questões hídricas & políticas_I

A água e a urna

Como Alckmin e Dilma atuaram na crise de abastecimento em São Paulo em ano eleitoral

Malu Delgado
A seca do Cantareira ainda provoca troca de acusações. O subsecretário de Comunicação de Alckmin diz que o PT tentou causar pânico para precipitar o racionamento; o presidente da Agência Nacional de Águas, que o estado gastou mais água do que poderia a fim de esconder a crise
A seca do Cantareira ainda provoca troca de acusações. O subsecretário de Comunicação de Alckmin diz que o PT tentou causar pânico para precipitar o racionamento; o presidente da Agência Nacional de Águas, que o estado gastou mais água do que poderia a fim de esconder a crise FOTO: SEBASTIÃO MOREIRA_(EPA) EFE_EFEVISUAL

Izabella Teixeira, ministra do Meio Ambiente, ligou seu iPad na manhã do último dia de janeiro de 2014 e quatro análises de centros de pesquisa do governo federal saltaram na tela. A obsessão da presidente Dilma Rousseff por gráficos e relatórios contaminara seus auxiliares, e era rotineira a divulgação de informações digitais entre ministros na Esplanada. A ministra não se conteve. Pegou o telefone e pediu uma audiência urgente com a presidente. Bateu à porta de Dilma com um dado alarmante, sobretudo em ano eleitoral: o chamado Sistema Cantareira, principal fornecedor de água para 9 milhões de pessoas no estado de São Paulo, estava secando a passos largos.

Os diagnósticos apontavam para o agravamento da estiagem no Sudeste em 2014, depois de um dezembro de 2013 atipicamente seco. Os dados sobre as condições pluviométricas, os baixos níveis dos reservatórios, a queda da umidade do solo e previsões meteorológicas pessimistas antecipavam um cenário de risco para a economia e a política. O colapso do principal centro produtivo do país agravaria ainda mais o quadro de crescimento pífio projetado pelos economistas. A quem o eleitor paulista, sem água na torneira, acabaria responsabilizando por uma eventual crise de abastecimento? E o pior: os reservatórios esvaziados afetariam a produção de eletricidade, trazendo risco de racionamento de energia.

MATÉRIA FECHADA PARA ASSINANTES
Para acessar, assine a piauí

Malu Delgado

Malu Delgado é jornalista. Foi repórter de piauí entre 2013 e 2015

Leia também

Últimas Mais Lidas

Foro de Teresina #52 especial de um ano: Parlamentarismo branco, atos pró-governo e o lobby do fuzil

Podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Acompanhe variação de humor sobre o governo Bolsonaro no Twitter

Gráfico mostra reação de usuários da rede social em relação às manchetes do dia

Em Trânsito – um olhar sobre o monstro que habita vários tempos históricos

Demonstração de talento neste filme notável tem sido desperdiçada pelo público brasileiro

O Twitter como bússola

Principal guia político de Bolsonaro, humor da rede social explica comportamento errático do presidente

Medo é laranja para quem espera avalanche marrom

A rotina de quem vive na cidade onde a parede de contenção de uma mina ameaça ceder e provocar o rompimento de uma barragem

Para não sair do hospital no escuro

A diferença que faz, para os pacientes, receber seus dados sobre tratamento e alta hospitalar – como manda novo Código de Ética Médica

O governo inconstitucional

Professora de direito constitucional escreve que decreto de Bolsonaro fere a autonomia universitária prevista na Constituição

Foro de Teresina #51: Moro no STF, o sigilo de Queiroz e Flavio e os protestos contra o governo

Podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Ministro toma caldo no #TsunamiDaEducação

Maia viaja, governo escorrega e Centrão deixa Weintraub falando sozinho na Câmara enquanto protestos tomam conta do país

Mais textos
1

Medo é laranja para quem espera avalanche marrom

A rotina de quem vive na cidade onde a parede de contenção de uma mina ameaça ceder e provocar o rompimento de uma barragem

2

Para não sair do hospital no escuro

A diferença que faz, para os pacientes, receber seus dados sobre tratamento e alta hospitalar – como manda novo Código de Ética Médica

4

O Twitter como bússola

Principal guia político de Bolsonaro, humor da rede social explica comportamento errático do presidente

7

No inferno, com Foucault

Bolsonaristas atacam mestranda

9

A escolinha anarcocapistalista do Ancapistão

Vacina e cinto de segurança são inimigos eleitos pelos ancaps, que já têm representante no governo Bolsonaro

10

Foro de Teresina #52 especial de um ano: Parlamentarismo branco, atos pró-governo e o lobby do fuzil

Podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana