Igualdades

No tempo dos papas viajantes

Edison Veiga e Renata Buono
16dez2019_06h11

Foi-se o tempo em que ser papa era ficar encastelado no Vaticano. Paulo VI (1897-1978) foi o primeiro pontífice a andar de avião, em 4 de janeiro de 1964, e inaugurou o que o Vaticano chama de viagens papais da era moderna. Ganhou o apelido de “o papa peregrino”. Mas nenhum papa rodou tanto o mundo como João Paulo II (1920-2005). Pelo tempo de pontificado, porém, Francisco, o 266º papa, já bateu o polonês em número de viagens anuais. Paulo VI e João Paulo II foram os únicos papas, até agora, que já pisaram em todos os cinco continentes. 

Os 262 papas que antecederam Paulo VI não tinham as viagens em sua rotina. Em outubro de 1962, João XXIII causou espanto ao sair do Vaticano e percorrer de trem os menos de 200 km entre Roma e Assis. Paulo VI foi o primeiro a andar de avião e, depois dele, João Paulo II, Bento XVI e Francisco também se tornaram papas viajantes.

Considerando a duração do pontificado, Francisco é o papa que mais viaja. Desde 2013, quando assumiu o posto, fez 8,35 viagens por ano de pontificado. Papa por 26 anos, João Paulo II tem a segunda maior média, 7,7 viagens por ano. Depois estão Bento XVI, com 6,7, Paulo VI, com 1,5 viagem por ano de pontificado.

Em número absoluto de países visitados e dias fora do Vaticano, João Paulo II, porém, é imbatível até agora. Em 26 anos de pontificado, visitou 132 países. Francisco é o segundo: foi a 49 países; Bento XVI esteve em 25 países, e Paulo VI, em 19.



Excluindo a Itália, os países mais vezes visitados por um papa são Polônia e Estados Unidos. Terra natal de João Paulo II, a Polônia foi visitada 9 vezes por ele, 1 por seu sucessor, Bento XVI e 1 por Francisco. Já os Estados Unidos foram visitados 1 vez por Paulo VI, 7 por João Paulo II e 1 por cada um dos dois últimos papas.

João Paulo II foi o primeiro papa a pisar no Brasil – em 30 de junho de 1980. Ele voltaria outras 3 vezes – em 1 delas, ficaria apenas algumas horas, sem sair do aeroporto. Depois dele, o país foi visitado 1 vez por Bento XVI e 1 por Francisco.

A proporção de católicos apostólicos romanos no Brasil vem caindo de modo significativo nos últimos anos. Em 1970, os católicos eram 91,8% da população; em 2010, já haviam caído para 64,6% da população.

Depois da Europa, destino de 108 viagens dos quatro papas viajantes, a América é o continente mais visitado pelos pontífices: eles pisaram 71 vezes em países americanos. Depois vem a África, cujos países foram visitados 65 vezes. Países asiáticos foram destino de 42 viagens; da Oceania, 9.

Fontes: Vaticano; IBGE.

Nota metodológica: João Paulo I não foi incluído porque só ficou 33 dias no cargo.

Edison Veiga (siga @edisonveiga no Twitter)

É jornalista e escritor, mora em Bled (Eslovênia)

Renata Buono (siga @revistapiaui no Twitter)

Renata Buono é designer e diretora do estúdio BuonoDisegno

leia mais

Últimas Mais Lidas

Feira livre de Covid

Cientistas rastreiam transmissão em cidade turística alagoana e ajudam a criar protocolos sanitários para manter atividades econômicas

Praia dos Ossos: penúltimo episódio já está disponível

Série em podcast produzida pela Rádio Novelo chega à fase final

Voando no meio do fogo

Piloto no Pantanal há 46 anos diz que as queimadas deste ano foram as piores que já viu na região

Os 26% de infectados e a vacinação

Enquete sorológica descobriu que 1 em cada 4 paulistanos já têm anticorpos contra o Sars-CoV-2. Entenda por que isso afeta a campanha de vacinação

A ciência da propaganda

Em meio à polêmica da vacinação em massa contra a Covid-19, ministro astronauta alardeia vantagens de vermífugo ainda sem eficácia comprovada diante da doença

Foro de Teresina ao vivo nas eleições 2020

O podcast de política da piauí será transmitido ao vivo no primeiro e no segundo turno

Mais textos
3

Do Einstein para o SUS: a rota letal da covid-19

Epidemia se espalha para a periferia de São Paulo justamente quando paulistanos começam a abandonar isolamento social

5

A metástase

O assassinato de Marielle Franco e o avanço das milícias no Rio

10

Histórias da Rússia

Uma viagem pelo país da revolução bolchevique, cem anos depois