Por a gente ter essa veia de militância, as pessoas cobram isso de nós”, contou Duarte. “É uma mão no joelho e outra na consciência.”

Cid afirmou que, em seus podcasts, esse tipo de preocupação é bem menor. Por outro lado, disse entender que o humor pode contribuir para ajudar a discutir temas tabu, como doenças sexualmente transmissíveis. “Num episódio, teve um cara que tinha todas as doenças, deu detalhes, contou de doenças que eu nunca nem imaginei. A gente até recebeu mensagem do Ministério da Saúde elogiando, dizendo que, com humor, a gente tinha abordado um tema muito importante”, contou.

 

Leia também

Últimas Mais Lidas

Bolsonaro achata a curva

Pesquisa inédita do Ideia Big Data mostra que desaprovação ao governo oscila de 41% para 37% após presidente moderar discurso contra Mandetta e defender a cloroquina

Foro de Teresina #95: Os mitos da pandemia, a queda de braço com Mandetta e o bate-cabeça na economia

O podcast de política da piauí comenta os principais fatos da semana

Pão ázimo e um computador

Como famílias judaicas contornam o isolamento durante o Pessach, a festa religiosa que celebra a liberdade

Nos presídios, terreno livre para o coronavírus

Superlotação e falta de equipes médicas atrapalham medidas de prevenção da doença

Paulo Freire, um Homem do Mundo – Um sonho da bondade e da beleza

Alvo de ofensa proferida pelo capitão que ocupa o Palácio do Planalto, educador ganha desagravo em documentário

Rumo às urnas, estetoscópio é a nova arminha

Criticado por Bolsonaro, ministro da Saúde ganha popularidade nas redes durante epidemia e sinaliza força de candidatos médicos nas próximas eleições

Aula de risco

Reabrir colégios, como sugeriu Bolsonaro, aumenta perigo de contaminação para 5 milhões de brasileiros de mais de 60 anos que moram com crianças em idade escolar

A Terra é redonda: Coroa de espinhos

Especialistas discutem quem é o inimigo que está prendendo bilhões em casa e como vamos sair da pandemia causada pelo coronavírus

Resultado de teste de covid-19, só um mês depois do enterro

Se Brasil repetir padrão chinês, hospitalizações por síndromes respiratórias graves apontam para 80 mil casos no país

Mais textos
2

Resultado de teste de covid-19, só um mês depois do enterro

Se Brasil repetir padrão chinês, hospitalizações por síndromes respiratórias graves apontam para 80 mil casos no país

3

Onze bilhões de reais e um barril de lágrimas

Luis Stuhlberger, o zero à esquerda que achava que nunca seria alguém, construiu o maior fundo multimercado fora dos Estados Unidos e, no meio da crise, deu mais uma tacada

4

Direito à despedida

As táticas de médicos e famílias para driblar a solidão de pacientes de covid-19 nas UTIs

5

Não tenho resposta para tudo

A vida de uma médica entre seis hospitais e três filhos durante a pandemia

6

Uma esfinge na Presidência

Bolsonaro precisa do impeachment para fazer sua revolução

7

Ciência em Krakatoa

O Brasil vive um transe que mistura Monty Python e Sexta-Feira 13. O que será de nós quando isso acabar, o que faremos com relação a novas epidemias?

9

E se ele for louco?

Suspeitar da sanidade mental de Bolsonaro não permite encurtar caminho para afastá-lo; saída legal é o impeachment

10

Foro de Teresina #94: A subnotificação do vírus, Bolsonaro acuado e a economia desgovernada

O podcast de política da piauí comenta os principais fatos da semana