Igualdades

Uma cidade nas calçadas de São Paulo

Marcella Ramos e Renata Buono
08jul2019_08h00

A Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social da prefeitura de São Paulo fez 107,5 mil atendimentos de pessoas nas ruas de São Paulo em 2018. Se essas pessoas formassem uma cidade, ela seria do tamanho de Paulínia, o 76º município mais populoso do estado.  Esse número não representa a quantidade de pessoas que de fato vive nas ruas, pois muitas estão em situação de rua momentaneamente, mas voltam para suas casas no fim do dia ou do mês. A Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social da capital mapeia essa população por meio de abordagens e questionários. Com base nesse levantamento, a piauí fez as comparações visuais desta semana.

 

 

A prefeitura de São Paulo identificou 107.578 pessoas nas ruas da capital em 2018. Isso não quer dizer que elas moraram o ano todo na rua, mas estiveram nas ruas em algum momento. É o dobro da população em situação de rua em Nova York (63.498) em dezembro de 2018. E 21,6 vezes a de Tóquio (4.977) em julho do mesmo ano.

 

Em comparação com a população, foram abordadas nas ruas em São Paulo 883 pessoas por cem mil habitantes, enquanto nas ruas de Nova York há 736 por cem mil e em Tóquio, 53 por cem mil.

 

 

Além de formar uma população igual à do 76º município mais populoso do estado, o total de pessoas identificadas nas ruas de São Paulo é equivalente à quantidade de empregados da BRF dentro e fora do Brasil (105 mil).

 

 

Ao todo, 15 mil pessoas declararam estar nas ruas por causa do desemprego. Essa quantidade é próxima ao número de funcionários da Havan (16 mil).

 

 

Das pessoas que deram um motivo para estarem nas ruas de São Paulo, o desemprego foi o mais frequente, citado por uma em cada três. Oito anos antes, em 2010, a maioria citou problemas com a família. A frequência também foi de uma para três.

 

 

Nas ruas da capital paulista, foram identificados seis vezes mais homens (92 mil) que mulheres (15,5 mil).

 

 

Uma em cada seis pessoas abordadas pela prefeitura admitiu ter dependência química. O principal problema é o alcoolismo, citado por 12 mil pessoas, enquanto menos da metade declararam ser usuários de crack (5,1 mil).

 

 

301 pessoas declararam ter ensino superior completo. Para cada diplomado, há 4,4 analfabetos (1.322). E para cada formado no ensino médio (4.419), 5,4 que não passaram do ensino fundamental (23.903)

 

 

A prefeitura identificou também 4.576 crianças de 0 a 14 anos nas ruas em 2018. Para cada uma delas, encontrou 7 adultos de 35 a 44 anos (31.693) na mesma situação.

 

Fontes: Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social da Cidade de São Paulo; Coalition for the Homeless; Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar do Japão; Havan; BRF; IBGE.

* Texto alterado às 12h27 para esclarecer que nem todas as pessoas abordadas vivem nas ruas de São Paulo permanentemente

 

Marcella Ramos (siga @marcellamrrr no Twitter)

Repórter e coordenadora de checagem da piauí

Renata Buono (siga @revistapiaui no Twitter)

Renata Buono é designer e diretora do estúdio BuonoDisegno

leia mais

Últimas Mais Lidas

Maria vai com as outras #1: Poder

A prefeita Márcia Lucena e a delegada Cristiana Bento contam como exercem o poder em profissões quase sempre ocupadas por homens

Foro de Teresina especial: aguarde

O programa, que contou com a participação da jornalista Maria Cristina Fernandes, foi gravado ao vivo durante o evento que reuniu os melhores podcasters do país

Entre gargalhadas, cotidiano e estratégia: os podcasts de humor

Linguagem politicamente incorreta e medo da repetição estão entre as preocupações dos realizadores 

Em podcasts jornalísticos, muito planejamento e pouco improviso

Produção diversificada e roteiro bem construído ajudam a resumir informação e análise

Um podcast pra chamar de seu: os temas de cada tribo

Futebol, feminismo e história motivam conteúdos produzidos para grupos específicos; para realizadores, nem todo patrocínio é bom

Podcast, um novo modelo de negócio

Mesa de abertura da segunda edição do evento discutiu estratégias de financiamento 

Acompanhe a transmissão ao vivo da segunda Maratona Piauí CBN de Podcast

Encontro está sendo transmitido em áudio e em vídeo nos sites e redes sociais da piauí e da CBN

Sem saúde nem plano

Por que os planos de saúde privados se tornam inviáveis a partir dos 60 anos e como algumas operadoras conseguem cobrar menos

Foro de Teresina #64: A fritura de Moro, a expulsão de Frota e o acordo de Itaipu

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Mais textos
1

A vovó fashion

Uma influencer e seus looks ousados

2

A imprevidência chilena

Elogiado por Bolsonaro e Guedes, regime de capitalização implantado no Chile tem aposentadoria média inferior ao salário mínimo

3

Acordo de WhatsApp para manter Frota no PSL não resiste a canetada de Bolsonaro

Bancada selou em grupo de aplicativo permanência do deputado, que acabou expulso depois de criticar Eduardo; outros parlamentares devem ser enquadrados

4

Sem saúde nem plano

Por que os planos de saúde privados se tornam inviáveis a partir dos 60 anos e como algumas operadoras conseguem cobrar menos

5

Foro de Teresina #64: A fritura de Moro, a expulsão de Frota e o acordo de Itaipu

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

6

O pit bull do papai

Os tormentos e as brigas de Carlos Bolsonaro, o filho mais próximo do presidente

7

Um novo epílogo para Eike Batista

Investigação que levou empresário de volta à cadeia mostra como ele enganou investidores e manipulou preço das ações

8

Operação zangão

O combate ao furto de abelhas no interior de Minas Gerais

9

Por que João Gilberto é João Gilberto

Diretor artístico da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo comenta, ao violão, legado do inventor da bossa nova; veja os vídeos