Carlos Bolsonaro e Djavan firmam parceria musical

22abr2019_17h40
O disco será lançado pela gravadora Soldado Universal Music
O disco será lançado pela gravadora Soldado Universal Music

AMARELO DESERTO – “O lançamento é um projeto que é projétil e alvo em si. Algoz capaz de zunzum de alcaçuz. Paca tatu, cotia não”, tuitou um enigmático Carlos Bolsonaro na noite do domingo de Páscoa, colocando uma pulga atrás da orelha dos internautas. Alguns supuseram que a mensagem versava sobre o estatuto do desarmamento, outros acreditaram ser uma confabulação sobre o Ministério do Meio Ambiente.

O mistério foi solucionado na manhã desta segunda-feira, quando Carlos revelou que a frase nada mais era do que um verso de sua nova composição com o cantor Djavan, com quem firmou uma parceria musical. “Eu nunca entendi o que o Carlos escreve; o Carlos nunca entendeu o que eu canto. Foi um encontro de almas”, explicou Djavan, antes de passar a palavra de volta ao vereador carioca. “A grande mídia não quer entender, mas sempre tivemos muito em comum. Quando Dja canta o ‘Açaí Guardião’ sabemos que se trata do guardião da moral e dos bons costumes. Seu ‘Samurai’ é um guerreiro solitário e contra o desarmamentismo tosco, vil e voraz, tinindo no ouvido do menino de chinelo”, complementou Carlos.

A obra deve ser lançada no mês que vem, com as músicas “Meu homem de bem querer”, “Atirador de Lis” e “Fato Censurado”. Especialistas da indústria fonobélica apostam que ela venda o suficiente para ganhar o Disco de Chumbo Grosso.

Arquivo
O The piauí Herald não é uma seção noticiosa, mas exclusivamente de humor, com sátiras da realidade política do Brasil.