Igualdades

Uma cidade nas calçadas de São Paulo

Marcella Ramos e Renata Buono
08jul2019_08h00

A Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social da prefeitura de São Paulo fez 107,5 mil atendimentos de pessoas nas ruas de São Paulo em 2018. Se essas pessoas formassem uma cidade, ela seria do tamanho de Paulínia, o 76º município mais populoso do estado.  Esse número não representa a quantidade de pessoas que de fato vive nas ruas, pois muitas estão em situação de rua momentaneamente, mas voltam para suas casas no fim do dia ou do mês. A Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social da capital mapeia essa população por meio de abordagens e questionários. Com base nesse levantamento, a piauí fez as comparações visuais desta semana.

 

 

A prefeitura de São Paulo identificou 107.578 pessoas nas ruas da capital em 2018. Isso não quer dizer que elas moraram o ano todo na rua, mas estiveram nas ruas em algum momento. É o dobro da população em situação de rua em Nova York (63.498) em dezembro de 2018. E 21,6 vezes a de Tóquio (4.977) em julho do mesmo ano.

 

Em comparação com a população, foram abordadas nas ruas em São Paulo 883 pessoas por cem mil habitantes, enquanto nas ruas de Nova York há 736 por cem mil e em Tóquio, 53 por cem mil.

 

 

Além de formar uma população igual à do 76º município mais populoso do estado, o total de pessoas identificadas nas ruas de São Paulo é equivalente à quantidade de empregados da BRF dentro e fora do Brasil (105 mil).

 

 

Ao todo, 15 mil pessoas declararam estar nas ruas por causa do desemprego. Essa quantidade é próxima ao número de funcionários da Havan (16 mil).

 

 

Das pessoas que deram um motivo para estarem nas ruas de São Paulo, o desemprego foi o mais frequente, citado por uma em cada três. Oito anos antes, em 2010, a maioria citou problemas com a família. A frequência também foi de uma para três.

 

 

Nas ruas da capital paulista, foram identificados seis vezes mais homens (92 mil) que mulheres (15,5 mil).

 

 

Uma em cada seis pessoas abordadas pela prefeitura admitiu ter dependência química. O principal problema é o alcoolismo, citado por 12 mil pessoas, enquanto menos da metade declararam ser usuários de crack (5,1 mil).

 

 

301 pessoas declararam ter ensino superior completo. Para cada diplomado, há 4,4 analfabetos (1.322). E para cada formado no ensino médio (4.419), 5,4 que não passaram do ensino fundamental (23.903)

 

 

A prefeitura identificou também 4.576 crianças de 0 a 14 anos nas ruas em 2018. Para cada uma delas, encontrou 7 adultos de 35 a 44 anos (31.693) na mesma situação.

 

Fontes: Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social da Cidade de São Paulo; Coalition for the Homeless; Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar do Japão; Havan; BRF; IBGE.

* Texto alterado às 12h27 para esclarecer que nem todas as pessoas abordadas vivem nas ruas de São Paulo permanentemente

 

Marcella Ramos (siga @marcellamrrr no Twitter)

Repórter e coordenadora de checagem da piauí

Renata Buono (siga @revistapiaui no Twitter)

Renata Buono é designer e diretora do estúdio BuonoDisegno

leia mais

Últimas Mais Lidas

Boatos sobre políticas públicas serão o foco da nova edição do projeto Comprova

Iniciativa, no ar a partir de hoje, conta com a participação da piauí e de mais 23 veículos de todo o país

Falta de verbas e governo Bolsonaro ameaçam legado do SUS

Cientistas projetam piora de indicadores de saúde pública caso haja estagnação dos recursos para a área

Foro de Teresina #59: A popularidade de Bolsonaro, o Congresso após a Previdência e o espólio de Moro

Podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

O carteiro de Lula

Desconhecido até prisão de ex-presidente, auxiliar assume tarefa de entregar quase tudo que petista vê e lê

Vozes do levante

As batalhas de poesia que têm transformado a vida de jovens das periferias chegam à Flip

Fiador da Previdência, Maia se lança, chora e aprova reforma

Presidente da Câmara faz discurso de candidato, omite Bolsonaro e diz que vitória é do Centrão

Divino Amor – um Brasil distópico

Futuro apresentado no filme de Mascaro tem flagrantes dos dias atuais

Maia cresce no Twitter, Moro dispara e Mourão some

Vazamentos da Lava Jato mantêm ministro da Justiça como personagem do bolsonarismo mais citado na rede

Dois meses de dor e chicungunha no Rio

Casos de 2019 são mais que o dobro do total registrado em 2018; prefeitura fala em “suscetibilidade” dos cariocas ao vírus

Mais textos
1

O carteiro de Lula

Desconhecido até prisão de ex-presidente, auxiliar assume tarefa de entregar quase tudo que petista vê e lê

2

O pranto dos livros

Texto de 17 de janeiro de 1997, extraído de um dos quase cem cadernos deixados pelo autor de Formação da Literatura Brasileira

3

A redenção dos cinco

Um filme sobre os rapazes presos por um estupro que não cometeram

5

O pit bull do papai

Os tormentos e as brigas de Carlos Bolsonaro, o filho mais próximo do presidente

6

Fiador da Previdência, Maia se lança, chora e aprova reforma

Presidente da Câmara faz discurso de candidato, omite Bolsonaro e diz que vitória é do Centrão

8

Juízes expulsos receberam R$ 137 milhões em aposentadorias

Valor pago a 58 magistrados punidos com aposentadoria compulsória desde 2009 pelo CNJ daria para sustentar 1.562 aposentados do INSS

9

Falta de verbas e governo Bolsonaro ameaçam legado do SUS

Cientistas projetam piora de indicadores de saúde pública caso haja estagnação dos recursos para a área

10

Foro de Teresina #59: A popularidade de Bolsonaro, o Congresso após a Previdência e o espólio de Moro

Podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana