rádio piauí

Maria vai com as outras #8: A culpa não é sua

Uma engenheira e uma advogada falam sobre assédio no ambiente de trabalho, as consequências nas suas carreiras e os recursos existentes para quem passa por isso

06maio2019_05h00
As convidadas Gabriela e Ivanira, pelo traço do ilustrador Caio Borges
As convidadas Gabriela e Ivanira, pelo traço do ilustrador Caio Borges

Chegamos ao oitavo e último episódio desta temporada do Maria Vai Com as Outras, em que o foco das entrevistas foi o corpo. Por isso, escolhemos deixar para o final a conversa sobre assédio, algo frequente nos ambientes de trabalho e que pode afetar de forma às vezes devastadora a relação da mulher com o próprio corpo e com a autoestima, além de prejudicar sua carreira.

Primeiro conhecemos a trajetória de Gabriela Ribeiro, engenheira que trabalhou por meses embarcada num navio-sonda, equipamento usado para perfuração de poços de petróleo. As situações de assédio moral e sexual pelas quais ela passou a fizeram mudar de curso na faculdade e a abandonar um emprego com uma ótima remuneração. Em busca de ficar o mais longe possível dessas histórias, ela foi estudar em outro país.

Na segunda metade do programa, conversamos com Ivanira Pancheri, procuradora do estado de São Paulo. Depois de ser vítima de assédio no trabalho, Ivanira vem tentando superar o trauma acionando a Justiça e fazendo disso o tema do seu pós-doutorado. Em conversa com Branca Vianna ela fala de assédio laboral e explica por que o assédio sexual diz mais a respeito de humilhação do que de desejo.

Bloco 1
A engenheira Gabriela Ribeiro hoje faz mestrado em engenharia industrial em Bragança, Portugal, de onde falou com o Maria Vai Com as Outras por Skype. Antes disso, ela fez dois cursos técnicos na área e, aos 19 anos, foi contratada por uma companhia de perfuração de poços de petróleo – a primeira mulher mecânica na história da empresa. Ela conta que no período em que trabalhou lá, parte no Brasil, parte num estaleiro na Coreia do Sul, e parte embarcada num navio-sonda, foi assediada por chefes e colegas de trabalho, que alegavam ser tudo “brincadeira”.

Bloco 2
Ivanira Pancheri é advogada, procuradora do estado de São Paulo especializada em direito penal, e acaba de concluir um pós-doutorado sobre assédio laboral. O tema inclui o bullying, o assédio moral e o assédio sexual. Ela explica que estas são algumas práticas que têm como mesmo objetivo encurralar, subjugar e humilhar a vítima. Do chamado “pequeno constrangimento” ao estupro, todas essas situações envolvem relações de poder em que não existe simetria.

Ela também já foi vítima de assédio no trabalho e acionou judicialmente os culpados. Na entrevista,Ivanira destaca a omissão de colegas e testemunhas que permitem indiretamente que isso aconteça.

 

Para participar do sorteio dos ingressos do filme ‘Deslembro‘, da diretora Flávia Castro, mencionado no episódio e que será lançado em 20 de junho, acesse esse link: http://bit.ly/deslembro


Maria vai com as outras tem um grupo de debate no Facebook. Clique aqui para participar. Estamos também no Twitter. Siga nosso perfil neste link.

O programa vai ao ar quinzenalmente às segundas-feiras pela manhã. Para ouvir a primeira temporada, acesse a página do podcast. O Maria também está disponível em tocadores como o Spotify Apple Podcasts.

*

Ficha técnica:
Apresentação: Branca Vianna
Direção: Paula Scarpin
Produção: Mari Faria
Edição: Mari Romano
Finalização e mixagem: João Jabace
Coordenação digital: Kellen Moraes
Identidade visual: Cecilia Marra, Caio Borges e Paula Cardoso
Distribuição: Ana Carolina Santos, Luigi Mazza e Yasmin Santos
Transcrição: Carolina Unzelte
Engenheiros de som: Danny Dee e Lucca Mendez
Gravado no estúdio Rastro



mais rádio piauí

Últimas Mais Lidas

Foro de Teresina #140: A variante Bolsonaro

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Luz no Fim da Quarentena: A melhor vacina

A vacina da Pfizer tem aprovação definitiva da Anvisa e os melhores resultados em campanhas...

Cobaias ou heróis?

Cerca de 90 voluntários serão infectados por cientistas com o SARS-COV-2 para ajudar a responder...

Foro de Teresina #139: Liberalismo adernado e o tsunami

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Variantes demais

Mutações dos Sars-CoV-2 demandam pesquisas sobre a eficácia das vacinas contra as novas cepas e...

Foro de Teresina #138: Mais armas, menos vacinas

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Foro de Teresina #137: Pós-Lava Jato, pré-Arenão

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Foro de Teresina #136: Todo poder ao Arenão

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Foro de Teresina #135: Vacina pouca, meu braço primeiro

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Foro de Teresina #134: Sem vacina, sem Trump, sem nada

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Mais textos
3

Tem Mario no Saara

A fábrica que veste o Carnaval de rua

4

Em represália, TV Globo envia Galvão Bueno para Buenos Aires

LA BOCA - Ainda desnorteada com a desclassificação da seleção brasileira, a TV Globo anunciou como será a transmissão de um possível título da Argentina. "Em represália, enviaremos Galvão Bueno para comandar um programa ao vivo direto de Buenos Aires. Márcio Canuto e Maurício Kubrusly farão as reportagens de rua e Renato Maurício Prado aprenderá espanhol", disse Ali Kamel.

6

Marx + Engels + Lênin = sala e 2 quartos

A história de um apartamento na Islândia deixado em testamento a quem fosse o mais comunista dos comunistas

7

O lado www da bíblia

“Jesus Cristo” ainda é mais famoso do que “sexo cristão”

8

Na praia

Não suporto a areia como leito sexual, e ninguém ignora, por mais que os hidrólatras esperneiem, que a água, sobretudo a do mar, dificulta qualquer tipo de fricção erótica

9

FIFA exige padronização de protestos contra a Copa

ZURIQUE - Após padronizar as redes das balizas, a espessura da grama, o grito de gol e os xingamentos aos juízes, a Federação Impessoal de Futebol Automatizado, FIFA, enviou uma cartilha para ativistas e descontentes. "A partir de agora, aqueles que desejarem protestar contra a Copa também devem atender ao padrão FIFA", explicou Jérome Valcke, enquanto uniformizava os cantos das torcidas de acordo com as escalas europeias.