questões da política

Conflito com Rede Globo é chave para candidatura de Huck

Apresentador tem até sexta para responder ultimato da emissora; disputa contratual pode ser usada contra pecha de “candidato da Globo”

José Roberto de Toledo
15fev2018_15h36
FOTO: EDUARDO ANIZELLI_FOLHAPRESS

Éamanhã. Luciano Huck recebeu ultimato para definir até esta sexta-feira se é candidato ou não. Foi dado pela Rede Globo, que evocou a cláusula padrão dos contratos da emissora segundo a qual todo contratado tem que avisar com um ano de antecedência se disputará cargo eletivo. Encontros de Huck com políticos como Fernando Henrique Cardoso dariam base, em tese, para a emissora cobrar a multa rescisória, equivalente a vários “salários” do apresentador. Pagar dezenas de milhões de reais de indenização – ou levar a disputa à Justiça – é o preço para Huck viabilizar sua candidatura à Presidência. Talvez não seja tão caro assim.

Simulado ou real, o conflito público com o empregador permitiria ao apresentador tentar se livrar da pecha de “candidato da Globo”. Seria também uma maneira de a emissora dizer que não tem candidato naquela que promete ser a eleição presidencial mais acirrada desde o fim da ditadura. A disputa contratual pode ser a base de um acordo tácito entre Huck e a Globo. Ou não.

A pressão da mulher, dos pais e do irmão para que Huck não seja candidato não arrefeceu. Apresentadora como o marido, Angélica também perderia seu contrato com a emissora. De horário próprio na programação da tevê passaria a ser candidata a primeira-dama. A tempestade nas mídias sociais durante o Carnaval – motivada pela notícia de que Huck teve seu jatinho financiado pelo BNDES a juros negativos (menores do que a inflação) – deu uma amostra do que ele tende a enfrentar se vier a confirmar sua candidatura.

Há também questões judiciais envolvidas na decisão. Nesta quinta-feira, o ministro Napoleão Nunes, do Tribunal Superior Eleitoral, arquivou denúncia de dois senadores do PT contra Huck e seu colega Fausto Silva por abuso de poder econômico. O motivo foi uma aparição do apresentador no Domingão do Faustão, em 7 de janeiro, que os petistas consideraram campanha antecipada. Na sua defesa, Huck disse que não é candidato. Essa afirmação foi repetida na sentença do ministro. Se o apresentador se candidatar, o caso pode ressuscitar.

Falando no outro ouvido do apresentador estão políticos como FHC e Roberto Freire – presidente do PPS, partido pelo qual Huck se candidataria. Mas não só. Entres os apoiadores da candidatura presidencial estão alguns dos maiores empresários do país, como Jorge Paulo Lemann, e financistas como Armínio Fraga e Eduardo Mufarrej. Este último criou um mecanismo para apoiar candidatos – a maioria a deputado federal – chamado RenovaBr. Esboço de uma base parlamentar huckiana? O vídeo com uma fala do apresentador foi uma das atrações do evento de lançamento do movimento.

Mas nenhum empresário ou político levantou argumentos mais fortes para reanimar o Huck candidato do que a condenação de Lula em segunda instância e a perspectiva de o ex-presidente vir a ser preso. Pesquisas encomendadas pelo apresentador mostram que ele tem potencial para conquistar uma fatia dos eventuais órfãos da candidatura do petista, especialmente os mais pobres.

Nesse segmento do eleitorado a história de Huck tem mais apelo. É entre quem cola melhor o que os estrategistas do apresentador gostam de chamar de narrativa “aspiracional”. Segundo ela, o Huck candidato seria um novo capítulo do Huck apresentador. Como na tevê, ele representaria o facilitador que ajuda outros a realizarem seus sonhos. A diferença seria de escala: em vez de um telespectador por programa, milhões de eleitores por eleição.

Da idealização do roteiro ao sucesso nas urnas vai um longo caminho, cheio de armadilhas e contradições. Resolver a primeira delas é condição indispensável para a jornada do candidato poder mesmo começar: ser um nome global sem ser o candidato da Globo.

P.S.: O anúncio oficial só sai nesta sexta, mas o colunista Lauro Jardim, de O Globo, publicou nota em sua coluna on-line afirmando que Huck decidiu não se candidatar. Sinal de que não conseguiu resolver o conflito com a Rede Globo.

José Roberto de Toledo (siga @zerotoledo no Twitter)

Jornalista da piauí, foi repórter e colunista de política na Folha e no Estado de S. Paulo e presidente da Abraji

Leia também

Últimas Mais Lidas

Médicos de menos, as doenças de sempre

A história de quatro pacientes crônicos do sertão do Ceará que estão há um mês sem os tratamentos que precisam, após a saída dos profissionais cubanos do país

Foro de Teresina #31: O escândalo do motorista, o antiministro do Meio Ambiente e o barraco do PSL

O podcast da piauí analisa os fatos mais recentes da política nacional

Na Câmara, com o novo e o seminovo

Dois deputados em primeiro mandato – um novato autêntico e o herdeiro de seis gerações de parlamentares – contam sua preparação para sobreviver em Brasília

Bloqueio – caminhoneiros em greve

Incertezas retratadas no documentário são referência para entender as mudanças políticas no país

“Me fingi de morta e assim sobrevivi”

Sobrevivente da chacina da Catedral de Campinas reconstitui a cena da tragédia, protagonizada por um assassino de família católica praticante

Mulheres de “facção”

Sem emprego formal, costureiras trabalham até 14 horas por dia para intermediários da indústria da moda, as chamadas “facções”

Olavo interrompido

Guru do governo Bolsonaro tem participação na Cúpula Conservadora das Américas frustrada pelo meio que o fez famoso, a internet

Não é só pelos 6 centavos de euro

Quem são e o que pensam os “coletes amarelos” e como lideraram um movimento popular e populista que paralisa a França há três semanas

Expansionista, Guedes sofre sua primeira derrota

Futuro ministro da Economia incluiu Apex na estrutura da sua pasta, mas perdeu a agência de comércio após disputa com Itamaraty

A vingança do analógico

Precisamos reaprender a usar a internet

Mais textos
1

Os pequenos passos do astronauta Marcos Pontes

Em reunião com cientistas em Brasília, futuro ministro da Ciência e Tecnologia mostrou ainda não estar pronto para se despir do macacão de palestrante de autoajuda

2

Olavo interrompido

Guru do governo Bolsonaro tem participação na Cúpula Conservadora das Américas frustrada pelo meio que o fez famoso, a internet

3

Não é só pelos 6 centavos de euro

Quem são e o que pensam os “coletes amarelos” e como lideraram um movimento popular e populista que paralisa a França há três semanas

4

“Me fingi de morta e assim sobrevivi”

Sobrevivente da chacina da Catedral de Campinas reconstitui a cena da tragédia, protagonizada por um assassino de família católica praticante

7

Na Câmara, com o novo e o seminovo

Dois deputados em primeiro mandato – um novato autêntico e o herdeiro de seis gerações de parlamentares – contam sua preparação para sobreviver em Brasília

8

Rakudianai

A política, a prisão, o encontro com o crocodilo, o julgamento e meu pai: lembranças de quarenta anos atrás

9

Xô, esquerda!

Pastores da Universal agora livram os fiéis de possessões comunistas?

10

Expansionista, Guedes sofre sua primeira derrota

Futuro ministro da Economia incluiu Apex na estrutura da sua pasta, mas perdeu a agência de comércio após disputa com Itamaraty