Alckmin contrata cineasta iraniano para preencher tempo de TV

20jul2018_17h48
O primeiro programa deve gastar cinco horas com cenas de Alckmin jogando Sudoku
O primeiro programa deve gastar cinco horas com cenas de Alckmin jogando Sudoku

CENTREERÃ – “Foi a escolha dos sonhos. Com o tempo que teremos de televisão, tinha que ser alguém que saiba ser contemplativo sem ser vulgar”, explicou o presidenciável Geraldo Alckmin, em evento na sede do PSDB em que anunciou a contratação de um cineasta iraniano para dirigir o seu programa televisivo. Após fechar aliança com os partidos do chamado Centrão, Alckmin passou a ter direito a 22 horas diárias de espaço no horário eleitoral.

“A gente pensou em simplesmente diminuir a velocidade do vídeo, mas aí cada palavra minha duraria 17 minutos. Pensamos também em fazer merchan pra Top Therm, vendendo aquela iogurteira que transforma todo deputado do Centrão num frozen tucano, mas o Waldemar Costa Neto já tinha fechado a verba de propaganda com uma construtora baiana”, explicou o presidenciável. “Aí a nossa juventude do cinema da FAAP deu essa sugestão do cineasta iraniano, que tinha tudo a ver. De escombro de guerra pra escombro de obra do metrô de São Paulo é um pulo.”

A indicação desbancou outros nomes bastante cotados na cúpula tucana, como os dos diretores dos programas de TV de Amaury Junior, Otávio Mesquita e Bruno de Lucca. “Eram diretores capazes de passar a imagem do típico homem do povo que o brasileiro gosta de ver ocupando a prefeitura de São Paulo”, disse Alckmin. “Mas todos já estavam trabalhando com o Dória.”