rádio piauí

A Terra é redonda: Depois da pandemia

Especialistas discutem como ficam a saúde mental, a luta contra o racismo, a vigilância e a confiança na ciência no mundo pós-coronavírus

14jul2020_05h00

O décimo episódio de A Terra é redonda reflete sobre como será o mundo após a passagem do novo coronavírus. O apresentador Bernardo Esteves convida especialistas para discutirem como devem ficar a saúde mental dos brasileiros, a luta contra o racismo estrutural, a vigilância do Estado sobre os cidadãos e a confiança da população na ciência depois da pandemia. 

A psiquiatra e neurocientista Natália Mota apresenta um estudo que investiga os sonhos dos brasileiros durante a quarentena e mostra como eles apontam para os desafios de saúde mental que o novo coronavírus deixará como legado.

A historiadora e antropóloga Lili Schwarcz explica por que considera a pandemia um desfecho simbólico para o século XX e discute como as ciências humanas e sociais podem nos orientar no mundo pós-coronavírus.

A epidemiologista Emanuelle Góes mostra por que a população negra é mais vulnerável à Covid-19 e aponta os desafios para que a sociedade brasileira combata o racismo estrutural depois da pandemia.



A comunicóloga Fernanda Bruno analisa o caso dos países que apostaram na vigilância de seus cidadãos para combater a Covid-19 e discute como a sociedade pode resguardar sua privacidade no mundo pós-coronavírus.

Por fim, o físico e sociólogo da ciência Yurij Castelfranchi examina como o novo coronavírus afetou a confiança da população na ciência e reflete sobre o futuro do ensino e da divulgação científica depois da pandemia.

*

O décimo episódio marca o fim desta temporada de A Terra é redonda. A piauí continua de olho na pandemia causada pelo novo coronavírus nos podcasts Foro de Teresina, Maria vai com as outras e Luz no fim da quarentena.

*

Você pode seguir o podcast A Terra é redonda também nas redes sociais: no Twitter e no grupo fechado para os ouvintes no Facebook. Ouça outros episódios AQUI

Se quiser falar diretamente com a equipe, escreva para terraredonda@revistapiaui.com.br.

 

Ficha técnica:
Apresentação: Bernardo Esteves
Coordenação geral: Paula Scarpin
Roteiro: Bernardo Esteves, Flora Thomson-DeVeaux e Paula Scarpin
Checagem de apuração: Plínio Lopes
Produção: Mari Faria
Montagem: Clara Rellstab
Música: Mari Romano
Finalização e mixagem: João Jabace
Engenheiro de som: Danny Dee e Lucca Mendez
Identidade sonora: Mari Romano
Identidade visual: Paula Cardoso
Distribuição: Yasmin Santos
Redes sociais: Isabela Moreira
Coordenação digital: Kellen Moraes
Gravado em casa com apoio do estúdio Rastro

A Terra é redonda é uma produção da Rádio Novelo para a revista piauí

mais rádio piauí

Últimas Mais Lidas

Foro de Teresina #134: Sem vacina, sem Trump, sem nada

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Foro de Teresina #133: Pouca vacina, muita lambança

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Sem sintoma, com Covid-19

Estudo descobre que os 29% de casos sem nenhum sintoma de Covid-19 têm a mesma...

Foro de Teresina #132: Presidente mimimi

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

E a vacina, quando vem?

Fernando Reinach explica por que demora um ano e meio para testar uma vacina (como...

Foro de Teresina #131: Para que essa ansiedade?

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Máscara reduz seu risco e o do outro

Usar máscaras cirúrgicas reduz à metade perigo de contaminação; se o contaminado usar, probabilidade fica...

Foro de Teresina #130: À deriva, sem vacina

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Foro de Teresina #129: O Brasil na rabeira

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Dose errada é a certa?

AstraZeneca diz que dose menor de sua vacina contra o Sars-CoV-2 aumentou, sem querer, eficácia...

Mais textos
1

Natasha

Presente raro: a experiência metafísica e visionária de uma donzela russa, num conto que permaneceu guardado na Biblioteca do Congresso americano até o início deste ano, 31 anos após a morte do autor

2

Pontes e perdas – carta do leitor

O engenheiro civil Ubirajara Ferreira da Silva, “autor do projeto básico da ponte Forte-Redinha”, em Natal, escreve dizendo-se surpreso com os comentários feitos no post publicado semana passada. Transcrevo a seguir a carta recebida, na qual o missivista explica as razões técnicas que levaram a ponte a ser construída na foz do rio Potenji, e reconhece a ocorrência indicada de “retenções de trânsito que afligem a população, sobretudo nas horas de pico”:

3

Planos de candidatos para alfabetizar adultos são vagos

País não cumpre meta acertada com a Unesco e analfabetos são 11,5 milhões – e 4,4% dos 147 milhões de eleitores

4

“Snowden foi um herói de nosso tempo”

A pedido de piauí, o historiador Perry Anderson – autor do artigo A pátria americana, publicado nesta edição de outubro – enviou os seguintes comentários a respeito das recentes revelações sobre a espionagem cibernética dos Estados Unidos.

“O fato de nenhum país ocidental ter ousado dar asilo a Snowden diz muito sobre a realidade da Pax Americana”

5

Sinfonia para os sem-orquestra

Uma Heróica sob medida para instrumentistas espalhados pelo mundo inteiro

9

Lula se oferece para suceder Mandela

COSTA DO SAUÍPE – Profundamente abatido com o falecimento de Nelson Mandela, Lula convocou a imprensa para anunciar que está preparado para preencher a lacuna deixada pelo líder sul-africano. "O companheiro Mandela fez muita coisa boa, disso ninguém duvida. Não lhe coube, contudo, vencer a inflação, estabilizar a economia, transpor as águas do São Francisco, criar o Bolsa Família, lutar contra a pobreza, tourear a mídia burguesa, estabelecer cotas nas universidades, descobrir o Pré-Sal e difundir o Luz Para Todos”, disse. “Diante disto, ponho-me à disposição da Humanidade para sucedê-lo", concluiu, já posando para a estátua.

10

Ricardo Aronovich & Eduardo Coutinho

A foto de Eduardo Coutinho publicada na piauí 82, deste mês, foi feita por Ricardo Aronovich, o que explica a qualidade excepcional do registro.

Não tendo sido possível identificar a autoria a tempo, porém, a revista saiu sem o devido crédito, e só hoje, graças à suspeita levantada pelo próprio Coutinho ao ver a foto impressa, chegou a confirmação por e-mail do Aronovich de que a foto é mesmo dele.