questões cênicas

Garrincha em forma

Um herói brasileiro na linha de produção de Robert Wilson

Paula Scarpin
Dentre as muitas habilidades de Annick Lavallé-Benny, é notável sua capacidade de interpretar garatujas. Qual uma engenheira que precisa pôr em pé a obra de um arquiteto maluco, a cenógrafa combina as referências rascunhadas por Bob Wilson para montar as cenas no computador e pensar nos mecanismos para transpô-las ao palco
Dentre as muitas habilidades de Annick Lavallé-Benny, é notável sua capacidade de interpretar garatujas. Qual uma engenheira que precisa pôr em pé a obra de um arquiteto maluco, a cenógrafa combina as referências rascunhadas por Bob Wilson para montar as cenas no computador e pensar nos mecanismos para transpô-las ao palco ILUSTRAÇÃO: ANNICK LAVALLÉE-BENNY SOBRE ESTRUTURA DE ROBERT WILSON

 English version

“Chora, desabafa o teu peito”, começa a entoar uma Elza Soares envergando um vestido de plumas vermelhas, a cabeça coroada por um enorme turbante igualmente escarlate. As seis pessoas na plateia da boate emudecem. No ápice da canção Pranto Livre – “Quem não teve amor nunca sofreu” –, o som do microfone é cortado e a outra metade do palco é iluminada. Um Garrincha descalço, com a camisa do Botafogo sem o escudo, emula com uma bola imaginária dribles que mais parecem movimentos de capoeira. São cinco da tarde, e é nesse momento que um homem alto, de meia-idade, entra pela lateral do teatro, interrompendo o ensaio.

MATÉRIA FECHADA PARA ASSINANTES

Paula Scarpin

Foi repórter da revista por doze anos, e fundou a rádio piauí. É diretora de criação da Rádio Novelo.

Leia também

Últimas

A linha cruzada de Max

Como um empurrão de Flávio Bolsonaro ajudou a minúscula telecom do dono da Precisa Medicamentos – e por que a Xis está no jogo bilionário do 5G

Cinemateca Brasileira em chamas – II

Foi preciso um fogaréu para comover quem ignorou o abandono da instituição

Garras olímpicas

Mais presentes nos pódios brasileiros do que em edições passadas, unhas decoradas também são parte da história dos jogos

A noite mais fria, na capital mais fria

As histórias de quem vive nas ruas geladas de Curitiba  - e por que muitos ainda recusam acolhimento nos abrigos públicos

Mais textos