poesia

Sonetos impotentes

Gregorio Duvivier
IMAGEM: AMANDA JENDERBÄCK

Ser traído não é um grande drama.
Se o amor de vocês estiver morno,
É bom que outra pessoa esquente a cama
Pra você se deitar no seu retorno.

A mulher que te trai também te ama
E lamenta demais esse transtorno.
O problema do chifre é só a fama:
Não há sorte maior do que ser corno.

A tarefa do sexo todo dia
É um fardo que o amante te alivia
Como alguém que te ajuda no trabalho.

Generoso, durante tuas viagens
Ensina à tua mulher mil sacanagens
Que ela vai aplicar no seu caralho.

*

Você diz que encontrou o grande amor
Mas é sempre importante um plano B.
Seu rapaz pode ter algum tumor,
Ou então, de repente, um AVC.

Não que eu torça pra isso, que horror!
Mas se o cara infartar do coração
Eu entendo e respeito a sua dor,
Só te peço pra ser a outra opção.

Se o bonitão tiver câncer de próstata
Ou morrer de alguma outra bosta, tá
Combinado que eu sou o seu backup.

Toda vida, mi’a amada, acaba um dia.
Ninguém está imune à leucemia.
Anota, por favor, o meu WhatsApp.

*

Sexo livre não tem lá muita graça
É coisa de criança. Não é sério.
Tesão sem compromisso dá e passa.
Adulto gosta mesmo é de adultério.

Quando tudo é perfeito e cor-de-rosa,
Nessa altura, certeza: ninguém fode.
Quando alguém sofre é quando você goza.
Trepase muito mais quando não pode.

Se já não for tão forte sua libido
Invente uma mulher ou um marido:
Alguém que irá fazer papel de otário.

Imagina uma esposa ou um esposo
Que o sexo logo fica mais gostoso
Nada melhor que um corno imaginário.

Adolescente fui um mar de espinha
Que nunca tinha visto uma só teta
Nem sequer avistado uma calcinha:
Passava os dias a bater punheta.

Esperava a velhice que não vinha
Não fumava ou bebia, era careta.
Até que resolvi perder a linha
E eis que a vida passou como um cometa.

Não que haja algo errado em masturbar-se
Mas a droga oferece-te a catarse
E a trégua das dores que te afligem.

Se não fossem o álcool e a maconha
Teria continuado só na bronha.
O que me fez crescer foi a vertigem.

*

Não sei fotografar bem o meu pau,
As fotos que tirei já não espalho.
Mandar-te-ei, então, um nu verbal
Pra não viralizar o meu caralho.

O comprimento do garoto é bom.
Não é pequeno nem tampouco é grande,
Feito um desodorante de roll-on
Mas com a veia roxa e uma glande.

Levanta com preguiça de manhã
Mas à noite trabalha com afã.
Vez ou nunca acontece de estar duro.

Não querer conhecê-lo é uma perda.
Como o seu dono, tende para a esquerda
Sensata: mais Mujica que Maduro.

Desculpa se pareço muito afoito
Assim que a gente acaba de transar,
Mas logo após molharmos o biscoito
Só penso em qual veneno vou tomar.

O distúrbio surgiu em dois mil e oito
E desde então o mal só faz piorar.
Chama “vontade-de-morrer-pós-coito”:
Após foder, só penso em me matar.

Não posso ter remédios na gaveta.
Quero morrer assim que morre o pau.
Não pense por favor que é pessoal:

Acontece também quando é punheta.
Sabe o que ajuda: Algum carboidrato.
Pede uma pizza e esconde o mata-rato.

*

Filha minha querida e tão esperada
Peço perdão por toda a putaria
Que compõe essa obra desgraçada
– um pornô travestido de poesia.

Que seu pai é uma alma depravada
Imagino que isso já sabia,
Mas não tanto, já que não sobra nada
Se tirarmos a parte doentia.

Poderia dizer: “Tudo é ficção,
Inventar putaria é um ganha-pão.”
Mentira, seu pai fala porque gosta.

Poderia alegar que era a idade,
“Melhorei com a tal paternidade!”
Mentira, seu pai tá a mesma bosta.

Gregorio Duvivier

Gregorio Duvivier é humorista, ator, escritor, poeta e um dos criadores do canal Porta dos Fundos

Leia também

Últimas Mais Lidas

Sem máscara, no meio da fumaça

Entre o combate às queimadas e o resgate frustrado de um bicho-preguiça, a rotina de trabalho de um bombeiro na Amazônia em chamas

Foro de Teresina #69: O racha no bolsonarismo, as derrotas do Posto Ipiranga e a farra do fundo eleitoral

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

O patriotismo como negócio

Vendas da Semana do Brasil, criada para incentivar consumo apelando ao Sete de Setembro, ficam 40% abaixo do esperado pelo governo

Maria Vai Com as Outras #3: Quero ser mãe, não quero ser mãe

Uma editora e uma advogada e escritora falam sobre os desdobramentos na vida de uma mulher quando ela decide ter ou não ter filhos

Vítimas de Mariana cobram R$ 25 bi de mineradora BHP na Inglaterra

Juiz deve decidir em junho se vai julgar o processo, o maior em número de vítimas da história do Reino Unido

Passarinho vira radar de poluição

Pesquisadores usam sangue de pardais para medir estrago de fumaça de carros e caminhões em seres vivos

Foro de Teresina #68: Censura na Bienal, segredos da Lava Jato e um retrato da violência brasileira

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Presos da Lava Jato unidos contra os ratos e o tédio

Condenados por crimes de colarinho-branco já caçaram roedores e fizeram faxina em complexo penal; transferidos para hospital penitenciário e sem ter o que fazer, gastam o tempo com dominó  

Mais textos
1

Que falta faz uma boa direita

Bolsonaro e o liberalismo no Brasil

3

O patriotismo como negócio

Vendas da Semana do Brasil, criada para incentivar consumo apelando ao Sete de Setembro, ficam 40% abaixo do esperado pelo governo

4

A casa da memória

Mentir para tratar a demência

6

Sem máscara, no meio da fumaça

Entre o combate às queimadas e o resgate frustrado de um bicho-preguiça, a rotina de trabalho de um bombeiro na Amazônia em chamas

7

Vítimas de Mariana cobram R$ 25 bi de mineradora BHP na Inglaterra

Juiz deve decidir em junho se vai julgar o processo, o maior em número de vítimas da história do Reino Unido

8

Foro de Teresina #69: O racha no bolsonarismo, as derrotas do Posto Ipiranga e a farra do fundo eleitoral

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

9

A metástase

O assassinato de Marielle Franco e o avanço das milícias no Rio