esquina

Laser na bochecha

A dermatologista dos Bolsonaro

Marcella Ramos
ILUSTRAÇÃO: Andrés Sandoval_2019

Priscilla Campelo se debruçou sobre o rosto de Michelle Bolsonaro com um instrumento semelhante a uma pistola. Apertou um botão e disparou um laser vermelho contra a bochecha direita da primeira-dama. Usando um vestido marrom de bolinhas brancas e luvas cirúrgicas azuis, a dermatologista deu um passo para trás, tirou os óculos protetores de resíduo e apalpou o queixo da paciente, enquanto checava a bochecha esquerda. De olhos tapados por protetores prateados, parecidos com os de bronzeamento artificial, Michelle sussurrou: “Tá ótimo.”

O vídeo com o tratamento foi gravado em Brasília na véspera da viagem da comitiva presidencial aos Estados Unidos para a abertura da Assembleia Geral da ONU, em 24 de setembro. A dermatologista tinha improvisado um consultório no Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência, e, ao final da aplicação, ela e Michelle posaram ao lado do instrumento: uma Etherea MX, fabricada pela empresa brasileira Vydence, que anuncia o produto como a plataforma a laser mais completa do mercado. O laser serve para estimular a produção de colágeno e uniformizar a textura e a coloração da pele, entre outras utilidades. O tratamento feito por Campelo pode custar entre 450 e 7 mil reais.

A dermatologista começou a atender a primeira-dama em 2017, quando Jair Bolsonaro tinha em torno de 16% de apoio a sua candidatura à Presidência. Logo, as duas mulheres se tornaram amigas. Em junho do ano passado, época da campanha presidencial, Campelo e seu marido, o cirurgião plástico Regis Ramos, ofereceram ao candidato um jantar no apartamento deles, na Lagoa Rodrigo de Freitas.

O presidenciável compareceu ao lado de Michelle e do filho mais velho, Flavio (hoje senador pelo PSL-RJ). “Jair Bolsonaro, confortavelmente sentado, segurando um copo de vinho que ele mal tocou, ficou respondendo às questões por mais de três horas”, anotou o colunista social José Ronaldo Müller em seu blog. “A surpresa maior ficou por conta de Michelle Bolsonaro. Bonita, chique e com muita personalidade.” Entre os convidados, estava o cantor Nego do Borel, que em dado momento cogitou postar uma foto ao lado de Jair Bolsonaro numa rede social, mas foi aconselhado a desistir da ideia, para não parecer apoio político.

Quando Bolsonaro venceu nas urnas, em outubro de 2018, o casal de médicos também optou pela prudência e não registrou nenhuma comemoração em suas redes sociais. Em 1º de janeiro, porém, a médica exibiu no Instagram os convites que recebera para a cerimônia da posse em Brasília. Na ocasião, ela e o marido posaram ao lado do presidente e da primeira-dama.

Foi também Campelo quem cuidou da pele dos noivos Eduardo e Heloísa Bolsonaro, com uma terapia que começou três meses antes do casamento deles, em 25 de maio deste ano. Na véspera do enlace, a dermatologista recebeu Heloísa e as madrinhas em seu consultório para um dia de beleza – e o alarme soou, pois uma das moças tinha uma espinha no rosto. A médica recorreu ao seu arsenal: aplicou um laser para desinflamar, outro para cicatrizar e besuntou o local com hidratante. No dia seguinte, ela contou, a madrinha já não tinha vestígio algum da imperfeição.

 

O consultório de Campelo e Ramos fica num edifício comercial no miolo de Ipanema, no Rio de Janeiro. A recepção ampla tem cheiro de lavanda e é decorada com orquídeas. A consulta simples custa 500 reais, e planos de saúde não são aceitos. No consultório, uma coleção de porta-retratos com fotos de pacientes famosas decora a bancada abaixo da janela panorâmica, de onde se avista o mar. A foto de Michelle Bolsonaro foi colocada bem no centro da coleção.

Campelo tem 37 anos, é baiana de Juazeiro e ainda preserva uma leve entonação de sua terra, mesclada ao sotaque carioca. Filha de um empresário do ramo do curtume, aos 12 anos foi estudar em Salvador. Aos 18, mudou-se para o estado do Rio, a fim de fazer medicina, na Universidade Iguaçu (Unig), em Nova Iguaçu. “Sou bem desgarrada, acho que é porque saí de casa muito cedo”, disse.

Dermatologia não foi sua primeira opção. Ela queria ser cirurgiã, mas um colega a demoveu da ideia, ao contar que essa especialidade, por exigir tanto do profissional, talvez a impedisse de cuidar bem dos futuros filhos. Ela, então, pensou em fazer infectologia, depois endocrinologia, mas descartou essas opções.

