PT comemora: “Estamos perto de vencer o pleito para líder da oposição”

16out2018_19h37
O PT afirmou que deliberou em assembléia que o partido não deve dar atenção total à campanha para a Presidência e focar esforços na taça Libertadores da América
O PT afirmou que deliberou em assembléia que o partido não deve dar atenção total à campanha para a Presidência e focar esforços na taça Libertadores da América

SÃO JANUÁRIO – As duras críticas ao PT tecidas por Cid Gomes, irmão do ex-presidenciável Ciro Gomes, parecem não ter perfurado a blindagem antiautocrítica do partido. Em coletiva realizada hoje pela manhã, a presidente do partido, Gleisi Hoffmann, elogiou a postura de Cid: “Ele veio aqui nos ajudar na nossa cruzada para garantir a derrota para a presidência e, portanto, a frente de oposição ao futuro governo.”

Gleisi admitiu que esse sempre foi o plano número 1 do partido: “Foi algo debatido desde o início, com um calendário muito bem planejado de autossabotagem. Primeiro teve a escolha do candidato aos 45 do segundo tempo, depois as declarações do Zé Dirceu, agora a tentativa de alianças com gente que a gente sempre esculhambou. Por fim esse convite ao Cid para subir num palanque do Haddad. Vamos combinar que era mais fácil conseguir uma palavra de apoio do Alexandre Frota do que do Cid Gomes.” Ela se disse orgulhosa com a última pesquisa do Ibope, que mostrou uma taxa de rejeição de 47% contra o Partido dos Trabalhadores. “Para mim a mensagem é bem clara: 47% dos brasileiros nos querem na oposição. Se houvesse eleição nesse momento, ganharíamos no primeiro turno.”

Em nota, o partido mais uma vez se esquivou de um possível mea culpa em relação aos erros cometidos por administrações passadas: “Se existe um erro cometido pelo PT foi o de não cometer erros suficientes e, em relação a isso, o partido está se esforçando bravamente para melhorar”.