poesia

Nenhum mistério

Paulo Henriques Britto
CREDITO_SAMSON FLEXOR_1960_COLEÇÃO MUSEU DE ARTE CONTEMPORÂNEA DA USP

DA IMORTALIDADE

A música secreta destes dias

não vai se revelar senão no tempo

em que a sua melodia



já não traga a ninguém nenhum alento.

 

Nesse dia, por ora ainda distante,

de silente e tardio entendimento,

o que era só ruído antes

se deixará gravar, com traço lento

 

e firme, numa bela partitura

a ser lida por vocês,

de geração ainda mais futura,

que abrirem a pasta ax293.

 

DA OPORTUNIDADE

Não era a hora – nunca é hora –

mas o que se há de fazer.

Todo momento é sempre agora

(antes de se derreter).

 

E foi assim que, não obstante

a hora fosse inadequada,

foi nesse preciso instante

que não aconteceu nada.

 

O que implicou uma sucessão

de inconsequentes consequências.

(Não terá sido, pois, em vão

tão oportuna inexistência.)

 

DOS NOMES

Os nomes se enchem aos poucos.

Um dia eles perdem o estofo,

aos poucos, ou então de repente.

Então ficam ocos.

 

O mundo está sempre se enchendo

de cascos vazios desse tipo.

Inúteis. No entanto, assim mesmo

continuam sendo,

 

ocupando tempo e lugar,

iludindo quem os assume,

prestando falso testemunho

do que já não há.

 

E o mundo se presta a essa farsa.

É como se já não bastassem

as coisas e os nomes de coisas

que as coisas disfarçam.

 

E há quem (imagine!) ache pouco,

e abrace esses nomes sem estofo

e diga e rediga esses ocos

feito louco.

 

DO SUBLIME

A consciência toda exulta,

e não é pra menos:

é chegada a hora absoluta,

o rei dos momentos.

 

Todo o tempo ela preparou-se

pra esse instante excelso,

com infinitos alvoroços

e risíveis excessos,

 

antegozando o inteiro espectro

de fatais consequências,

abrindo alas pra todo um séquito

de obscuras contingências.

 

Tão ansiosamente aguardado,

o instante enfim resulta

num objeto desengonçado,

espécie de catapulta

 

de utilidade pouco clara.

Um gesto temerário

instala a esplêndida almanjarra

no fundo do armário.


Os poemas integram o livro Nenhum Mistério, a ser publicado em agosto pela Companhia das Letras.

Paulo Henriques Britto

Paulo Henriques Britto é escritor e tradutor. Seu livro de poesia mais recente é Formas do Nada, lançado pela Companhia das Letras

Leia também

Últimas Mais Lidas

Vacina a jato

Contra a Covid-19, empresas e OMS analisam liberar produto com 60% de eficácia, mas pesquisadores debatem riscos éticos e sanitários

A Bíblia e a bala

Nas polícias, setores evangélicos pentecostais dão sustentação às posições mais radicais do bolsonarismo

No meio do fogo, entre o atraso e o retardante

Diante do avanço das queimadas no Pantanal, governo de Mato Grosso apela a produto químico de efeitos ainda desconhecidos no meio ambiente após longo tempo de uso

Dois trilhões de suspeitas

Documentos secretos do governo americano mostram como cinco bancos multinacionais ignoraram alertas e movimentaram dois trilhões de dólares de clientes investigados por crimes de todo tipo durante anos

Um calote de R$ 158 milhões

Grupo Schahin usou empresa de fachada para ocultar fortuna em processo de falência; documentos dos FinCEN Files organizados pelo ICIJ embasaram a reportagem

Mais textos
1

R$ 0,46 no tanque dos outros

Agora, caminhoneiros grevistas usam WhatsApp para defender queda da gasolina, de Temer e da democracia

2

A vida e a morte de uma voz inconformada

Os últimos momentos de Marielle Franco, a vereadora do PSOL executada no meio da rua no Rio de Janeiro sob intervenção

4

Ray Kurzweil e o mundo que nos espera

Uma entrevista com o inventor e futurólogo americano

5

Qu4tro figuras (e mais 2)

Agora só tem o Homem de Ferro em Blu-ray, a privada virou "poltrono", a moça penteia o bigode e Stálin está no armário

6

Juízes vão ganhar auxílio-greve

“Você já viu o preço de um megafone hoje em dia? Sabe quanto custa mandar fazer faixas, camiseta, alugar carro de som?” Com essas palavras o ministro Luiz Fux justificou a aprovação do auxílio-greve para juízes federais que farão parte da mobilização que tenta barrar o fim do auxílio-moradia aos magistrados

7

Pero sin perder la broma

A revista que inferniza a monarquia espanhola se adapta aos tempos de crise

10

Chiclete com Banana adere à gourmetização e muda nome para Shitake com Macadâmia

AMARALINA - Em reformulação desde a saída do vocalista Bell Marques, o grupo Chiclete com Banana resolveu dar uma guinada radical para se adequar aos novos tempos. "Se você é diferenciado / Vem dançar ao som do berimbau goumertizado / Se Caetano estacionou o carro no Leblon / Eu brindo a vida com Paleta e Chandon", cantarolou o novo vocalista da banda, João Doria Junior.