rádio piauí

Maria vai com as outras #5: Não me chamo mãe

Uma cozinheira e uma professora de química contam como a maternidade afetou suas escolhas profissionais

25mar2019_05h00
As convidadas Nádya e Piti, pelo traço do ilustrador Caio Borges
As convidadas Nádya e Piti, pelo traço do ilustrador Caio Borges

Nádya Pesce da Silveira foi mãe nos anos 80, e fala sobre a decisão de deixar os filhos no Brasil ao fazer o doutorado e, alguns a anos depois, o pós-doutorado no exterior. A diretora do Instituto de Química da Universidade Federal do Rio Grande do Sul acredita que não teria tido o mesmo sucesso na carreira se tivesse aberto mão dessas oportunidades.

Já Piti Lacerda, ao ver sua rotina como cozinheira em um restaurante se tornar incompatível com a chegada da primeira filha, foi obrigada a abrir o próprio negócio para poder conciliar o trabalho e a maternidade. Hoje, grávida pela segunda vez, ela trabalha 7 dias por semana em sua confeitaria caseira. Só trabalhando em casa e sem patrão, Piti consegue dar conta dos cuidados com a filha.

No quinto episódio desta temporada do Maria vai com as outras, dedicado a como as questões relativas ao corpo da mulher se relacionam com o mercado de trabalho, as entrevistadas falam sobre gravidez, maternidade e escolhas profissionais.

Bloco 1
Nádya Pesce é diretora do Instituto de Química da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e mãe de dois filhos frutos de dois casamentos. Ao longo das trajetórias como química industrial e como mãe, enfrentou dúvidas e julgamentos de familiares e colegas de trabalho sobre suas escolhas profissionais – fosse pelas jornadas exaustivas no laboratório, fosse pela decisão de fazer sua Pós-Graduação no exterior.



Bloco 2
Mãe de uma menina e grávida de outra, Piti Lacerda decidiu dar uma guinada em sua trajetória profissional depois de uma gravidez não planejada, e deixou o emprego como auxiliar em um restaurante tradicional para trabalhar como autônoma na cozinha de casa. Além das reflexões sobre a maternidade sendo tratada como problema por alguns chefes e colegas, ela fala sobre divisão doméstica do trabalho e da dificuldade para amamentar – experiências que ela já está acostumada a dividir numa comunidade online chamada Não me chamo mãe, que emprestou o nome ao episódio.

Maria vai com as outras tem um grupo de debate no Facebook. Clique aqui para participar. Estamos também no Twitter. Siga nosso perfil neste link.

O programa vai ao ar quinzenalmente às segundas-feiras pela manhã. Para ouvir a primeira temporada, acesse a página do podcast. O Maria também está disponível em tocadores como o Spotify Apple Podcasts.

*

Ficha técnica:
Apresentação: Branca Vianna
Direção: Paula Scarpin
Produção: Mari Faria
Edição: Mari Romano
Finalização e mixagem: João Jabace
Coordenação digital: Kellen Moraes
Identidade visual: Cecilia Marra, Caio Borges e Paula Cardoso
Distribuição: Luigi Mazza, Yasmin Santos e Ana Carolina Santos
Transcrição: Isabel Scorza
Engenheiro de som: Danny Dee
Gravado no estúdio Rastro

mais rádio piauí

Últimas Mais Lidas

Praia dos Ossos: segundo episódio já está disponível

Podcast original da Rádio Novelo é publicado aos sábados

Foro de Teresina #118: O presidente no meio do fogo

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Foro de Teresina #117: A inflação de Bolsonaro

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Foro de Teresina #116: Bolsonaro e as vacinas

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Foro de Teresina #115: Um presidente chapa quente

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Foro de Teresina #114: A Bolso Família

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Foro de Teresina #113: Bolsonaro fura o teto

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Foro de Teresina #112: A metamorfose de Bolsonaro

podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Foro de Teresina #111: A república rachada de Bolsonaro

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana...

Foro de Teresina #110: Bolsonaro e o partido da boquinha

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Mais textos
1

R$ 0,46 no tanque dos outros

Agora, caminhoneiros grevistas usam WhatsApp para defender queda da gasolina, de Temer e da democracia

2

A vida e a morte de uma voz inconformada

Os últimos momentos de Marielle Franco, a vereadora do PSOL executada no meio da rua no Rio de Janeiro sob intervenção

4

Ray Kurzweil e o mundo que nos espera

Uma entrevista com o inventor e futurólogo americano

5

Qu4tro figuras (e mais 2)

Agora só tem o Homem de Ferro em Blu-ray, a privada virou "poltrono", a moça penteia o bigode e Stálin está no armário

6

Juízes vão ganhar auxílio-greve

“Você já viu o preço de um megafone hoje em dia? Sabe quanto custa mandar fazer faixas, camiseta, alugar carro de som?” Com essas palavras o ministro Luiz Fux justificou a aprovação do auxílio-greve para juízes federais que farão parte da mobilização que tenta barrar o fim do auxílio-moradia aos magistrados

7

Pero sin perder la broma

A revista que inferniza a monarquia espanhola se adapta aos tempos de crise

10

Chiclete com Banana adere à gourmetização e muda nome para Shitake com Macadâmia

AMARALINA - Em reformulação desde a saída do vocalista Bell Marques, o grupo Chiclete com Banana resolveu dar uma guinada radical para se adequar aos novos tempos. "Se você é diferenciado / Vem dançar ao som do berimbau goumertizado / Se Caetano estacionou o carro no Leblon / Eu brindo a vida com Paleta e Chandon", cantarolou o novo vocalista da banda, João Doria Junior.