Desde que se formou, Campelo trabalha em parceria com o marido, com quem tem dois filhos. “Eu costumo dizer que a dermatologia e a cirurgia plástica são irmãs”, afirmou a médica, passando os dedos pelos cabelos loiros escovados. Regis Ramos fez parte da equipe de médicos que, no início de setembro, corrigiu uma hérnia abdominal de Jair Bolsonaro – a quarta cirurgia do presidente desde o atentado em 2018. Além do primeiro-casal, os dois médicos também atendem celebridades, como Danielle Winits, Arlete Salles, Nego do Borel, Sophia Abrahão e Babi Xavier. Em março último, Campelo postou no Instagram fotos feitas durante o aniversário da atriz Giovanna Antonelli, outra paciente.

 

Perto do Natal de 2017, Michelle Bolsonaro mandou uma mensagem telefônica para a dermatologista: “Flor, preciso te pedir uma ajuda.” A médica ficou alarmada. Mas Michelle continuou: “Eu preciso que você adote uma criança para este Natal. É um projeto da minha igreja.” A “adoção” consistia simplesmente na doação de um pacote de presentes para uma criança pobre. “Tudo bem”, respondeu Campelo. “Quero adotar o menino mais velho da lista.” O escolhido foi Luã, de 14 anos. Ela comprou roupas, brinquedos e jogos. “A Michelle é fora da curva de uma pessoa do bem”, disse.

Neste ano, no dia de seu aniversário, Campelo recebeu da primeira-dama um pequeno bolo enfeitado. Fez uma foto e postou nas redes sociais. “Carinho de uma amiga muito especial!!!!”, escreveu. Não identificou quem tinha mandado o bolo, segundo ela, para não expor Michelle – que, entretanto, horas depois, postou na sua própria conta no Instagram a foto da dermatologista com o presente.

O tratamento da primeira-dama antes da viagem a Nova York foi registrado por Campelo com fotos e um vídeo, que ela colocou em seguida no Instagram, acompanhados das seguintes palavras: “Dia de cuidar da PRIMEIRA-DAMA NO PALÁCIO DA ALVORADA. Pele pronta para brilhar nos Estados Unidos, na Reunião Geral da ONU. Amiga que amo, paciente querida @michellebolsonaro @vydence #primeiradama #primeiradamadobrasil #michellebolsonaro #pelelinda #peledediva #peleperfeita #dermatologiapriscillacampelo #dermatologia #dermatology #laser.”

A atriz Elizabeth Savalla, que fez a beata maledicente Mirtes na novela O Sétimo Guardião e também é paciente da médica, deixou um comentário ao post: “Saudades dos nossos papos e chás!”

Marcella Ramos

Repórter e coordenadora de checagem da piauí

Leia também

Últimas Mais Lidas

Médico no Rio se arrisca mais e ganha menos

Governo Witzel corta adicionais de insalubridade de profissionais que atuam contra a Covid-19 em hospital da Uerj

Maria vai com as outras #8: Ela voltou

Monique Lopes, atriz pornô e acompanhante, fala novamente com Branca Vianna, agora sobre seu trabalho durante a pandemia do novo coronavírus

Autor de estudo pró-cloroquina admite erros em pesquisa

Enquanto isso, maior investigação já realizada sobre a droga reitera que não há benefício comprovado contra Covid-19 e alerta para riscos

Mortos que o vírus não explica

Belém tem quase 700 mortes a mais do que o esperado apenas em abril; oficialmente, Covid-19 só matou 117

Foro de Teresina #101: Bolsonaro sob pressão

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Lockdown à brasileira

Como estados e municípios usam estratégias de confinamento com prazos e métodos distintos contra a Covid-19

Amazônia perto do calor máximo

Pesquisa inédita revela que, acima de 32 graus Celsius, florestas tropicais tendem a emitir mais carbono na atmosfera do que absorver

Nem limão, nem feijões: sem milagres contra a Covid-19

Ministério Público e polícia investigam “receitas infalíveis” contra o vírus

Valores permanentes, circunstâncias efêmeras

Cinema, apesar de tudo, mas em que condições?

Mais textos
1

Dentro do pesadelo

O governo Bolsonaro e a calamidade brasileira

2

Tem cloroquina?

Um balconista de farmácia conta seu dia a dia durante a pandemia

3

Mortos que o vírus não explica

Belém tem quase 700 mortes a mais do que o esperado apenas em abril; oficialmente, Covid-19 só matou 117

4

Nem limão, nem feijões: sem milagres contra a Covid-19

Ministério Público e polícia investigam “receitas infalíveis” contra o vírus

5

Autor de estudo pró-cloroquina admite erros em pesquisa

Enquanto isso, maior investigação já realizada sobre a droga reitera que não há benefício comprovado contra Covid-19 e alerta para riscos

6

Amazônia perto do calor máximo

Pesquisa inédita revela que, acima de 32 graus Celsius, florestas tropicais tendem a emitir mais carbono na atmosfera do que absorver

8

Uma biografia improvável

O que são vírus – esses parasitas que nos deram nada menos que 8% do nosso DNA

9

O que move a CNN Brasil

Com dois sócios que sempre estiveram ao lado do poder, a nova emissora tenta mostrar que pode ser independente

10

Quarentena evita um bilhão de toneladas de carbono na atmosfera

Emissão de poluentes caiu 17% no mundo; no Brasil, queda chegou a 25% em 20 de março, mas regrediu a 8% no fim de abril