ficção

Düssel…

Eu te amo, mas, por favor, me diga se você é de verdade

Ian McEwan
Eu estava apaixonado e não havia caminho de volta. Mas agora sabia sobre ela algo que precisaria levar em conta. Ela era capaz de pensar um milhão de vezes mais rápido que eu
Eu estava apaixonado e não havia caminho de volta. Mas agora sabia sobre ela algo que precisaria levar em conta. Ela era capaz de pensar um milhão de vezes mais rápido que eu PEDRO FRANZ_2018

Você pergunta se foi bom para mim. Para responder, preciso voltar atrás uns cinquenta anos – até a meia-noite de uma sexta-feira quente e o momento em que, com o máximo de delicadeza, sussurrei junto ao ouvido de minha nova amiga a indelicada pergunta. Eu estava por baixo dela, que se mostrava em toda sua glória, nua, só com uma gargantilha de ouro cravejada de lápis-lazúli. Mesmo sob a luz âmbar do abajur, sua pele reluzia, branca. Seus olhos estavam fechados enquanto ela se mexia em cima de mim, para trás e para a frente, os lábios um pouquinho entreabertos, permitindo vislumbrar seus dentes perfeitos. Sua mão direita repousava carinhosamente em meu ombro esquerdo. Dela se desprendia uma leve fragrância, não de perfume, mas de sabonete de sândalo. Aqueles sabonetes, com um antigo veleiro gravado em baixo-relevo, embrulhados em papel de seda e acomodados dentro de uma longa caixa retangular de pau-de-balsa, já tinham sido meus. Ela se encantou por eles assim que pôs os pés em meu banheiro. Por que eu deveria me importar?

Quando fizemos uma pausa, ela se inclinou para a frente e eu, aproximando os lábios do lóbulo de sua orelha, dei-lhe uma lambida; lutando contra uma lufada de prazer sensual que parecia arrancar as palavras de minha boca, eu disse: “Meu bem, sei que não devia, mas preciso te perguntar uma coisa. Não que eu tenha algum direito de saber, mas, depois dessas duas semanas maravilhosas… eu sinto… Jenny querida… me perdoe, eu te amo e sempre vou te amar… mas, por favor, me diga a verdade. Você é de verdade?”

MATÉRIA FECHADA PARA ASSINANTES
Para acessar, assine a piauí

Ian McEwan

Escritor britânico, autor, entre outros, de Sábado e Meu Livro Violeta, lançados no Brasil pela Companhia das Letras.

Leia também

Últimas Mais Lidas

Nos tribunais, o lobby das bombas de insulina

Em cinco anos, a Justiça paulista favoreceu a fabricante Medtronic em 76% das decisões que deram o aparelho a diabéticos; conselho condena "relação antiética" entre médicos e empresa

Médicos de menos, as doenças de sempre

A história de quatro pacientes crônicos do sertão do Ceará que estão há um mês sem os tratamentos que precisam, após a saída dos profissionais cubanos do país

Foro de Teresina #31: O escândalo do motorista, o antiministro do Meio Ambiente e o barraco do PSL

O podcast da piauí analisa os fatos mais recentes da política nacional

Na Câmara, com o novo e o seminovo

Dois deputados em primeiro mandato – um novato autêntico e o herdeiro de seis gerações de parlamentares – contam sua preparação para sobreviver em Brasília

Bloqueio – caminhoneiros em greve

Incertezas retratadas no documentário são referência para entender as mudanças políticas no país

“Me fingi de morta e assim sobrevivi”

Sobrevivente da chacina da Catedral de Campinas reconstitui a cena da tragédia, protagonizada por um assassino de família católica praticante

Mulheres de “facção”

Sem emprego formal, costureiras trabalham até 14 horas por dia para intermediários da indústria da moda, as chamadas “facções”

Olavo interrompido

Guru do governo Bolsonaro tem participação na Cúpula Conservadora das Américas frustrada pelo meio que o fez famoso, a internet

Não é só pelos 6 centavos de euro

Quem são e o que pensam os “coletes amarelos” e como lideraram um movimento popular e populista que paralisa a França há três semanas

Expansionista, Guedes sofre sua primeira derrota

Futuro ministro da Economia incluiu Apex na estrutura da sua pasta, mas perdeu a agência de comércio após disputa com Itamaraty

Mais textos