Igualdades

Renda para poucos, imposto para todos

Luigi Mazza e Renata Buono
29jul2019_08h02

No Brasil, a declaração do Imposto de Renda existe para apenas 29 milhões de pessoas, ou 14% da população. Sobre os demais brasileiros, recaem principalmente os tributos sobre o consumo – que abarcam quase toda a população e, diferentemente das taxas sobre renda, cobram a mesma porcentagem de dinheiro dos pobres e dos ricos. Estes, por sua vez, deveriam arcar com a maior fatia dos impostos de renda, mas recebem tratamento especial do Leão: no clube dos 4% mais ricos, metade dos rendimentos não são taxados. O =igualdades desta semana é sobre a carga tributária no Brasil.

A carga tributária no Brasil é de 32,3% do PIB nacional – fatia maior do que na Turquia (25,5%) e no Chile (20,4%), países com PIB per capita similar ao brasileiro. No entanto, tomando como base a arrecadação per capita, os três países têm a mesma carga tributária anual: US$ 2,8 mil por habitante.

Os impostos sobre renda e lucros representam 19,2% da carga tributária do Brasil. Já os impostos sobre consumo de bens e serviços respondem por 48,4% dessa carga. Ou seja, para cada R$ 1 arrecadado com impostos de renda, R$ 2,50 são arrecadados com impostos sobre bens e serviços, pagos igualmente por todos.

No ano passado, 29,1 milhões de pessoas declararam Imposto de Renda no Brasil. Desse total, os 4% mais ricos (1,1 milhão de pessoas) declararam rendimentos de R$ 1 trilhão à Receita Federal – o equivalente a um terço de tudo o que foi declarado. Os 96% restantes declararam os outros dois terços.

A cada R$ 5 declarados pelo grupo dos 4% mais ricos, R$ 2,50 foram isentos de tributação. Já entre os demais contribuintes, de cada R$ 5 declarados, apenas R$ 1 foi isento.

O Distrito Federal é a unidade da federação onde os declarantes de Imposto de Renda têm a maior renda tributável per capita: R$ 95 mil por ano. Isso equivale a 1,6 vezes a renda tributável per capita do estado de São Paulo (R$ 59 mil).

A renda tributável per capita dos funcionários públicos no Brasil (R$ 89 mil) é 2,5 vezes maior que a dos donos de empresas (R$ 33,8 mil).

A indústria de transformação é o setor da economia brasileira que mais recolhe impostos no Brasil. Em 2018, arrecadou R$ 258 bilhões. Isso é o dobro do que foi arrecadado com impostos no comércio (R$ 126,5 bilhões).

Fontes: Receita Federal; Banco Mundial; Instituição Fiscal Independente (IFI); Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

Luigi Mazza (siga @LuigiMazzza no Twitter)

Repórter da piauí, produtor da rádio piauí e diretor do podcast Foro de Teresina

Renata Buono (siga @revistapiaui no Twitter)

Renata Buono é designer e diretora do estúdio BuonoDisegno

leia mais

Últimas Mais Lidas

Médico no Rio se arrisca mais e ganha menos

Governo Witzel corta adicionais de insalubridade de profissionais que atuam contra a Covid-19 em hospital da Uerj

Maria vai com as outras #8: Ela voltou

Monique Lopes, atriz pornô e acompanhante, fala novamente com Branca Vianna, agora sobre seu trabalho durante a pandemia do novo coronavírus

Autor de estudo pró-cloroquina admite erros em pesquisa

Enquanto isso, maior investigação já realizada sobre a droga reitera que não há benefício comprovado contra Covid-19 e alerta para riscos

Mortos que o vírus não explica

Belém tem quase 700 mortes a mais do que o esperado apenas em abril; oficialmente, Covid-19 só matou 117

Foro de Teresina #101: Bolsonaro sob pressão

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Lockdown à brasileira

Como estados e municípios usam estratégias de confinamento com prazos e métodos distintos contra a Covid-19

Amazônia perto do calor máximo

Pesquisa inédita revela que, acima de 32 graus Celsius, florestas tropicais tendem a emitir mais carbono na atmosfera do que absorver

Nem limão, nem feijões: sem milagres contra a Covid-19

Ministério Público e polícia investigam “receitas infalíveis” contra o vírus

Valores permanentes, circunstâncias efêmeras

Cinema, apesar de tudo, mas em que condições?

Mais textos
1

Dentro do pesadelo

O governo Bolsonaro e a calamidade brasileira

2

Tem cloroquina?

Um balconista de farmácia conta seu dia a dia durante a pandemia

3

Mortos que o vírus não explica

Belém tem quase 700 mortes a mais do que o esperado apenas em abril; oficialmente, Covid-19 só matou 117

4

Nem limão, nem feijões: sem milagres contra a Covid-19

Ministério Público e polícia investigam “receitas infalíveis” contra o vírus

5

Autor de estudo pró-cloroquina admite erros em pesquisa

Enquanto isso, maior investigação já realizada sobre a droga reitera que não há benefício comprovado contra Covid-19 e alerta para riscos

6

Amazônia perto do calor máximo

Pesquisa inédita revela que, acima de 32 graus Celsius, florestas tropicais tendem a emitir mais carbono na atmosfera do que absorver

8

Uma biografia improvável

O que são vírus – esses parasitas que nos deram nada menos que 8% do nosso DNA

9

O que move a CNN Brasil

Com dois sócios que sempre estiveram ao lado do poder, a nova emissora tenta mostrar que pode ser independente

10

Quarentena evita um bilhão de toneladas de carbono na atmosfera

Emissão de poluentes caiu 17% no mundo; no Brasil, queda chegou a 25% em 20 de março, mas regrediu a 8% no fim de abril