vultos da floresta

A onça e a barragem

Por que o mais conhecido líder indígena do país é contra uma hidrelétrica a centenas de quilômetros de sua aldeia

Rafael Cariello
Em sua casa na aldeia Metuktire, no final de novembro, Raoni faz a mala para viajar à França, onde foi recebido pelo presidente François Hollande. “Antigamente o presidente da República no Brasil também me recebia. Agora o Lula e a Dilma não me deixam mais entrar lá”, reclamou o líder caiapó, que sempre buscou aliados estrangeiros
Em sua casa na aldeia Metuktire, no final de novembro, Raoni faz a mala para viajar à França, onde foi recebido pelo presidente François Hollande. “Antigamente o presidente da República no Brasil também me recebia. Agora o Lula e a Dilma não me deixam mais entrar lá”, reclamou o líder caiapó, que sempre buscou aliados estrangeiros FOTO: LATINSTOCK_JOHN VAN HASSELT_CORBIS_CORBIS (DC)

O dia se anunciava chuvoso e abafado na aldeia indígena Metuktire, erguida numa clareira aberta na mata às margens de um trecho largo e calmo do rio Xingu. Antes mesmo que o sol levantasse, homens jovens e adultos começaram a sair, silenciosos, de suas casas. Um a um, iam se afastando aos poucos das grandes construções de madeira, cobertas com a palha amarelada das folhas do inajá e dispostas ao redor de um amplo pátio central, como os dentes numa arcada ou as penas de um cocar. Já era hora de caçar ou de cuidar da roça.

Sentado no chão de terra batida de sua residência, com as pernas cruzadas e a coluna ereta, Ropni Metuktire lixava desde cedo um pedaço de madeira, a fim de dar forma final a seu novo botoque – o disco do tamanho da palma da mão que enfeita e estica seu lábio inferior. Mais conhecido pela forma aportuguesada de seu nome, Raoni chegara no dia anterior à aldeia, depois de passar um mês e meio distante da mulher, com quem teve dez filhos, cinco deles ainda vivos. De sua rede, amarrada a um dos pilares de mais de 10 metros de altura que sustentam a construção, Bekuika Metuktire observava o trabalho minucioso do marido.

MATÉRIA FECHADA PARA ASSINANTES

Rafael Cariello

Editor da piauí. Foi editorialista da Folha de S.Paulo e correspondente do jornal em Nova York

Leia também

Últimas Mais Lidas

Na piauí_167

A capa e os destaques da revista de agosto

Dispositivo de alerta

Morador provisório do Alvorada mostrou não estar à altura do cargo para o qual foi eleito, assim como seu clã de três zeros

Bolsonaro, o favorito?

Se não aumentar atual taxa de aprovação, presidente chegará a 2022 em situação desconfortável; até lá, arma a retranca e joga a torcida contra o juiz

No app da inclusão

Jovens negros da periferia apostam na tecnologia como ferramenta contra o racismo

Foro de Teresina #111: A república rachada de Bolsonaro

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Álcool, pancadas na cabeça e poluição, novos riscos para o Alzheimer

Teste aponta propensão para a doença vinte anos antes de sintomas aparecerem; estudo inédito identifica três novos fatores a evitar para não desenvolver o mal

Moral religiosa é mais forte no Brasil do que em países com renda parecida 

Diretor de escola de Oxford analisa pesquisa global do Pew Research sobre moralidade e fé e explica por que a cultura brasileira faz do país um ponto fora da curva na questão

Mortes visíveis – o reencontro de Sérgio Ricardo, Dib Lutfi e Glauber Rocha

Contaminados pelo novo coronavírus, milhares de mulheres e homens perderam a vida – morreram de Brasil

De Quixeramobim a Oxford

Como um estudante do interior do Ceará se tornou um dos pesquisadores no rastro do genoma do Sars-CoV-2

Mais textos
2

Deus e o Diabo estão nos detalhes

Notas sobre a importância do desimportante

3

A morte e a morte do Capitão América

Baudrillard, o franco-atirador da teoria de que tudo é ilusão, mandou o Capitão América desta para a pior

4

Carbonos do pop

Falsos gringos e indústria cover no lado B da canção brasileira

5

Por que as crianças gostam de Valtidisnei

De como me perdi de minha família ao ver Pinocchio, fui parar num reformatório, e a reencontrei numa sessão de Bambi

6

O taxista carioca

Armando Japiassú dirige com o cotovelo para fora, finge que o ar-condicionado quebrou agorinha mesmo e definitivamente não acredita que a reta seja o caminho mais curto entre dois pontos 

7

Uma arma, dois assassinatos e uma só tragédia no Rio

Como uma mesma pistola 9 mm de uso restrito está diretamente ligada às mortes de um sniper e de um PM em menos de 24 horas na capital carioca

9

A guerra do Cashmere

Como João Doria Júnior se tornou candidato a prefeito e implodiu o PSDB de São Paulo

10

Dentro do pesadelo

O governo Bolsonaro e a calamidade brasileira