questões ambientais

O mentor

Um exército de Brancaleone contra o desmatamento na Amazônia

Bernardo Esteves
Com dados inéditos sobre o desmatamento, Chris Uhl e os jovens cientistas treinados por ele deram rigor sem precedente ao ativismo brasileiro
Com dados inéditos sobre o desmatamento, Chris Uhl e os jovens cientistas treinados por ele deram rigor sem precedente ao ativismo brasileiro FOTO: BERNARDO ESTEVES

  English version

Em novembro de 2013, a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira – a mais longeva do governo, com quase seis anos à frente da pasta –, reuniu a imprensa para anunciar a taxa anual de desmatamento na Amazônia. Depois de oito anos de queda praticamente ininterrupta, o número voltara a subir. O percentual de aumento foi expressivo – 28% –, mas a área devastada manteve-se inferior a 6 mil quilômetros quadrados, quase 80% abaixo da taxa registrada em 2004. “Desmatamento na Amazônia é o segundo menor da série histórica”, noticiou o site do Ministério.

MATÉRIA FECHADA PARA ASSINANTES

Bernardo Esteves

Repórter da piauí, é autor do livro Domingo É Dia de Ciência (Azougue Editorial)

Leia também

Últimas

O enigma do Maranhão

Estado mais pobre do Brasil tem a menor mortalidade por Covid

Coronalixo: os animais pagam o pato

Pesquisadores holandeses criam banco de dados colaborativo para mapear vítimas do descarte inadequado de lixo pandêmico

Vacina, prioridades e desigualdades

Problemas de logística e estratégia de vacinação baseada em idade e profissão prejudicam periferias – onde população é mais jovem, diploma é raro e trabalho remoto é luxo

Foro de Teresina #146: Mortes demais, vacinas de menos

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Ovo indiciado

Delegada qualifica arremesso de ovo como tentativa de homicídio e prende acusada de atacar Marcha pela Família Cristã

Quem é o terrorista?

Dez questões para ajudar a entender por que o novo projeto de lei contra o terrorismo ameaça seu direito de manifestação

Mais textos