cartum

UzMano

Fume Glauco três vezes ao dia

Glauco Villas Boas

Em 2009, Raoni Villas Boas decidiu criar uma grife de camisetas para jovens que se identificassem com a cultura do skate e do hip-hop. Procurou o pai, o cartunista Glauco, e lhe fez uma proposta: “Topa desenhar as estampas das roupas?” O rapaz de 24 anos queria que as camisetas exibissem alguns dos personagens concebidos pelo artista paranaense em três décadas de carreira. Glauco – que àquela altura produzia quadrinhos e charges para a Folha de S.Paulo – não só topou como resolveu batizar a grife. Nasceu, assim, a UzMano. A marca seria representada pelos doidões ali de cima. O cartunista, no entanto, não conseguiu vê-los em ação. Uma tragédia impediu o lançamento da grife.

Na madrugada de 12 de março de 2010, o estudante Carlos Eduardo Sundfeld Nunes invadiu o sítio onde Glauco morava, em Osasco (SP), e o assassinou com quatro tiros. Também matou Raoni. Esquizofrênico, o universitário frequentava a igreja Céu de Maria, que o cartunista, adepto do Santo Daime, fundou na década de 90. Nunes praticou os crimes durante um surto, em que se proclamava Jesus Cristo.

MATÉRIA FECHADA PARA ASSINANTES
Para acessar, assine a piauí

Glauco Villas Boas

Glauco Villas Boas (1957–2010), quadrinista, músico, roteirista e cartunista, publicava na Folha de S.Paulo.

Leia também

Últimas Mais Lidas

O amigo oculto de Temer

Dono de empreiteira é apontado nas investigações como operador do ex-presidente

Um infográfico interativo sobre a avaliação do governo Bolsonaro

Clique nas setas para selecionar um grupo específico e conhecer os números

A vingança da Lava Jato

Após contra-ataque do Supremo, operação responde com prisão de Temer e recado a tribunal

Foro de Teresina extra: A prisão de Michel Temer

Podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Foro de Teresina #43: Viagem à Trumplândia e o troca-troca pela Previdência

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Aposta de alto risco

Bolsonaro deposita todas as fichas em “relação monogâmica” com Trump, com implicações para a autonomia do Brasil; cabe às alas mais moderadas do governo tentar reduzir danos dessa decisão

Bolsonaro desce a ladeira

Presidente perdeu 15 pontos de popularidade desde janeiro; segundo o Ibope, novo governo só tem 34% de ótimo e bom

Trilogia do Luto – filme como instrumento de vingança

Cristiano Burlan expõe memórias, culpa e busca por justiça no terceiro documentário sobre mortes na família

Marielle inspira ativismo cotidiano de mulheres anônimas

“Tem um legado que explodiu depois da morte. Ela já tinha história, mas virou um símbolo”

Mais textos
1

A metástase

O assassinato de Marielle Franco e o avanço das milícias no Rio

2

Bolsonaro desce a ladeira

Presidente perdeu 15 pontos de popularidade desde janeiro; segundo o Ibope, novo governo só tem 34% de ótimo e bom

3

Brutalidade que os laudos não contam

Na reconstituição da ação policial mais letal da década no Rio de Janeiro, vísceras à mostra e suspeitas de tortura

4

Foro de Teresina extra: A prisão de Michel Temer

Podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

5

Minhas casas, minha vida

Patrimônio imobiliário da família Temer cresce quase cinco vezes em vinte anos e chega a 33 milhões de reais

7

Aposta de alto risco

Bolsonaro deposita todas as fichas em “relação monogâmica” com Trump, com implicações para a autonomia do Brasil; cabe às alas mais moderadas do governo tentar reduzir danos dessa decisão

8

Bolsonaro fala outra língua

O ex-capitão é o único presidenciável da era da conectividade

9

Foro de Teresina #42: O caso Marielle avança, Bolsonaro tuíta e olavetes brigam por espaço

O podcast da piauí comenta os fatos da semana na política nacional

10

A vingança da Lava Jato

Após contra-ataque do Supremo, operação responde com prisão de Temer e recado a tribunal