Igualdades

Um, dois, feijão sem arroz

Luiza Ferraz e Renata Buono
14set2020_11h02

O preço dos alimentos da cesta básica dos brasileiros subiu depois da pandemia, principalmente em agosto. Segundo dados do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), o pacote de 10 quilos de arroz, por exemplo, chegou a custar, em média, 45 reais na capital do Rio de Janeiro, um aumento de aproximadamente 18% em relação a 2019 – já considerada a inflação. Além disso, a redução do valor do auxílio emergencial para 300 reais pode piorar ainda mais a situação. Com o novo benefício, não é possível comprar uma cesta básica nem mesmo em Aracaju, capital de Sergipe e cidade com a cesta mais barata. O =igualdades mostra o impacto do aumento desses preços no bolso e na mesa dos consumidores.

Em fevereiro, antes de a pandemia começar, um morador do Rio de Janeiro comprava 21 quilos de feijão preto com 100 reais. Seis meses depois, em agosto, esse mesmo valor só comprava 14 quilos.

Além do feijão, o arroz também sofreu com a alta nos preços. Se uma moradora de Campo Grande, capital de Mato Grosso do Sul, decidisse gastar 100 reais para comprar só arroz em fevereiro, antes do início do isolamento social, ela conseguiria levar 35 quilos para casa. Mas, em agosto, se ela levasse o mesmo dinheiro, compraria 9 quilos a menos.

Uma das possíveis explicações para a alta no preço dos alimentos da cesta básica é o aumento da exportação desses produtos, graças à valorização do dólar. De janeiro a agosto de 2019, o Brasil exportou 665 mil toneladas de arroz. No mesmo período deste ano, a exportação quase dobrou: foram 1,15 milhão de toneladas de arroz enviadas para outros países.



São Paulo foi uma das cidades onde o óleo de soja mais encareceu desde agosto de 2019. Naquela época, se um paulista comprasse 100 reais em óleo, ele conseguiria colocar 30 garrafas no carrinho do supermercado. Já em agosto deste ano, ele só conseguiria 21. Isso porque o item teve um aumento de 41,8% nas prateleiras.

No Sul, o churrasco, prato típico da região, ficou mais salgado em comparação ao ano passado. Em agosto de 2019, se uma moradora de Florianópolis utilizasse 100 reais para comprar carne, ela conseguiria assar 4 quilos. Já em agosto deste ano, com os mesmos 100 reais, só conseguiria 3 quilos.

Assim como no caso do arroz, também houve aumento das exportações de carne. Enquanto o churrasco por aqui fica mais magro, lá fora fica mais gordo. De janeiro a agosto de 2020, o Brasil exportou pouco mais de 1 milhão de toneladas de carne congelada, 22% a mais que no mesmo período do ano passado. 

A redução no valor do auxílio emergencial terá impacto direto no consumo das famílias. Na cidade de São Paulo, por exemplo, com 600 reais era possível comprar 6 quilos de carne, 8 litros de leite, 5 quilos de feijão, 3 quilos de arroz, 2 quilos de farinha, 6 quilos de batata, 9 quilos de tomate, 6 quilos de pão francês, 600 gramas de café, 90 bananas, 3 quilos de açúcar, 1 garrafa de óleo de soja… e ainda sobravam 60 reais para 20 latinhas de cerveja. Já com 300 reais,  dá para comprar 6 quilos de carne, 8 litros de leite, 5 quilos de feijão, 3 quilos de arroz, 2 quilos de farinha, 3 quilos de açúcar, uma garrafa de óleo e uma dúzia de bananas.

Fonte: DIEESE (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos); Estatísticas de Comércio Exterior – Comex Stat.

Luiza Ferraz (siga @lz_ferraz no Twitter)

Estagiária de jornalismo na piauí

Renata Buono (siga @revistapiaui no Twitter)

Renata Buono é designer e diretora do estúdio BuonoDisegno

leia mais

Últimas Mais Lidas

Monitoramento à beira da explosão

Falhas nas tornozeleiras eletrônicas colocam em xeque o rastreamento de presos no Paraná

Reação adversa a Bolsonaro

Apostando na briga com Doria, presidente toma um caldo nas redes sociais e fica isolado na primeira semana de vacinação no Brasil

Uma agenda prioritária

Novos prefeitos e vereadores têm o desafio de implementar mudanças emergenciais nas cidades brasileiras, sobretudo nas áreas de maior vulnerabilidade social, onde tudo falta – como escancarou a pandemia

Ex-sócio da Vale é condenado por corrupção

Após julgamento que durou sete dias, tribunal da Suíça condenou o bilionário israelense Beny Steinmetz a cinco anos de prisão nesta sexta-feira (22)

Lobo nasce endividado

Com a dívida da União batendo recorde em 2020, governo federal emite títulos públicos até para pagar propaganda da nota de 200 reais

Foro de Teresina #134: Sem vacina, sem Trump, sem nada

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Mais textos
1

121

2

Natasha

Presente raro: a experiência metafísica e visionária de uma donzela russa, num conto que permaneceu guardado na Biblioteca do Congresso americano até o início deste ano, 31 anos após a morte do autor

5

O lobby da capivara

Como nasce um emoji

6

Ceci n’est pas une poire

Um retratista da polícia insiste em trabalhar com lápis e papel

7

Documentário Obit será exibido na véspera do Festival

Margalit Fox é uma das entrevistadas do filme que estará em cartaz em São Paulo

8

Retrospectiva 2011: Biografia de Jobs revela que Apple lançará iSarney

CUPERTINO – A biografia de Steve Jobs que chegou hoje às livrarias americanas causou impacto imediato nas ações da Apple, que subiram 23% só na parte da manhã. A valorização se deve à revelação de que, nos meses que antecederam sua morte, Jobs trabalhou incansavelmente no desenvolvimento do iSarney, um aplicativo para dispositivos móveis que permitirá ao usuário criar, em menos de 30 segundos, cinco ONGs de inclusão social, dois ministérios com orçamento superior a um bilhão de reais e pelo menos um novo estado nordestino.

9

Cria Bolsonaros

Mais popular cabo eleitoral do presidenciável do PSL no Nordeste, cearense de 20 anos abandonou sonho de ser candidato a Whindersson Nunes para ser candidato a deputado

10

Ndongo quer ser titular

A viagem e o sonho de um imigrante senegalês em terras gaúchas