vultos da tevê

Humoristicamente correto

Como Marcius Melhem e sua equipe desafiam a tradicional comédia brasileira

Tiago Coelho
O grupo de humoristas ligados a Marcius Melhem e Marcelo Adnet (os primeiros à esquerda) está em consonância com uma tendência mundial que coloca o humor na linha de frente das críticas a governos conservadores, como ocorre nos Estados Unidos, em relação a Donald Trump
O grupo de humoristas ligados a Marcius Melhem e Marcelo Adnet (os primeiros à esquerda) está em consonância com uma tendência mundial que coloca o humor na linha de frente das críticas a governos conservadores, como ocorre nos Estados Unidos, em relação a Donald Trump MARCOS MICHAEL_2019

Seis dias depois que Marielle Franco foi assassinada com quatro tiros na cabeça, o humorista Marcius Melhem, criador, ator e redator final de Tá no Ar, da Rede Globo, convocou a redação do programa humorístico para uma reunião extraordinária. No encontro, disse que sentia a necessidade de haver na próxima edição do programa uma homenagem à vereadora. Em seguida, pediu uma reunião com o diretor-geral da emissora, Carlos Henrique Schroder, contou sobre sua intenção e mostrou as duas opções de homenagem que tinha elaborado junto com sua equipe.

O projeto escolhido foi levado para o setor de computação gráfica. “Bota no ar”, disse o diretor-geral à Melhem, depois de ver o resultado. Na noite de 20 de março do ano passado, terça-feira, o programa humorístico terminou com uma mudança inesperada para o espectador: o miolo do tradicional logotipo esférico da emissora transmutava-se na silhueta em negro do perfil da vereadora e seu cabelo black power, adornado com uma faixa colorida nas cores do arco-íris. Ao lado da imagem, aparecia escrito: “Marielle Presente”.

MATÉRIA FECHADA PARA ASSINANTES
Para acessar, assine a piauí

Tiago Coelho

Repórter da piauí e roteirista

Leia também

Últimas Mais Lidas

Ascensão e queda de um ex-Van Gogh

Tela do Masp atribuída ao pintor holandês tem autoria revista e inspira debate sobre valor artístico

Um bicheiro no centro do poder

A rede de assassinatos, amizades e dinheiro que cerca Jamil Name no Mato Grosso do Sul

Seis conclusões sobre o modelo do mundo sem a Amazônia 

O preço que o Brasil e o mundo pagarão caso a floresta continue a ser derrubada para dar lugar à pecuária

O mundo sem a Amazônia

Modelo climático prevê efeitos da conversão da floresta em pasto: diminuição de 25% das chuvas no Brasil e aumento da temperatura, com prejuízo "catastrófico" para agricultura e produção de energia

Foro de Teresina #73: Autofagia no governo, crise na oposição e o óleo nas praias do Nordeste

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Domingo – um dia especial

Filme paga preço alto ao ser lançado agora, quando expectativa de “nova era” se mostrou ilusória

O novo Posto Ipiranga

Ex-capitão do Exército transformado em ministro da Infraestrutura cresce no Twitter e na agenda positiva do governo Bolsonaro 

Brasil mais longe da Europa

“Efeito Bolsonaro” afasta turistas europeus e prejudica negócios

Maria Vai Com as Outras #5: Crime e castigo contra a mulher

Uma socióloga e uma defensora pública falam dos efeitos que a violência tem na vida profissional das mulheres

Mais textos
1

Brasil mais longe da Europa

“Efeito Bolsonaro” afasta turistas europeus e prejudica negócios

2

Fala grossa e salto fino

As façanhas de Joice Hasselmann, do rádio ao Congresso

3

Mitificação de Eduardo, demonização da esquerda

Em evento bolsonarista, filho do presidente e ministros apresentam rivais como mal radical, em sintoma da deterioração democrática no país

4

Um bicheiro no centro do poder

A rede de assassinatos, amizades e dinheiro que cerca Jamil Name no Mato Grosso do Sul

6

O novo Posto Ipiranga

Ex-capitão do Exército transformado em ministro da Infraestrutura cresce no Twitter e na agenda positiva do governo Bolsonaro 

7

O mundo sem a Amazônia

Modelo climático prevê efeitos da conversão da floresta em pasto: diminuição de 25% das chuvas no Brasil e aumento da temperatura, com prejuízo "catastrófico" para agricultura e produção de energia

8

Letra preta

Os negros na imprensa brasileira

10

A volta do concurso literário mensal da piauí

Além da frase “Eduardo, meu filho, esse hambúrguer é orgânico?” o texto de outubro deve ter o seguinte ingrediente improvável: 'Oswaldo Montenegro'