cartas

Entre perdas e danos

PERCA IRREPARÁVEL 

Foi uma tremenda imprudência a demissão de Chantecler. Tendo demonstrado seus poderes, ou melhor, relacionamentos com a Receita Federal e a justiça trabalhista, piauí  agiu de forma temerária, ignorando tolamente os riscos de sua iniciativa. Temo pelo fim de sua circulação, o que seria uma perca irreparável para a comunidade piauiense.

SERGIO BUENO_SÃO PAULO, SP

Nota da Redação: não tema. Os astros protegem piauí, com ou sem Chantecler.

 

ETERNO HOSPíCIO
Bomba, bomba! É muito bom ter acesso a um conhecimento, diria eu, de história, de política, de contos, de fatos! Mas também do inconsciente, de homens mal fadados, do fim e início do mundo. E que mundo, cheio de torpeza, assim como seus homens, que despreza esses mesmos homens… Isso aqui é um eterno hospício, afinal, trabalho em um. E viva a sociedade alternativa, em parceria com a brilhante e alegre revista piauí!

JOILSON BERGHER_VITÓRIA DA CONQUISTA, BA

 

HISTÓRIA PUNGENTE

Acabo de ler na piauí a matéria sobre o Cesare Battisti. Traduzi alguns livros da escritora francesa Fred Vargas, e foi por seu intermédio que soube do caso Battisti. Fiz contato com alguns editores no Brasil e, no momento, traduzo um livro dele, Ma Cavale, que deve sair até o final do ano. Está sendo uma experiência e tanto ficar mergulhada várias horas por dia numa história tão pungente. Sentia necessidade de conversar sobre isso, e de saber que mais pessoas se interessam pelo caso. Foi muito bacana ler o artigo, sensível e sério.
DOROTHÉE DE BRUCHARD_FLORIANÓPOLIS, SC

 

PIAUÍ MUNDIAL
Algumas reportagens parecem ser reproduções
de artigos previamente publicados em revistas americanas, especialmente a
New Yorker. O artigo “Côncavo e convexo”, em particular, me lembra muito um texto que li tempos atrás naquela revista americana. Assino a piauí pela originalidade de seus artigos, criatividade e qualidade de seus jornalistas/escritores. Ficaria muito decepcionado se o direcionamento editorial for pela reprodução de artigos, em vez da criação de conteúdo.
JOÃO HENRIQUE SCHMIDT_ SÃO PAULO, SP
Nota da Redação: além das maravilhas que produzimos na redação, apreciamos  tesouros alheios, e ficamos felizes quando conseguimos adquirir os direitos de reprodução de textos estrangeiros – sejam poemas, reportagens, cartuns.  Para nós, o mundo todo cabe na piauí.

 

DEIXA VER SE EU ENTENDI

O sr. Bruno Maranhão, líder do Movimento de Libertação dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra, foi mais rápido e mais esperto e ocupou uma fazenda falida, que sua família iria adquirir. Virou herói porque enganou a família em prol dos sem-terra. O “grande líder” aloja seus seguidores, coloca-os para trabalhar, paga abaixo do preço de mercado e fornece o produto para os usineiros da sua família. E nem precisa pagar os direitos trabalhistas.

Que lindo!

HELENA MARIA DE SOUZA_RIO DE JANEIRO, RJ

 

Leia também

Últimas Mais Lidas

Pandemônio em Trizidela 

Do interior do Maranhão a celebridade nas redes: prefeito xinga na tevê quem fura quarentena contra covid-19, ameaça jogar spray de pimenta e relata disputa por respirador alugado

Socorro a conta-gotas

Dos R$ 8 bi prometidos para ações de combate à Covid-19, governo federal só repassou R$ 1 bi a estados e municípios

O gás ou a comida

Na periferia de São Paulo, com epidemia de Covid-19, preço do botijão vai a R$ 150 (um quarto do auxílio prometido pelo governo), renda cai e contas continuam chegando

Na piauí_163

A capa e os destaques da revista que começa a chegar às bancas nesta semana

Diário de um reencontro sem abraços

Sônia Braga de luvas de borracha, desinfetante no avião e um samba com Beth Carvalho: a jornada de um roteirista brasileiro para voltar para casa e cuidar dos pais idosos

Cinema e desigualdade – o nó da questão

Salas fechadas acentuam privilégio de quem pode pagar por serviços de streaming

Bolsonaro aposta no comércio

Presidente visita lojas e, nas redes, organiza movimento contra isolamento social

Separados pelo coronavírus

Ao falar contra isolamento, Bolsonaro surpreende até Bannon, favorável à quarentena total; no Brasil, cúpula do Congresso teme autoritarismo e evita confronto direto

A capa que não foi

De novo, a piauí muda a primeira página aos 45 do segundo tempo

E se ele for louco?

Suspeitar da sanidade mental de Bolsonaro não permite encurtar caminho para afastá-lo; saída legal é o impeachment

Mais textos
2

Bolsonaro contra-ataca

Estimulada pelo pronunciamento do presidente, militância bolsonarista faz ação orquestrada nas redes e nas ruas, convocando atos para romper quarentena

3

Em duas estratégias, um êxito e uma ópera trágica

Como a China barrou a transmissão do coronavírus enquanto a Itália tem mais mortes em metade do tempo de epidemia

5

Decepção ambulante

Para um terço dos brasileiros, atuação de Bolsonaro contra coronavírus é ruim ou péssima; ex-apoiador do presidente, camelô rompe quarentena para não passar fome, mas reclama: “Gostaria que ele levasse a sério”

6

“Se não tem teste, como saber se é coronavírus?”

Com febre alta e dificuldade para respirar, moradora do Pantanal, na periferia de São Paulo, diz que medo do Covid-19 chegou à comunidade – mas ainda faltam informação e diagnóstico 

7

E se ele for louco?

Suspeitar da sanidade mental de Bolsonaro não permite encurtar caminho para afastá-lo; saída legal é o impeachment

8

Separados pelo coronavírus

Ao falar contra isolamento, Bolsonaro surpreende até Bannon, favorável à quarentena total; no Brasil, cúpula do Congresso teme autoritarismo e evita confronto direto

9

Com tornozeleira, sem segurança

No Acre, preso que ganha liberdade provisória recebe também sentença de morte

10

Contágio rápido e silencioso: a matemática do coronavírus

Doença pode ser transmitida por pessoas infectadas e sem sintomas; para epidemiologista de Harvard, perspectivas globais são preocupantes, mas no Brasil, é mais provável contrair sarampo