poesia

Sonetos impotentes

Gregorio Duvivier
IMAGEM: AMANDA JENDERBÄCK

Ser traído não é um grande drama.
Se o amor de vocês estiver morno,
É bom que outra pessoa esquente a cama
Pra você se deitar no seu retorno.

A mulher que te trai também te ama
E lamenta demais esse transtorno.
O problema do chifre é só a fama:
Não há sorte maior do que ser corno.

A tarefa do sexo todo dia
É um fardo que o amante te alivia
Como alguém que te ajuda no trabalho.

Generoso, durante tuas viagens
Ensina à tua mulher mil sacanagens
Que ela vai aplicar no seu caralho.

*

Você diz que encontrou o grande amor
Mas é sempre importante um plano B.
Seu rapaz pode ter algum tumor,
Ou então, de repente, um AVC.

Não que eu torça pra isso, que horror!
Mas se o cara infartar do coração
Eu entendo e respeito a sua dor,
Só te peço pra ser a outra opção.

Se o bonitão tiver câncer de próstata
Ou morrer de alguma outra bosta, tá
Combinado que eu sou o seu backup.

Toda vida, mi’a amada, acaba um dia.
Ninguém está imune à leucemia.
Anota, por favor, o meu WhatsApp.

*

Sexo livre não tem lá muita graça
É coisa de criança. Não é sério.
Tesão sem compromisso dá e passa.
Adulto gosta mesmo é de adultério.

Quando tudo é perfeito e cor-de-rosa,
Nessa altura, certeza: ninguém fode.
Quando alguém sofre é quando você goza.
Trepase muito mais quando não pode.

Se já não for tão forte sua libido
Invente uma mulher ou um marido:
Alguém que irá fazer papel de otário.

Imagina uma esposa ou um esposo
Que o sexo logo fica mais gostoso
Nada melhor que um corno imaginário.

Adolescente fui um mar de espinha
Que nunca tinha visto uma só teta
Nem sequer avistado uma calcinha:
Passava os dias a bater punheta.

Esperava a velhice que não vinha
Não fumava ou bebia, era careta.
Até que resolvi perder a linha
E eis que a vida passou como um cometa.

Não que haja algo errado em masturbar-se
Mas a droga oferece-te a catarse
E a trégua das dores que te afligem.

Se não fossem o álcool e a maconha
Teria continuado só na bronha.
O que me fez crescer foi a vertigem.

*

Não sei fotografar bem o meu pau,
As fotos que tirei já não espalho.
Mandar-te-ei, então, um nu verbal
Pra não viralizar o meu caralho.

O comprimento do garoto é bom.
Não é pequeno nem tampouco é grande,
Feito um desodorante de roll-on
Mas com a veia roxa e uma glande.

Levanta com preguiça de manhã
Mas à noite trabalha com afã.
Vez ou nunca acontece de estar duro.

Não querer conhecê-lo é uma perda.
Como o seu dono, tende para a esquerda
Sensata: mais Mujica que Maduro.

Desculpa se pareço muito afoito
Assim que a gente acaba de transar,
Mas logo após molharmos o biscoito
Só penso em qual veneno vou tomar.

O distúrbio surgiu em dois mil e oito
E desde então o mal só faz piorar.
Chama “vontade-de-morrer-pós-coito”:
Após foder, só penso em me matar.

Não posso ter remédios na gaveta.
Quero morrer assim que morre o pau.
Não pense por favor que é pessoal:

Acontece também quando é punheta.
Sabe o que ajuda: Algum carboidrato.
Pede uma pizza e esconde o mata-rato.

*

Filha minha querida e tão esperada
Peço perdão por toda a putaria
Que compõe essa obra desgraçada
– um pornô travestido de poesia.

Que seu pai é uma alma depravada
Imagino que isso já sabia,
Mas não tanto, já que não sobra nada
Se tirarmos a parte doentia.

Poderia dizer: “Tudo é ficção,
Inventar putaria é um ganha-pão.”
Mentira, seu pai fala porque gosta.

Poderia alegar que era a idade,
“Melhorei com a tal paternidade!”
Mentira, seu pai tá a mesma bosta.

Gregorio Duvivier

Gregorio Duvivier é humorista, ator, escritor, poeta e um dos criadores do canal Porta dos Fundos

Leia também

Últimas Mais Lidas

Foro de Teresina #77: Lula solto, crise na Bolívia e o novo partido de Bolsonaro

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Trégua negociada atrás das grades

Documento do sistema penitenciário mostra como chefes do tráfico presos em Rondônia disputam à distância o controle da Rocinha

Bolsonaro, Marielle e a tempestade no Twitter

Entre os voos para Brasília e a presença do então deputado na Câmara, tempo apertado afasta hipótese de que Bolsonaro estivesse no Rio para receber acusado de matar vereadora  

Ruptura de bolsonaristas com PSL ganhou asas no Twitter

Disputa por controle do partido impulsionou menções a Eduardo e Joice na rede

Scorsese pede para se explicar

Quem sonha em fazer filmes enfrenta situação brutal, afirma cineasta

Silêncio na “República de Curitiba”

Com Lula solto, acampamentos de militantes se desfazem, e capital paranaense volta à rotina

Projeto da piauí é um dos vencedores de desafio do Google

"Refinaria de Histórias" vai transformar reportagens em séries, filmes e documentários

Maria Vai Com as Outras #6 – parte II: Trans – Gênero, corpo e trabalho

A advogada Márcia Rocha fala sobre a inserção de pessoas trans no mercado de trabalho formal

PT e aliados preparam campanha Lula-2022

Solto, ex-presidente vai percorrer o país e comandar oposição a Bolsonaro

Mais textos
1

Começo para uma história sem fim

Como uma foto, um porteiro e um livro de registros complicaram ainda mais a investigação do caso Marielle

2

O estelionatário

O brasileiro que enganou um mafioso italiano, políticos panamenhos e Donald Trump

3

Bolsonaro, Marielle e a tempestade no Twitter

Entre os voos para Brasília e a presença do então deputado na Câmara, tempo apertado afasta hipótese de que Bolsonaro estivesse no Rio para receber acusado de matar vereadora  

5

A vida dos outros e a minha

Memórias de uma estudante brasileira fichada pela Stasi

6

PT e aliados preparam campanha Lula-2022

Solto, ex-presidente vai percorrer o país e comandar oposição a Bolsonaro

7

Silêncio na “República de Curitiba”

Com Lula solto, acampamentos de militantes se desfazem, e capital paranaense volta à rotina

8

Os donos do Supremo

Professora da FGV critica poder absoluto da presidência da Corte sobre pauta de votação: “Pode levar todo o tribunal para o buraco”

9

Trégua negociada atrás das grades

Documento do sistema penitenciário mostra como chefes do tráfico presos em Rondônia disputam à distância o controle da Rocinha

10

Foro de Teresina #76: O mistério da casa 58, o golpismo bolsonarista e o pacote de Paulo Guedes

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana