rádio piauí

Maria vai com as outras #7: Rugas de preocupação

Uma professora de inglês e uma física falam sobre como envelhecer afetou suas carreiras, suas vidas pessoais, a maneira como se apresentam e o que escolhem para vestir

22abr2019_05h00
As convidadas Heloisa e Marcia Barbosa, pelo traço do ilustrador Caio Borges
As convidadas Heloisa e Marcia Barbosa, pelo traço do ilustrador Caio Borges

Ser ao mesmo tempo jovem e experiente só não parece uma incoerência para empresas e empregadores que acham razoável exigir os dois de um só candidato ou candidata. Querer um funcionário com experiência específica faz sentido, mas exigir que essa pessoa seja jovem vem do preconceito que associa produtividade, e até mesmo criatividade, à juventude. E esse preconceito tem nome: “idadismo”. É o que aprendemos com a professora de inglês e pesquisadora Heloisa Duarte, de 44 anos, que estuda o assunto.

E quem também passa pelos julgamentos do “idadismo” é a física Marcia Barbosa, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, que, embora seja uma pesquisadora reconhecida internacionalmente, se vê, aos 59 anos, tendo que explicar sua escolha de roupa para colegas, familiares e até ilustres desconhecidos.

Heloisa e Marcia conversaram com Branca Vianna para o penúltimo episódio da segunda temporada do Maria Vai Com as Outras.

Bloco 1
Heloisa Duarte é professora de inglês e escritora de materiais didáticos para crianças. No seu curso de mestrado estuda o “idadismo”, a discriminação por motivo de idade, seja contra pessoas mais velhas, seja contra as mais jovens. Homens e mulheres são vítimas desse preconceito, mas a classe mais discriminada é a das mulheres com mais de 50 anos, às vezes até com mais de 40. Isso porque para a mulher os processos naturais do envelhecimento –como rugas e cabelos brancos – são vistos como algo a ser penalizado. E o resultado muitas vezes é serem tratadas como crianças, como incapazes de aprender coisas novas, como descartáveis.



Bloco 2
Marcia Barbosa é física e professora titular da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Entre seus projetos está chefiar uma equipe que estuda as propriedades da molécula da água com o objetivo de, lá na frente, resolver a questão da seca no Brasil. No entanto, nem a importância, nem a nobreza desse trabalho blindam Marcia dos julgamentos por ser uma mulher ativa e independente aos 59 anos. Com muito bom humor ela conta como até mesmo a menopausa pode ser usada para desqualificar o trabalho de uma mulher. E ainda explica o que define como “vida útil científica” de uma pesquisadora.

Maria vai com as outras tem um grupo de debate no Facebook. Clique aqui para participar. Estamos também no Twitter. Siga nosso perfil neste link.

O programa vai ao ar quinzenalmente às segundas-feiras pela manhã. Para ouvir a primeira temporada, acesse a página do podcast. O Maria também está disponível em tocadores como o Spotify Apple Podcasts.

*

Ficha técnica:
Apresentação: Branca Vianna
Direção: Paula Scarpin
Produção: Mari Faria
Edição: Mari Romano
Finalização e mixagem: João Jabace
Coordenação digital: Kellen Moraes
Identidade visual: Cecilia Marra, Caio Borges e Paula Cardoso
Distribuição: Yasmin Santos, Ana Carolina Santos e Luigi Mazza
Transcrição: Isabel Scorza
Engenheiro de som: Danny Dee
Gravado no estúdio Rastro

mais rádio piauí

Últimas Mais Lidas

Podcast Praia dos Ossos chega ao último episódio

Ouça já o capítulo final da série produzida pela Rádio Novelo

Quando gente vira cobaia

Fernando Reinach explica quais são e como funcionam os controles que existem para cientistas não...

Foro de Teresina #124: O bolsonarismo frita seus generais

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Praia dos Ossos: penúltimo episódio já está disponível

Série em podcast produzida pela Rádio Novelo chega à fase final

Os 26% de infectados e a vacinação

Enquete sorológica descobriu que 1 em cada 4 paulistanos já têm anticorpos contra o Sars-CoV-2....

Foro de Teresina #123: Bolsonaro sem vacina

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Retrato Narrado #4: A construção do mito

De atacante dos militares a goleiro dos conservadores: Bolsonaro constrói sua história política

Praia dos Ossos: ouça o sexto episódio

Podcast original da Rádio Novelo reconta o assassinato de Ângela Diniz

Cães, gatos e coronavírus

Estudo pesquisou se cachorros e felinos domésticos contraem o Sars-CoV-2, se transmitem para outros cães...

Foro de Teresina #122: O Rap, o futebol e uma cueca cheia de dinheiro

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Mais textos
4

Dado Dolabella exige que seus namoros sejam cobertos pelo SUS

RIO DE JANEIRO – O ator, cantor e enfant terrible Dado Dolabella declarou ontem que tem mais de dez anos de bons serviços prestados à saúde pública brasileira "sem jamais ter recebido um tostão por isso”. Dolabella se referia à afirmação do ministro da Saúde, José Gomes Temporão, segundo a qual o sexo é um dos meios mais eficientes para combater a hipertensão, um mal que aflige uma fatia crescente da população brasileira.

5

Os melhores momentos do futebol-arte

O que Van Gogh, Manet e Edvard Munch têm a dizer sobre o nobre esporte

7

Mikhail Zygar e a Rússia de Vladimir Putin

Mikhail Zygar conversou com João Moreira Salles, editor da piauí, e Raul Juste Lores, da Folha de S.Paulo. Zygar passou os últimos dezesseis anos – desde que Vladimir Putin assumiu o poder na Rússia – entrevistando pessoas ligadas direta e indiretamente ao presidente e ao Kremlin.

9

Margalit Fox e os perfis póstumos de heróis e heroínas anônimos

Assista a um trecho da participação de Margalit Fox no primeiro dia de evento

10

O bispo e os bicheiros

Os contraventores do Carnaval carioca ajudaram a eleger o prefeito Marcelo Crivella. Estão arrependidos