poesia

Nenhum mistério

Paulo Henriques Britto
CREDITO_SAMSON FLEXOR_1960_COLEÇÃO MUSEU DE ARTE CONTEMPORÂNEA DA USP

DA IMORTALIDADE

A música secreta destes dias

não vai se revelar senão no tempo

em que a sua melodia



já não traga a ninguém nenhum alento.

 

Nesse dia, por ora ainda distante,

de silente e tardio entendimento,

o que era só ruído antes

se deixará gravar, com traço lento

 

e firme, numa bela partitura

a ser lida por vocês,

de geração ainda mais futura,

que abrirem a pasta ax293.

 

DA OPORTUNIDADE

Não era a hora – nunca é hora –

mas o que se há de fazer.

Todo momento é sempre agora

(antes de se derreter).

 

E foi assim que, não obstante

a hora fosse inadequada,

foi nesse preciso instante

que não aconteceu nada.

 

O que implicou uma sucessão

de inconsequentes consequências.

(Não terá sido, pois, em vão

tão oportuna inexistência.)

 

DOS NOMES

Os nomes se enchem aos poucos.

Um dia eles perdem o estofo,

aos poucos, ou então de repente.

Então ficam ocos.

 

O mundo está sempre se enchendo

de cascos vazios desse tipo.

Inúteis. No entanto, assim mesmo

continuam sendo,

 

ocupando tempo e lugar,

iludindo quem os assume,

prestando falso testemunho

do que já não há.

 

E o mundo se presta a essa farsa.

É como se já não bastassem

as coisas e os nomes de coisas

que as coisas disfarçam.

 

E há quem (imagine!) ache pouco,

e abrace esses nomes sem estofo

e diga e rediga esses ocos

feito louco.

 

DO SUBLIME

A consciência toda exulta,

e não é pra menos:

é chegada a hora absoluta,

o rei dos momentos.

 

Todo o tempo ela preparou-se

pra esse instante excelso,

com infinitos alvoroços

e risíveis excessos,

 

antegozando o inteiro espectro

de fatais consequências,

abrindo alas pra todo um séquito

de obscuras contingências.

 

Tão ansiosamente aguardado,

o instante enfim resulta

num objeto desengonçado,

espécie de catapulta

 

de utilidade pouco clara.

Um gesto temerário

instala a esplêndida almanjarra

no fundo do armário.


Os poemas integram o livro Nenhum Mistério, a ser publicado em agosto pela Companhia das Letras.

Paulo Henriques Britto

Paulo Henriques Britto é escritor e tradutor. Seu livro de poesia mais recente é Formas do Nada, lançado pela Companhia das Letras

Leia também

Últimas Mais Lidas

Polícia na porta, celular na privada

A prisão do juiz investigado sob suspeita de vender sentença por 6,9  milhões de reais – e que jogou dois telefones no vaso sanitário quando a PF chegou para buscá-lo

Na terra dos sem SUS

Nos Estados Unidos, mães de jovens negros mortos pela polícia enfrentam a epidemia, o desemprego e o racismo

Um idiota perigoso incomoda muita gente

Memórias e reflexões sobre o tempo em que voltamos a empilhar cadáveres por causa de um vírus

Mourão defende manter Pujol no comando do Exército

Vice afirma que general deve permanecer à frente da tropa até o fim do mandato de Bolsonaro, mas admite que não apita nas nomeações do presidente

Na piauí_166

A capa e os destaques da revista de julho

Foro de Teresina #107: As guerras surdas de Bolsonaro

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

O desmanche de Witzel

Um depoimento exclusivo denuncia os elos ocultos entre o governo de Witzel e as milícias

Para cuidar de quem cuida

Referência em Covid-19, hospital da USP cria programa de apoio a profissionais de saúde e descobre que 77% dos atendidos sofrem de ansiedade

Mais textos
1

A morte e a morte

Jair Bolsonaro entre o gozo e o tédio

2

Tudo acaba em barro

Um coveiro em Manaus conta seu cotidiano durante a pandemia

3

Na piauí_166

A capa e os destaques da revista de julho

4

PCC veste branco

Traficante da facção usou 38 clínicas médicas e odontológicas para lavar dinheiro, comprar insumos para o tráfico e socorrer “irmãos” baleados

5

O desmanche de Witzel

Um depoimento exclusivo denuncia os elos ocultos entre o governo de Witzel e as milícias

6

Chumbo grosso no Ministério Público 

Bloqueio de bens na Suíça, delação premiada contra Moro e interferência na PF acirram guerra entre a Lava Jato e a Procuradoria-Geral da República

7

A solidão de rambo

Suspeitas de corrupção e conluio com as milícias desmontam Wilson Witzel

8

Foro de Teresina #107: As guerras surdas de Bolsonaro

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

9

Contra a besta-fera

A luta dos cientistas brasileiros para combater o vírus é dura – vai de propaganda enganosa a ameaça de morte

10

De volta à Rua do Ouvidor

Uma pequena livraria no Centro do Rio sobrevive à catástrofe econômica causada pela quarentena