Além de Faustão, Sergio Moro se comunicou também com Louro José, Xaropinho, João Kléber e Palmirinha

05jul2019_17h23
Também constam na lista de conversas do grupo de Moro e Dallagnol pessoas como Daniel Azulay, Ricardo Machi, Cláudio Heinrich, Andréa Sorvetão, Mari Alexandre, Sula Miranda, Deborah Blando, Hugo Oyama e Tatau do Araketu
Também constam na lista de conversas do grupo de Moro e Dallagnol pessoas como Daniel Azulay, Ricardo Machi, Cláudio Heinrich, Andréa Sorvetão, Mari Alexandre, Sula Miranda, Deborah Blando, Hugo Oyama e Tatau do Araketu

DOMINGÃO DO SERJÃO – “Rapaaaaaaaiz”, escreveu apreensivo o boneco Xaropinho, em mensagem do Telegram endereçada ao ex-juiz Sérgio Moro. “É verdade essa história de que vai ter uma operação lava-rato? Rapaaaaaaaiz!!!” 

A mensagem faz parte do conjunto de conversas do ex-juiz publicadas hoje pelo site Intercept Brasil e pela revista Veja. Além do apresentador Fausto Silva e do boneco Xaropinho, Moro também travou diálogos sensíveis sobre a Lava-Jato com João Kléber, Louro José, Palmirinha, Bruno de Lucca, Chay Suede, Dr. Bumbum, Khaled, Jesus Luz, Leo Stronda, “Pablo do Qual é a Música?” e com um procurador especializado na confecção de Power Points de gosto duvidoso. O conjunto de conversas pode levar ao cancelamento da prisão de Lula no STF e a uma convocação do agora ministro para novas explicações à nação, dessa vez no quadro Arquivo Confidencial do “Domingão do Faustão”.

O quadro, inclusive, deve mudar de nome para Delação Confidencial, de acordo com diálogos entre Moro e Faustão obtidos exclusivamente por este The piauí Herald, aqui reproduzidos:

Moro – 09:07:39 – Fausto, essa coisa de arquivo confidencial tá meio fora de moda. Até porque hoje em dia, nem conversa privada de presidente petista em exercício é mais confidencial kkkkkk

Fausto – 09:08:37 – Ô loco, meu, o senhor é uma grande fera tanto no pessoal quanto no inconstitucional!

Além do apresentador global, os vazamentos indicam que Moro negociou a criação de um quadro televisivo com o polêmico João Kléber. A ideia era a produção de um quadro chamado “Teste de Imparcialidade”, mas o desenvolvimento foi impugnado por liminar do STF.

Arquivo
O The piauí Herald não é uma seção noticiosa, mas exclusivamente de humor, com sátiras da realidade política do Brasil.