rádio piauí

Foro de Teresina #35: O decreto das armas, o teatro de Witzel e a prisão de Battisti

Podcast da piauí discute os fatos da semana na política nacional

17jan2019_16h49
INTERVENÇÃO DE ISABELA DA SILVEIRA EM FOTO DE CARLOS MAGNO/ GOVERNO DO RIO DE JANEIRO

OForo de Teresina discute a liberalização da posse de armas por Bolsonaro; o esdrúxulo início de mandato do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel; e a prisão do ex-terrorista italiano Cesare Battisti.

Bloco 1: O armamentismo do presidente
Ao ampliar o acesso às armas, Bolsonaro começou a cumprir sua promessa de campanha e a desmantelar o Estatuto do Desarmamento.

Bloco 2: O governador de aparências
À frente de um estado falido, o governador Wilson Witzel dedica sua agenda dos primeiros dias a produzir factoides, declarações controversas e um episódio de censura.

Bloco 3: O fim da novela Battisti
Após décadas vivendo como exilado no Brasil, o ex-terrorista italiano Cesare Battisti foi preso na Bolívia, frustrando a expectativa do governo de faturar politicamente e trazendo à tona velhas feridas da esquerda nacional.



Errata: Diferentemente do que foi informado no episódio, Matteo Salvini é ministro do Interior da Itália, e não primeiro-ministro.

>Links citados neste episódio:

A íntegra do decreto assinado por Bolsonaro que flexibilizou a posse de armas no Brasil.

A entrevista do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, à GloboNews, veiculada no dia 15 de janeiro.

A reportagem publicada na Coluna do Estadão sobre as sete sugestões de Moro que foram ignoradas na elaboração do decreto das armas.

O resultado do referendo realizado em 2005 sobre a proibição do comércio de armas no Brasil. A não proibição venceu com 63,9% dos votos.

A declaração em que o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, compara o risco de ter armas em casa ao risco de ter um liquidificador.

A checagem feita pela Agência Lupa das afirmações feitas por Lorenzoni a respeito do decreto que facilitou a posse de armas.

O estudo “Também morre quem atira”, feito pelo Instituto Brasileiro de Ciências Criminais (IBCCrim) em 1998. O trabalho demonstra que pessoas armadas correm risco 56% maior de morrer num assalto.

O relatório feito pelo Ministério Público de São Paulo e o Instituto Sou da Paz mostrando que, a cada dez armas apreendidas pela polícia entre 2011 e 2012, quatro haviam sido compradas legalmente e tinham registro.

A coluna de Bruno Boghossian, publicada em 16 de janeiro na Folha de S.Paulo, em que ele faz críticas ao novo decreto de Bolsonaro:A solução armamentista alimentada por clubes de tiro tem a densidade de uma piscina inflável.”

A fotografia em que o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, aparece sorrindo ao lado de um quadro de seu rosto feito com projéteis.

O envolvimento do presidente da Alerj, André Ceciliano, do PT, no relatório do Coaf que identificou transações atípicas nas contas de assessores de parlamentares da Casa.

*

Ficha técnica:
Apresentação: Fernando de Barros e Silva, José Roberto de Toledo e Malu Gaspar
Direção e edição: Paula Scarpin
Produção: Luiza Miguez, Luigi Mazza e Mari Faria
Produção musical, finalização e mixagem: João Jabace
Música tema: Wânya Sales e Beto Boreno
Técnico de som: Danny Dee
Identidade visual: João Brizzi
Ilustração: Isabela da Silveira
Distribuição: Kellen Moraes, Luigi Mazza e Yasmin Santos
Gravado no estúdio Rastro
Para falar com a equipe: forodeteresina@revistapiaui.com.br

mais rádio piauí

Últimas Mais Lidas

Foro ao vivo no 2º turno: o que concluir das eleições

Podcast de política da piauí fez um balanço do resultado das eleições municipais; a...

Marcadores do destino

Marcadores presentes no sangue podem aumentar ou diminuir os riscos do paciente infectado pela Covid-19...

Foro de Teresina #128: As urnas, o racismo e o vírus

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Sobra eficácia, faltam vacinas

Vacinas da Moderna e da Pfizer contra Sars-CoV-2 protegem 95 em cada 100 imunizados, mas...

Foro de Teresina #127: Maré alta contra Bolsonaro

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Foro ao vivo no 1º turno: veja como foi a transmissão

Programa transmitido no domingo de eleição está disponível no YouTube, na íntegra; análise sobre...

Foro de Teresina #126: Saliva e pólvora contra a vacina

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Foro de Teresina #125: As urnas contra Trump e Bolsonaro

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Podcast Praia dos Ossos chega ao último episódio

Ouça já o capítulo final da série produzida pela Rádio Novelo

Quando gente vira cobaia

Fernando Reinach explica quais são e como funcionam os controles que existem para cientistas não...

Mais textos
2

A metástase

O assassinato de Marielle Franco e o avanço das milícias no Rio

3

Na cola de quem cola

A apoteose da tecnologia e o adeus aos estudos

6

Cirurgia à peruana

Em conversa com Paula Scarpin, Bernardo Esteves fala sobre a Chegada da piauí_100

7

Ministério da Agricultura proíbe promoção de chã, patinho e lagarto

BRASÍLIA - “É um cartel!” Foi assim, com exclamação e tudo, que o ministro da Agricultura e Pecuária, Reinhold Stephanes, abriu a coletiva de imprensa para anunciar as resoluções de sua pasta para o último ano do governo Lula. Entre as principais medidas, a que causou mais impacto foi a proibição da venda de chã, patinho e lagarto por preços iguais. “Faz mais de vinte anos que escuto, nos anúncios dos mercados, que essas três carnes estão em promoção, e mais, vendidas pelo mesmo valor", disse indignado.

8

Hipótese Escorel

Após ler o post de Eduardo Escorel motivado por um debate sobre cinema brasileiro em Porto Alegre, o crítico Jean-Claude Bernardet escreveu-lhe: “Aceito tudo o que você escreve, não me sinto em contradição com você. No entanto, seu texto me deixa insatisfeito, porque eu sinto no teu texto como nos meus que estamos girando em torno de algo que não sabemos o que é, ou preferimos não saber.” 

9

Cinema político (I)

Nós – cineastas, produtores e demais integrantes da comunidade cinematográfica – temos capacidade de interagir com o público através de filmes que reflitam a gravidade da crise que o país atravessa?