anais da moda

Bafo em Paris

O caminho do jovem estilista brasileiro Pedro Lourenço rumo ao reconhecimento internacional

Daniela Pinheiro
“A brasileira quer roupa que mostre o peito com silicone, a barriga malhada. Ela só gasta dinheiro em vestido de casamento. E tem que ser 

tomara que caia e comprido”, disse Lourenço
“A brasileira quer roupa que mostre o peito com silicone, a barriga malhada. Ela só gasta dinheiro em vestido de casamento. E tem que ser tomara que caia e comprido”, disse Lourenço FOTO: EGBERTO NOGUEIRA / ÍMÃ FOTOGALERIA_2013

Em março, nas rodas mais animadas de Paris, só se falava da fuga de Gérard Depardieu para a Bélgica atrás de impostos mais camaradas, das almôndegas de cavalo vendidas como carne de boi na Ikea e dos desfiles da Semana de Moda da capital francesa, considerada a mais importante do mundo. O estilista Pedro Lourenço – o mais jovem e único brasileiro a desfilar no prêt-à-porter parisiense nos últimos anos – estava na cidade para mostrar sua coleção outono-inverno 2014.

Faltando pouco para as dez da manhã, podia ser visto de pernas cruzadas em uma cadeira Luís XV, forrada de tecido azul-bebê. Lourenço, a cadeira e o tecido se encontravam no hotel Le Bristol, localizado na rua Faubourg Saint-Honoré, onde hordas de todos os sexos e idades formam fila para detonar ienes, yuans, dólares, petrodólares, rúpias, rublos, euros e reais em lojas como Christian Louboutin e Chanel.

MATÉRIA FECHADA PARA ASSINANTES

Daniela Pinheiro

Daniela Pinheiro foi jornalista da piauí entre 2007 e 2017

Leia também

Últimas Mais Lidas

Quem ri com Bolsonaro

Na porta do Alvorada, empresário apoia agressão a jornalista; nas redes, estratégia bolsonarista amplia alcance de ataques

Seguro sinistro

Despachante de "associações de proteção" oferece prêmio a policiais para recuperar carros roubados no Rio

Foro de Teresina #89: As mentiras de Bolsonaro, a caserna no Planalto e os tiros contra Cid Gomes

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Tanque atropela patinete

Militares e policiais acendem pavio para implodir agenda de Paulo Guedes

Greve, motim e chantagem pelo poder

Bolsonaro usa demandas dos policiais para enfraquecer governadores, em especial os de oposição

“A jornalistas, oferecem dinheiro ou chumbo”

Repórter reconstitui assassinato do jornalista Léo Veras e lembra rotina de violência do narcotráfico na região

O Farol – fantasia extravagante 

Escassez de opções e presença de Willem Dafoe levam colunista a cair no conto do “horror cósmico com toques sobrenaturais”

Coronavírus espreita a Olimpíada

A cinco meses dos jogos, Tóquio vê turistas fugirem e máscaras acabarem

Maria Vai Com as Outras #1: A necessidade faz o sapo pular

A camelô Maria de Lourdes e a costureira Alessandra Reis falam da rotina como profissionais autônomas num mercado informal: o das calçadas do Centro do Rio e o da Marquês de Sapucaí

Mais textos
1

Greve, motim e chantagem pelo poder

Bolsonaro usa demandas dos policiais para enfraquecer governadores, em especial os de oposição

2

Quem ri com Bolsonaro

Na porta do Alvorada, empresário apoia agressão a jornalista; nas redes, estratégia bolsonarista amplia alcance de ataques

3

A pensão de 107 anos

Herdeiros de servidor público receberam legalmente benefício da Previdência de 1912 a 2019 – atravessando nove moedas e trinta presidentes brasileiros

5

Laudos, versões e milícia

Documentos e imagens da casa onde miliciano Adriano da Nóbrega foi morto contradizem relato de policiais sobre operação

6

Tanque atropela patinete

Militares e policiais acendem pavio para implodir agenda de Paulo Guedes

7

Coronavírus espreita a Olimpíada

A cinco meses dos jogos, Tóquio vê turistas fugirem e máscaras acabarem

8

Seguro sinistro

Despachante de "associações de proteção" oferece prêmio a policiais para recuperar carros roubados no Rio

9

Foro de Teresina #89: As mentiras de Bolsonaro, a caserna no Planalto e os tiros contra Cid Gomes

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

10

“A jornalistas, oferecem dinheiro ou chumbo”

Repórter reconstitui assassinato do jornalista Léo Veras e lembra rotina de violência do narcotráfico na região