portfólio

Pelvis

O jovem cantor quando ainda podia tomar milk-shake em qualquer lanchonete

Alfred Wertheimer
Em 1956, Elvis Presley embarcou na primeira turnê nacional de sua carreira. O fotógrafo captou essa transição de cantor regional para a condição de ídolo
Em 1956, Elvis Presley embarcou na primeira turnê nacional de sua carreira. O fotógrafo captou essa transição de cantor regional para a condição de ídolo FOTO: ALFRED WERTHEIMER

“Elvis não morreu. O corpo dele morreu.” Do ponto de vista comercial, o empresário do cantor, Coronel Tom Parker (que na verdade se chamava Andreas Cornelius van Kuijk, era holandês e picareta), sabia que Elvis continuaria a ser rei mesmo depois de morto. Isso porque, como disse John Lennon, “antes de Elvis não havia nada”.

Em 1956, Alfred Wertheimer era um fotógrafo freelancer de 26 anos. E Elvis Presley, um cantor de 21 anos prestes a conquistar o estrelato. Contratado para documentar a primeira turnê nacional do cantor, o fotógrafo fez mais de 2 mil imagens ao longo dos dez dias de viagem.

“Elvis aos 21” é uma exposição itinerante montada pela National Portrait Gallery, de Washington, composta por 56 desses instantâneos. Ela oferece um retrato ao mesmo tempo íntimo e público do ídolo em formação, com imagens juvenis e naturais em grande formato. Era uma época em que Elvis ainda podia sentar sozinho num balcão de lanchonete.

“O que torna essas imagens únicas, me parece, é o fato de elas retratarem um Elvis autêntico, senhor da própria vida. Depois, ao longo de quase toda a sua existência, sempre teve alguém lhe dizendo o que fazer”, observa o hoje consagrado Wertheimer. O fotógrafo só usou flash nas poucas ocasiões em que havia apenas uma nesga de luz, e circulou à vontade. A seu ver, em boa parte das ocasiões, o cantor sequer notou estar sendo fotografado. “Me ficou a impressão de que aquele Elvis pressentia a notoriedade futura e via sentido em ser documentado para a posteridade”, explica Wertheimer.



Alfred Wertheimer

Alfred Wertheimer é fotógrafo de origem alemã radicado nos Estados Unidos.

Leia também

Últimas Mais Lidas

Vacina sim, mas qual?

O uso disseminado de máscaras pode expor a população a quantidades minúsculas de Sars-CoV-2 e aumentar a proporção de casos assintomáticos de Covid-19?

Onde há fumaça…

… há o Pantanal em chamas, um vírus disseminado e o abandono da cultura – as marcas do governo do capitão

A primeira onça

Biólogo relata dia a dia de expedição para rastrear felinos e mergulha em região do Pantanal onde a ameaça do fogo convive com um pedaço de natureza que ainda resiste

Vacina a jato

Contra a Covid-19, empresas e OMS analisam liberar produto com 60% de eficácia, mas pesquisadores debatem riscos éticos e sanitários

A Bíblia e a bala

Nas polícias, setores evangélicos pentecostais dão sustentação às posições mais radicais do bolsonarismo

No meio do fogo, entre o atraso e o retardante

Diante do avanço das queimadas no Pantanal, governo de Mato Grosso apela a produto químico de efeitos ainda desconhecidos no meio ambiente após longo tempo de uso

Mais textos
1

R$ 0,46 no tanque dos outros

Agora, caminhoneiros grevistas usam WhatsApp para defender queda da gasolina, de Temer e da democracia

2

A vida e a morte de uma voz inconformada

Os últimos momentos de Marielle Franco, a vereadora do PSOL executada no meio da rua no Rio de Janeiro sob intervenção

4

Ray Kurzweil e o mundo que nos espera

Uma entrevista com o inventor e futurólogo americano

5

90

7

Cientistas em rede

Em tempos de web 2.0, os pesquisadores interessados em interagir com colegas de todo o mundo com quem dividem os mesmos interesses acadêmicos têm à sua disposição uma série de plataformas para trocar informações sobre novos estudos e congressos. O ecossistema das redes sociais para cientistas está cada vez mais diverso. Entre serviços parecidos com o Facebook e portais para o compartilhamento de arquivos, tem opções para todos os gostos – inclusive para quem busca uma alma gêmea num laboratório.

9

Bolsonaro não queria sair da Santa Casa

A história de como a família do presidenciável dispensou o Sírio-Libanês, contrariou a vontade do candidato de ficar em Juiz de Fora e aceitou a proposta do tesoureiro do PSL de levá-lo para o Einstein

10

Military Fashion Week

Nelson Jobim übersexy e hiperbélico no the piauí herald