cartas

Entre perdas e danos

PERCA IRREPARÁVEL 

Foi uma tremenda imprudência a demissão de Chantecler. Tendo demonstrado seus poderes, ou melhor, relacionamentos com a Receita Federal e a justiça trabalhista, piauí  agiu de forma temerária, ignorando tolamente os riscos de sua iniciativa. Temo pelo fim de sua circulação, o que seria uma perca irreparável para a comunidade piauiense.

SERGIO BUENO_SÃO PAULO, SP

Nota da Redação: não tema. Os astros protegem piauí, com ou sem Chantecler.

 

ETERNO HOSPíCIO
Bomba, bomba! É muito bom ter acesso a um conhecimento, diria eu, de história, de política, de contos, de fatos! Mas também do inconsciente, de homens mal fadados, do fim e início do mundo. E que mundo, cheio de torpeza, assim como seus homens, que despreza esses mesmos homens… Isso aqui é um eterno hospício, afinal, trabalho em um. E viva a sociedade alternativa, em parceria com a brilhante e alegre revista piauí!

JOILSON BERGHER_VITÓRIA DA CONQUISTA, BA

 

HISTÓRIA PUNGENTE

Acabo de ler na piauí a matéria sobre o Cesare Battisti. Traduzi alguns livros da escritora francesa Fred Vargas, e foi por seu intermédio que soube do caso Battisti. Fiz contato com alguns editores no Brasil e, no momento, traduzo um livro dele, Ma Cavale, que deve sair até o final do ano. Está sendo uma experiência e tanto ficar mergulhada várias horas por dia numa história tão pungente. Sentia necessidade de conversar sobre isso, e de saber que mais pessoas se interessam pelo caso. Foi muito bacana ler o artigo, sensível e sério.
DOROTHÉE DE BRUCHARD_FLORIANÓPOLIS, SC

 

PIAUÍ MUNDIAL
Algumas reportagens parecem ser reproduções
de artigos previamente publicados em revistas americanas, especialmente a
New Yorker. O artigo “Côncavo e convexo”, em particular, me lembra muito um texto que li tempos atrás naquela revista americana. Assino a piauí pela originalidade de seus artigos, criatividade e qualidade de seus jornalistas/escritores. Ficaria muito decepcionado se o direcionamento editorial for pela reprodução de artigos, em vez da criação de conteúdo.
JOÃO HENRIQUE SCHMIDT_ SÃO PAULO, SP
Nota da Redação: além das maravilhas que produzimos na redação, apreciamos  tesouros alheios, e ficamos felizes quando conseguimos adquirir os direitos de reprodução de textos estrangeiros – sejam poemas, reportagens, cartuns.  Para nós, o mundo todo cabe na piauí.

 

DEIXA VER SE EU ENTENDI

O sr. Bruno Maranhão, líder do Movimento de Libertação dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra, foi mais rápido e mais esperto e ocupou uma fazenda falida, que sua família iria adquirir. Virou herói porque enganou a família em prol dos sem-terra. O “grande líder” aloja seus seguidores, coloca-os para trabalhar, paga abaixo do preço de mercado e fornece o produto para os usineiros da sua família. E nem precisa pagar os direitos trabalhistas.

Que lindo!

HELENA MARIA DE SOUZA_RIO DE JANEIRO, RJ

 

Leia também

Últimas Mais Lidas

Foro de Teresina #14: O ventríloquo de Haddad, a sucessão no Rio e o primeiro-ministro de Bolsonaro

O podcast de política da piauí debate os desdobramentos mais recentes da corrida eleitoral

O Animal Cordial – horas de desespero em noite de cão

Para crítico, a violência extrema anula os propósitos libertários almejados pelo longa

Muito Deus, pouca mulher

Uma análise visual dos programas de governo dos candidatos a presidente

Tempo eleitoral: modos de usar

Os dilemas do PSDB e do PT numa disputa atípica

Produtor de soja do MS é autor de “outdoor rural” pró-Bolsonaro

Projeto Comprova descobriu quem é o responsável pela imagem que viralizou e circula na internet desde o ano passado

A culpa do alto clero

Arranjo institucional do país aumenta a influência do dinheiro na política

O Grenal das vices

20 perguntas para mostrar as muitas diferenças e os poucos pontos em comum entre as gaúchas Manuela D’Ávila e Ana Amélia

Bolsonaro fala outra língua

O ex-capitão é o único presidenciável da era da conectividade

Maria vai com as outras #6: Lugar de homem

Adinaildes Gomes, dona de uma empresa de construção civil e motorista de aplicativo, e Karla de Souza, vigilante patrimonial, contam como é atuar em profissões historicamente masculinas

O medo e o mito

A relação entre Bolsonaro e um hit do axé

Mais textos
1

Alexandre, o Grande

Lembranças de uma vida inimitável

2

O debate traduzido para o mercado financeiro

Em pesquisa para bancos, Ciro foi apontado como o candidato mais simpático, e Bolsonaro, o mais alvejado; piauí acompanhou o programa em consultoria que monitora redes sociais para as instituições

3

Bolsonaro fala outra língua

O ex-capitão é o único presidenciável da era da conectividade

4

A morte de um “X-9” ameaça a paz de Marcola no PCC

Galo Cego era considerado um traidor por parte da facção; foi a quinta morte na guerra interna do “partido”

5

A guerra do PCC

Facção se internacionaliza com tráfico de cocaína, e pela primeira vez Marcola vê seu poder ameaçado

6

O Grenal das vices

20 perguntas para mostrar as muitas diferenças e os poucos pontos em comum entre as gaúchas Manuela D’Ávila e Ana Amélia

7

No sofá, com a crise

Desempregados passam a lavar carros em ruas do Rio e serviço conta até com sofá para os clientes. Um deles pergunta: “Prefere que eu assalte?”

9

Com Deus, sem Lula

Impressões sobre o primeiro debate dos presidenciáveis

10

Dívida milionária, tortura psicológica e chacina sem tiros intrigam polícia

Em Santa Catarina, família é assassinada com uso de técnica de asfixia química até então desconhecida por investigadores