questões audiovisuais

Filmes de comentário

Diretores de Contagem, cidade industrial em Minas Gerais, renovam o cinema brasileiro

Tiago Coelho
Os diretores de Contagem: eles rechaçam a ideia de que sejam “representantes” das pessoas da periferia. “Nós falamos com essas pessoas, não em nome delas”, diz Maurílio Martins
Os diretores de Contagem: eles rechaçam a ideia de que sejam “representantes” das pessoas da periferia. “Nós falamos com essas pessoas, não em nome delas”, diz Maurílio Martins ILUSTRAÇÃO: VITO QUINTANS_2020

Quando Gabriel Martins chegou à Rua Imbuia, em Contagem, cidade vizinha a Belo Horizonte, acenou para um velhinho branco que descansava numa cadeira de balanço na entrada de uma pequena loja de móveis usados. “Ô, Seu Delardino!”, disse o rapaz negro, de 32 anos, cabelo black, indo até o homem para cumprimentá-lo. “Como vai o senhor? Bom demais?” Delardino balançou a cabeça positivamente e perguntou: “E os filmes?” “Estão indo, logo sai mais um.”

Gabriel seguiu pela rua, passou diante de mercadinhos, igrejas evangélicas e entrou na casa de Maurílio Martins, com quem não tem nenhum parentesco, apesar do sobrenome. É uma casa térrea, de muro alto, desmembrada de uma residência maior e contígua, onde vive a mãe do amigo. Na cozinha do conjugado pequeno e confortável, Maurílio, um rapaz branco de 41 anos, fazia um café. “Trouxe o filme, Gabito?”, ele perguntou. Gabriel enfiou a mão no bolso e sacou de lá um pen drive. Pouco depois, chegou André Novais Oliveira, um negro de 36 anos, alto e corpulento. Muito à vontade, André sentou-se numa cadeira diante da tevê e tirou o tênis. “Vamos assistir?”, disse Gabriel, ajustando o pen drive na tevê de 43 polegadas.

MATÉRIA FECHADA PARA ASSINANTES

Tiago Coelho

Repórter da piauí e roteirista

Leia também

Últimas Mais Lidas

Na piauí_167

A capa e os destaques da revista de agosto

Dispositivo de alerta

Morador provisório do Alvorada mostrou não estar à altura do cargo para o qual foi eleito, assim como seu clã de três zeros

Bolsonaro, o favorito?

Se não aumentar atual taxa de aprovação, presidente chegará a 2022 em situação desconfortável; até lá, arma a retranca e joga a torcida contra o juiz

No app da inclusão

Jovens negros da periferia apostam na tecnologia como ferramenta contra o racismo

Foro de Teresina #111: A república rachada de Bolsonaro

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Álcool, pancadas na cabeça e poluição, novos riscos para o Alzheimer

Teste aponta propensão para a doença vinte anos antes de sintomas aparecerem; estudo inédito identifica três novos fatores a evitar para não desenvolver o mal

Moral religiosa é mais forte no Brasil do que em países com renda parecida 

Diretor de escola de Oxford analisa pesquisa global do Pew Research sobre moralidade e fé e explica por que a cultura brasileira faz do país um ponto fora da curva na questão

Mortes visíveis – o reencontro de Sérgio Ricardo, Dib Lutfi e Glauber Rocha

Contaminados pelo novo coronavírus, milhares de mulheres e homens perderam a vida – morreram de Brasil

De Quixeramobim a Oxford

Como um estudante do interior do Ceará se tornou um dos pesquisadores no rastro do genoma do Sars-CoV-2

Mais textos
2

Deus e o Diabo estão nos detalhes

Notas sobre a importância do desimportante

4

A morte e a morte do Capitão América

Baudrillard, o franco-atirador da teoria de que tudo é ilusão, mandou o Capitão América desta para a pior

5

Por que as crianças gostam de Valtidisnei

De como me perdi de minha família ao ver Pinocchio, fui parar num reformatório, e a reencontrei numa sessão de Bambi

6

Carbonos do pop

Falsos gringos e indústria cover no lado B da canção brasileira

7

A guerra do Cashmere

Como João Doria Júnior se tornou candidato a prefeito e implodiu o PSDB de São Paulo

8

Dentro do pesadelo

O governo Bolsonaro e a calamidade brasileira

9

Falta combinar no WhatsApp

Por 24 horas, a piauí acompanhou quatro grupos de caminhoneiros no aplicativo; viu minuto a minuto eles se insurgirem contra as forças federais, desprezarem o acordo de Temer e se negarem a encerrar a paralisação

10

O matemático que deu profundidade à superfície

Geômetra Manfredo do Carmo, fundador de seu campo de pesquisa no Brasil e pesquisador emérito do Impa, morre aos 89 anos