anais da democracia brasileira

Uma cidade exemplar

Como anda nossa vida cívica no mês das eleições

João Moreira Salles

Do terraço de um prédio se vê Três Corações. Do alto, a cidade se espalha. No centro, casas, sobrados e pequenos edifícios se aglomeram sem outro ordenamento a não ser a delimitação entre o público e o privado, o dentro e o fora, reservando-se ao privado o que é bonito – a pintura, o ornamento – e, à rua, o que não importa. A impressão é de coisa malfeita e pouca consciência da tragédia urbana que inventamos. Entre as edificações mais próximas e as que aparecem ao longe passa uma linha que separa os bairros mais ricos dos mais pobres, mas, do alto, o olho não distingue a diferença. Numa socialização às avessas, em que não se distribui a virtude, mas o defeito, a bagunça gestada pela ausência do Estado, tão viva nas comunidades mais desassistidas, é o princípio que também organiza o lugar onde vivem os mais abastados. A calçada intransitável de um palmo de rua rica é igual à calçada intransitável de um palmo de rua pobre, um efeito fractal que transforma quase tudo na mesma coisa.

“Isso não faz sentido nem dentro da lógica capitalista”, diz Angela Azevedo, apontando as franjas da zona urbana, onde casas de pé, cascas de casa e terrenos baldios ocupam lotes de novos lançamentos imobiliários. “São milhares de lotes vazios, é uma loucura. A cidade está crescendo pouco, boa parte desses lotes continuará vazia. Eles vão ser foco de dengue, de lixo, de criminalidade, de custo para a iluminação pública.”

MATÉRIA FECHADA PARA ASSINANTES

João Moreira Salles

Documentarista, é editor fundador da piauí. Dirigiu Santiago, Entreatos e Nelson Freire, entre outros

Leia também

Últimas Mais Lidas

Estupro não é sobre desejo, é sobre poder

Em 70% das ocorrências de violência sexual no Brasil em 2019, vítimas eram crianças ou pessoas incapazes de consentir ou resistir - como na acusação contra Robinho na Itália

“Meu pai foi agente da ditadura. Quero uma história diferente pra mim”

Jovem cria projeto para reunir parentes de militares que atuaram na repressão

Engarrafamento de candidatos

Partidos lançam 35% mais candidaturas a prefeito nas cidades médias sem segundo turno para tentar sobreviver

Bons de meme, ruins de voto

Nomes bizarros viralizam, mas têm fraco desempenho nas urnas

Perigo à vista! – razões de sobra para nos preocuparmos

Ancine atravessa a crise como se navegasse em águas tranquilas, com medidas insuficientes sobre os efeitos da pandemia

Retrato Narrado #4: A construção do mito

De atacante dos militares a goleiro dos conservadores: Bolsonaro constrói sua história política

A renda básica, o teto de gastos e o silêncio das elites

Desafio é fazer caber no orçamento de 2021 um programa mais robusto que o Bolsa Família e mais viável em termos fiscais que o auxílio emergencial

A culpa é de Saturno e Capricórnio, tá ok?

Como Maricy Vogel se tornou a astróloga preferida dos bolsonaristas 

Mais textos
4

A metástase

O assassinato de Marielle Franco e o avanço das milícias no Rio

6

Do Einstein para o SUS: a rota letal da covid-19

Epidemia se espalha para a periferia de São Paulo justamente quando paulistanos começam a abandonar isolamento social

8

Assista a um trecho da mesa com Nikil Saval no Festival Piauí de Jornalismo

Nikil Saval é editor e membro da mesa diretora da revista literária n+1, revista de literatura, cultura e política, publicada em versão impressa três vezes ao ano.
Saval esteve em novembro no Festival Piauí de Jornalismo e conversou com os jornalistas Fernando de Barros e Silva e Flávio Pinheiro. 

9

Histórias da Rússia

Uma viagem pelo país da revolução bolchevique, cem anos depois

10

Em duas estratégias, um êxito e uma ópera trágica

Como a China barrou a transmissão do coronavírus enquanto a Itália tem mais mortes em metade do tempo de epidemia