questões hídricas & políticas_I

A água e a urna

Como Alckmin e Dilma atuaram na crise de abastecimento em São Paulo em ano eleitoral

Malu Delgado
A seca do Cantareira ainda provoca troca de acusações. O subsecretário de Comunicação de Alckmin diz que o PT tentou causar pânico para precipitar o racionamento; o presidente da Agência Nacional de Águas, que o estado gastou mais água do que poderia a fim de esconder a crise
A seca do Cantareira ainda provoca troca de acusações. O subsecretário de Comunicação de Alckmin diz que o PT tentou causar pânico para precipitar o racionamento; o presidente da Agência Nacional de Águas, que o estado gastou mais água do que poderia a fim de esconder a crise FOTO: SEBASTIÃO MOREIRA_(EPA) EFE_EFEVISUAL

Izabella Teixeira, ministra do Meio Ambiente, ligou seu iPad na manhã do último dia de janeiro de 2014 e quatro análises de centros de pesquisa do governo federal saltaram na tela. A obsessão da presidente Dilma Rousseff por gráficos e relatórios contaminara seus auxiliares, e era rotineira a divulgação de informações digitais entre ministros na Esplanada. A ministra não se conteve. Pegou o telefone e pediu uma audiência urgente com a presidente. Bateu à porta de Dilma com um dado alarmante, sobretudo em ano eleitoral: o chamado Sistema Cantareira, principal fornecedor de água para 9 milhões de pessoas no estado de São Paulo, estava secando a passos largos.

Os diagnósticos apontavam para o agravamento da estiagem no Sudeste em 2014, depois de um dezembro de 2013 atipicamente seco. Os dados sobre as condições pluviométricas, os baixos níveis dos reservatórios, a queda da umidade do solo e previsões meteorológicas pessimistas antecipavam um cenário de risco para a economia e a política. O colapso do principal centro produtivo do país agravaria ainda mais o quadro de crescimento pífio projetado pelos economistas. A quem o eleitor paulista, sem água na torneira, acabaria responsabilizando por uma eventual crise de abastecimento? E o pior: os reservatórios esvaziados afetariam a produção de eletricidade, trazendo risco de racionamento de energia.

MATÉRIA FECHADA PARA ASSINANTES
Para acessar, assine a piauí

Malu Delgado

Malu Delgado é jornalista. Foi repórter de piauí entre 2013 e 2015

Leia também

Últimas Mais Lidas

Foro de Teresina #77: Lula solto, crise na Bolívia e o novo partido de Bolsonaro

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Trégua negociada atrás das grades

Documento do sistema penitenciário mostra como chefes do tráfico presos em Rondônia disputam à distância o controle da Rocinha

Bolsonaro, Marielle e a tempestade no Twitter

Entre os voos para Brasília e a presença do então deputado na Câmara, tempo apertado afasta hipótese de que Bolsonaro estivesse no Rio para receber acusado de matar vereadora  

Ruptura de bolsonaristas com PSL ganhou asas no Twitter

Disputa por controle do partido impulsionou menções a Eduardo e Joice na rede

Scorsese pede para se explicar

Quem sonha em fazer filmes enfrenta situação brutal, afirma cineasta

Silêncio na “República de Curitiba”

Com Lula solto, acampamentos de militantes se desfazem, e capital paranaense volta à rotina

Projeto da piauí é um dos vencedores de desafio do Google

"Refinaria de Histórias" vai transformar reportagens em séries, filmes e documentários

Maria Vai Com as Outras #6 – parte II: Trans – Gênero, corpo e trabalho

A advogada Márcia Rocha fala sobre a inserção de pessoas trans no mercado de trabalho formal

PT e aliados preparam campanha Lula-2022

Solto, ex-presidente vai percorrer o país e comandar oposição a Bolsonaro

Mais textos
1

Trégua negociada atrás das grades

Documento do sistema penitenciário mostra como chefes do tráfico presos em Rondônia disputam à distância o controle da Rocinha

2

Começo para uma história sem fim

Como uma foto, um porteiro e um livro de registros complicaram ainda mais a investigação do caso Marielle

3

Bolsonaro, Marielle e a tempestade no Twitter

Entre os voos para Brasília e a presença do então deputado na Câmara, tempo apertado afasta hipótese de que Bolsonaro estivesse no Rio para receber acusado de matar vereadora  

4

A vida dos outros e a minha

Memórias de uma estudante brasileira fichada pela Stasi

5

Silêncio na “República de Curitiba”

Com Lula solto, acampamentos de militantes se desfazem, e capital paranaense volta à rotina

6

O estelionatário

O brasileiro que enganou um mafioso italiano, políticos panamenhos e Donald Trump

7

PT e aliados preparam campanha Lula-2022

Solto, ex-presidente vai percorrer o país e comandar oposição a Bolsonaro

10

Os donos do Supremo

Professora da FGV critica poder absoluto da presidência da Corte sobre pauta de votação: “Pode levar todo o tribunal para o buraco”