Igualdades

Privilégio longe do fim

Emily Almeida, Amanda Rossi e Renata Buono
02dez2019_09h02

Os negros passaram a ser a maioria dos estudantes na universidade pública, segundo dados divulgados pelo IBGE em novembro. São, exatamente, 50,3% dos universitários na rede pública. Por mais que seja algo inédito, ainda é menos do que a presença de negros na população brasileira, 56%. Além disso, a desigualdade persiste em cursos universitários mais concorridos, na rede privada e em outros níveis de ensino. Na classificação do IBGE, a população negra inclui os que se autodeclaram pretos ou pardos. Negros também têm menos empregos com carteira assinada e ganham menos. O =igualdades desta semana mostra um retrato ainda muito desigual da educação e do mercado de trabalho entre negros e brancos no Brasil.

Se dividirmos a sociedade brasileira em 10 grupos de renda, os negros representam 3 de cada 4 pessoas no grupo mais pobre. Na outra ponta, no grupo dos mais ricos, os negros são 1 de cada 4 pessoas.

O rendimento médio dos trabalhadores brancos é de R$ 2,8 mil mensais. Já dos trabalhadores negros é R$ 1,6 mil. A cada R$ 7 recebidos por um trabalhador branco, um trabalhador negro ganha apenas R$ 4.

Os negros representam a menor parcela dos trabalhadores registrados. Em 2018, a cada 100 pessoas com carteira assinada, 44 eram negras e 55 brancas. A proporção já foi mais desigual. Em 2009, era de 35 negros e 64 brancos.

Os cargos de chefia e com os maiores salários são ocupados por uma maioria branca. Em 2018, para cada 7 pessoas brancas ocupando um desses cargos, havia apenas uma negra.

Estudantes negros passaram a compor maioria nas instituições de ensino superior da rede pública do país (50,3%) em 2018. Entretanto, seguiram sub-representados, visto que representavam 56% da população naquele ano. Já na rede privada, os negros são 47% dos universitários.

A desigualdade também se manifesta em outros níveis de ensino. De cada 100 estudantes que frequentaram o ensino fundamental na rede pública em 2018, 65 eram negros e 34 brancos. Na rede privada, 42 eram negros e 57 brancos.

A taxa de analfabetismo entre os negros de 15 anos ou mais é mais de duas vezes a registrada entre os brancos nessa faixa etária (3,9% x 9,1%).

 

Fontes: Relação Anual de Informações Sociais (RAIS); Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Dados abertos: Acesse o documento do IBGE e a planilha que serviram de base para a reportagem.

 

Emily Almeida (siga @emilycfalmeida no Twitter)

É estagiária de jornalismo da piauí. Antes, trabalhou no jornal O Globo

Amanda Rossi

Jornalista, trabalhou na BBC, TV Globo e Estadão, e é autora do livro Moçambique, o Brasil é aqui

Renata Buono (siga @revistapiaui no Twitter)

Renata Buono é designer e diretora do estúdio BuonoDisegno

leia mais

Últimas Mais Lidas

China leva churrasco brasileiro

Peste dizima rebanho suíno chinês; para suprir demanda externa, picanha bovina sobe até 33% nos supermercados do Brasil

Uísque com sopapos

Presidente da Firjan consegue aprovar mudança em regra eleitoral que lhe permite disputar nono mandato; disputa sucessória causa confusão em happy hour de empresários

Foro de Teresina #80: A tragédia em Paraisópolis, o desaforo de Trump e a cultura do desaforo

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Conversão na fé ou na marra

Diante da ameaça de facção criminosa no Acre, integrantes de grupo rival têm de optar entre aderir a invasores ou entrar para igrejas evangélicas – e gravar vídeos como prova

2020 – Esperança vã

Propósito deliberado do governo Bolsonaro é asfixiar atividade cinematográfica

Na piauí_159

A capa e os destaques da revista que começa a chegar às bancas

O sapo escaldado da democracia

Prisão de brigadistas aumenta mais um grau em ambiente de autoritarismo lento e irrestrito  

Em busca do centro perdido

Cinco partidos se reúnem em torno de Rodrigo Maia, assumem o nome de Centro e investem nas redes contra a "guerra dos extremos"

Coringa – violência e corrupção globalizada

Filme lida com sentimento de revolta da população contra opressão sofrida nas grandes cidades

Mais textos
1

O sapo escaldado da democracia

Prisão de brigadistas aumenta mais um grau em ambiente de autoritarismo lento e irrestrito  

2

Conversão na fé ou na marra

Diante da ameaça de facção criminosa no Acre, integrantes de grupo rival têm de optar entre aderir a invasores ou entrar para igrejas evangélicas – e gravar vídeos como prova

3

O fiador

A trajetória e as polêmicas do economista Paulo Guedes, o ultraliberal que se casou por conveniência com Jair Bolsonaro

6

Contagem regressiva

A responsabilidade do campo democrático para evitar a catástrofe

7

Na piauí_159

A capa e os destaques da revista que começa a chegar às bancas

8

China leva churrasco brasileiro

Peste dizima rebanho suíno chinês; para suprir demanda externa, picanha bovina sobe até 33% nos supermercados do Brasil

9

Em busca do centro perdido

Cinco partidos se reúnem em torno de Rodrigo Maia, assumem o nome de Centro e investem nas redes contra a "guerra dos extremos"

10