Igualdades

Lixo, doce lixo

Luigi Mazza e Renata Buono
01abr2019_10h00

Se lixo fosse um produto de exportação brasileiro, venderia mais do que café e açúcar – mercados dos quais o Brasil é líder mundial. São dezenas de milhões de toneladas de resíduos por ano. O Brasil é o quarto país do mundo que mais descarta lixo plástico, à frente de economias desenvolvidas como o Japão; por outro lado, os japoneses reciclam quase o triplo do que os brasileiros.

Em 2017, o Brasil produziu 78,4 milhões de toneladas de resíduos sólidos urbanos – ou seja,  o lixo doméstico e comercial das cidades. Esse volume corresponde a mais que o triplo de todo o açúcar de cana que o país exportou nesse mesmo ano (23,3 milhões de toneladas).

Só de lixo plástico, foram 11,3 milhões de toneladas em 2016 – 59% a mais do que o Japão  (7,1 milhões de toneladas).

O volume de lixo plástico reciclado no Brasil (145 mil toneladas em 2016) é menos da metade do reciclado no Japão (405,8 mil toneladas).

No período de um ano, a cidade do Rio de Janeiro coleta tanto lixo quanto o Brasil produz café: são aproximadamente 3,6 milhões de toneladas de resíduos – equivalente à safra de café de 2018.

A cidade do Rio coleta 10 mil toneladas de lixo por dia. Se esse volume fosse empilhado durante quatro anos e quatro meses, seria suficiente para preencher o equivalente a dois morros do Pão de Açúcar.

No verão, a cidade do Rio coleta nas praias uma média de 3,7 mil toneladas de lixo por mês. É como se os garis coletassem um peso equivalente a 3 estátuas do Cristo Redentor.

 

Fontes: Abrelpe; Ministério da Economia; WWF; Comlurb; IBGE; cálculo do professor da Coppe/UFRJ Maurício Ehrlich.

Luigi Mazza (siga @LuigiMazzza no Twitter)

Repórter da piauí e produtor da rádio piauí

Renata Buono (siga @revistapiaui no Twitter)

Renata Buono é designer e diretora do estúdio BuonoDisegno

leia mais

Últimas Mais Lidas

Um bicheiro no centro do poder

A rede de assassinatos, amizades e dinheiro que cerca Jamil Name no Mato Grosso do Sul

Seis conclusões sobre o modelo do mundo sem a Amazônia 

O preço que o Brasil e o mundo pagarão caso a floresta continue a ser derrubada para dar lugar à pecuária

O mundo sem a Amazônia

Modelo climático prevê efeitos da conversão da floresta em pasto: diminuição de 25% das chuvas no Brasil e aumento da temperatura, com prejuízo "catastrófico" para agricultura e produção de energia

Foro de Teresina #73: Autofagia no governo, crise na oposição e o óleo nas praias do Nordeste

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Domingo – um dia especial

Filme paga preço alto ao ser lançado agora, quando expectativa de “nova era” se mostrou ilusória

O novo Posto Ipiranga

Ex-capitão do Exército transformado em ministro da Infraestrutura cresce no Twitter e na agenda positiva do governo Bolsonaro 

Brasil mais longe da Europa

“Efeito Bolsonaro” afasta turistas europeus e prejudica negócios

Maria Vai Com as Outras #5: Crime e castigo contra a mulher

Uma socióloga e uma defensora pública falam dos efeitos que a violência tem na vida profissional das mulheres

Mitificação de Eduardo, demonização da esquerda

Em evento bolsonarista, filho do presidente e ministros apresentam rivais como mal radical, em sintoma da deterioração democrática no país

Mais textos
1

Brasil mais longe da Europa

“Efeito Bolsonaro” afasta turistas europeus e prejudica negócios

2

Fala grossa e salto fino

As façanhas de Joice Hasselmann, do rádio ao Congresso

3

Mitificação de Eduardo, demonização da esquerda

Em evento bolsonarista, filho do presidente e ministros apresentam rivais como mal radical, em sintoma da deterioração democrática no país

5

O novo Posto Ipiranga

Ex-capitão do Exército transformado em ministro da Infraestrutura cresce no Twitter e na agenda positiva do governo Bolsonaro 

6

O mundo sem a Amazônia

Modelo climático prevê efeitos da conversão da floresta em pasto: diminuição de 25% das chuvas no Brasil e aumento da temperatura, com prejuízo "catastrófico" para agricultura e produção de energia

8

Moro em queda livre

Ministro e seu pacote anticrime perdem espaço no governo, no TCU e no Twitter

9

Um bicheiro no centro do poder

A rede de assassinatos, amizades e dinheiro que cerca Jamil Name no Mato Grosso do Sul

10

Letra preta

Os negros na imprensa brasileira