poesia

O manto tupinambá é um ninho na escuridão do mundo

Edimilson de Almeida Pereira

RODA-VIVA

Um carro atravessa o pátio aos golpes,
corpos adoecem o sótão, outros tecem na grade,
traficam-se poemas num país onde o sol
oculta os cadáveres.
Alguém abre túneis ao sul e ao norte,
sem esperança suas mãos esculpem a pélvis.
Na terra de ninguém (tua cabeça), a coragem
atrás dos óculos. Devastam o arco-íris ao gosto
de quem fabrica mortos.
Há um sinal na testa de quem não contesta.
Os atentos estão mudos.
Um mesmo sol alenta o riso contra as sombras
do passado: o futuro. A memória traça o rastro
a que tudo se reduz, vertigem: o azul turva o fogo
de quando éramos humanos.
Carnaval, não importa o país que habitas,
a matéria escura sob o peito rege como um vigia
o mundo. Os vagões torcidos na gare
recordam a oxidação que desfila em tuas fibras.
Não há, em meio à alegria, uma célula
atenta à própria morte, mas e a consciência, essa
agulha que deseja, às vezes, o fundo da caixa?
Mascarados têm humor, o rosto sob a máscara,
nem sempre – a euforia pesa,
a explosão de Ítaca espalhou corpos por todos
os lugares – e mesmo assim a banda toca.
O país que adoece seus felinos não merece figurar
no mapa: nascidos para conter o sopro que passa,
a vida os impede de aceitar o que a torna breve.
É sobre seixos, galáxias, orcas que se trata quando
um rosto se desmascara e obtém algum poder.
Por que não aprender deles o que crava
em nós o alvo dos seres findos? Polvos pulsam,
apesar das grades e seus nomes saqueados,
têm menos sede – se movimentam sob as barbas.
Um país que adoece mata suas árvores não merece
senão afogar-se em seus coldres: o que esperar de
quem tropeça nos calcanhares?
Os vagões no país oxidado arrastam o monstro
pela gare escura – quem pode
embarca a qualquer hora, mas não há viagem
onde um homem justo não se demora no velório
dos seus sonhos. Carnaval – os gêmeos fogem
à estrela da manhã. Onde quer que habites,
o mundo não é a nave que os tiranos lubrificam
em dias nacionais. Sábado – o Carnaval – o sol –
os arlequins são corpos – grávidos explosivos.

MATÉRIA FECHADA PARA ASSINANTES
Para acessar, assine a piauí

Edimilson de Almeida Pereira

É poeta, ensaísta e professor titular na Universidade Federal de Juiz de Fora. Publicou, entre outros livros, Orfe(x)u Exunouveau e Qvasi

Leia também

Últimas Mais Lidas

The world without the Amazon

A climate model predicts the effects of turning the forest into cattle pastures: 25% less rain in Brazil and higher temperatures, with “catastrophic” consequences for agriculture and energy production

Six conclusions about a model of the world without the Amazon

The price that Brazil and the world will pay if the forest continues to be cut down so that livestock can graze

Vazamento de óleo avança, plano de controle patina

Manchas se aproximam dos corais de Abrolhos; especialistas cobram do governo federal transparência em uso de programa para conter derrames de óleo

Ascensão e queda de um ex-Van Gogh

Tela do Masp atribuída ao pintor holandês tem autoria revista e inspira debate sobre valor artístico

Um bicheiro no centro do poder

A rede de assassinatos, amizades e dinheiro que cerca Jamil Name no Mato Grosso do Sul

Seis conclusões sobre o modelo do mundo sem a Amazônia 

O preço que o Brasil e o mundo pagarão caso a floresta continue a ser derrubada para dar lugar à pecuária

O mundo sem a Amazônia

Modelo climático prevê efeitos da conversão da floresta em pasto: diminuição de 25% das chuvas no Brasil e aumento da temperatura, com prejuízo "catastrófico" para agricultura e produção de energia

Foro de Teresina #73: Autofagia no governo, crise na oposição e o óleo nas praias do Nordeste

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Domingo – um dia especial

Filme paga preço alto ao ser lançado agora, quando expectativa de “nova era” se mostrou ilusória

O novo Posto Ipiranga

Ex-capitão do Exército transformado em ministro da Infraestrutura cresce no Twitter e na agenda positiva do governo Bolsonaro 

Mais textos
1

Brasil mais longe da Europa

“Efeito Bolsonaro” afasta turistas europeus e prejudica negócios

2

Um bicheiro no centro do poder

A rede de assassinatos, amizades e dinheiro que cerca Jamil Name no Mato Grosso do Sul

3

Fala grossa e salto fino

As façanhas de Joice Hasselmann, do rádio ao Congresso

4

O mundo sem a Amazônia

Modelo climático prevê efeitos da conversão da floresta em pasto: diminuição de 25% das chuvas no Brasil e aumento da temperatura, com prejuízo "catastrófico" para agricultura e produção de energia

5

O novo Posto Ipiranga

Ex-capitão do Exército transformado em ministro da Infraestrutura cresce no Twitter e na agenda positiva do governo Bolsonaro 

7

Mitificação de Eduardo, demonização da esquerda

Em evento bolsonarista, filho do presidente e ministros apresentam rivais como mal radical, em sintoma da deterioração democrática no país

10

Foro de Teresina #73: Autofagia no governo, crise na oposição e o óleo nas praias do Nordeste

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana