questões hídricas & políticas_I

A água e a urna

Como Alckmin e Dilma atuaram na crise de abastecimento em São Paulo em ano eleitoral

Malu Delgado
A seca do Cantareira ainda provoca troca de acusações. O subsecretário de Comunicação de Alckmin diz que o PT tentou causar pânico para precipitar o racionamento; o presidente da Agência Nacional de Águas, que o estado gastou mais água do que poderia a fim de esconder a crise
A seca do Cantareira ainda provoca troca de acusações. O subsecretário de Comunicação de Alckmin diz que o PT tentou causar pânico para precipitar o racionamento; o presidente da Agência Nacional de Águas, que o estado gastou mais água do que poderia a fim de esconder a crise FOTO: SEBASTIÃO MOREIRA_(EPA) EFE_EFEVISUAL

Izabella Teixeira, ministra do Meio Ambiente, ligou seu iPad na manhã do último dia de janeiro de 2014 e quatro análises de centros de pesquisa do governo federal saltaram na tela. A obsessão da presidente Dilma Rousseff por gráficos e relatórios contaminara seus auxiliares, e era rotineira a divulgação de informações digitais entre ministros na Esplanada. A ministra não se conteve. Pegou o telefone e pediu uma audiência urgente com a presidente. Bateu à porta de Dilma com um dado alarmante, sobretudo em ano eleitoral: o chamado Sistema Cantareira, principal fornecedor de água para 9 milhões de pessoas no estado de São Paulo, estava secando a passos largos.

Os diagnósticos apontavam para o agravamento da estiagem no Sudeste em 2014, depois de um dezembro de 2013 atipicamente seco. Os dados sobre as condições pluviométricas, os baixos níveis dos reservatórios, a queda da umidade do solo e previsões meteorológicas pessimistas antecipavam um cenário de risco para a economia e a política. O colapso do principal centro produtivo do país agravaria ainda mais o quadro de crescimento pífio projetado pelos economistas. A quem o eleitor paulista, sem água na torneira, acabaria responsabilizando por uma eventual crise de abastecimento? E o pior: os reservatórios esvaziados afetariam a produção de eletricidade, trazendo risco de racionamento de energia.

MATÉRIA FECHADA PARA ASSINANTES
Para acessar, assine a piauí

Malu Delgado

Malu Delgado é jornalista. Foi repórter de piauí entre 2013 e 2015

Leia também

Últimas Mais Lidas

Atiaia, a onça no caminho de Bolsonaro

Governo federal apoia reabertura de estrada que corta Parque do Iguaçu, declarado patrimônio da Humanidade e refúgio de onças-pintadas

Foro de Teresina #65: O sequestro do ônibus, o aparelhamento bolsonarista e a desigualdade brasileira

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Nunca fui santa

Às vésperas da canonização de Irmã Dulce, quase 80% dos santos reconhecidos pela Igreja Católica ainda são homens

Cabeças a prêmio – naufrágio do cinema

Por idiossincrasia de Bolsonaro, mas também por nossa incapacidade de reformular a Ancine, estamos por afundar

Os podcasts que eles ouvem

Quais os programas queridinhos dos participantes do evento

Fogo na Amazônia apaga o Sol no Sul

Fumaça de queimadas combinadas em Rondônia, Bolívia e Paraguai cobre o Sol no norte do Paraná, a mais de 2 mil km de distância

Maria Vai Com as Outras #1: Poder

A prefeita Márcia Lucena e a delegada Cristiana Bento contam como exercem o poder em profissões quase sempre ocupadas por homens

Foro de Teresina especial: aguarde

O programa, que contou com a participação da jornalista Maria Cristina Fernandes, foi gravado ao vivo durante o evento que reuniu os melhores podcasters do país

Mais textos
1

Fogo na Amazônia apaga o Sol no Sul

Fumaça de queimadas combinadas em Rondônia, Bolívia e Paraguai cobre o Sol no norte do Paraná, a mais de 2 mil km de distância

2

A vovó fashion

Uma influencer e seus looks ousados

4

Atiaia, a onça no caminho de Bolsonaro

Governo federal apoia reabertura de estrada que corta Parque do Iguaçu, declarado patrimônio da Humanidade e refúgio de onças-pintadas

6

Nunca fui santa

Às vésperas da canonização de Irmã Dulce, quase 80% dos santos reconhecidos pela Igreja Católica ainda são homens

7

O pit bull do papai

Os tormentos e as brigas de Carlos Bolsonaro, o filho mais próximo do presidente

8

A hora dos descontentes

Por medo da diversidade, o Leste Europeu deixou de ver o liberalismo como modelo

10

A imprevidência chilena

Elogiado por Bolsonaro e Guedes, regime de capitalização implantado no Chile tem aposentadoria média inferior ao salário mínimo