perfil

A exilada

Por que a ativista Buba Aguiar teve de deixar a favela de Acari, no Rio

Tiago Coelho
“Se mataram a Marielle, o que vai acontecer comigo?”, repetia Buba Aguiar poucas horas depois da morte da vereadora do PSOL. Àquela altura, a militante e outros dois parceiros do coletivo Fala Akari já haviam decidido fugir da comunidade
“Se mataram a Marielle, o que vai acontecer comigo?”, repetia Buba Aguiar poucas horas depois da morte da vereadora do PSOL. Àquela altura, a militante e outros dois parceiros do coletivo Fala Akari já haviam decidido fugir da comunidade VINCENT ROSENBLATT_2018

Assim que entrou por uma das principais vias do Complexo de Acari, Buba Aguiar correu os olhos miúdos pelas imediações. Parecia conferir se tudo continuava do mesmo jeito desde que partira, à revelia, na madrugada do dia 15 de março. A favela se alastra à margem da avenida Brasil, na Zona Norte do Rio de Janeiro, e tem cerca de 27 mil habitantes. Naquela tarde de julho, a ativista negra de 26 anos, baixa e  com cabelos encaracolados, retornava à comunidade onde havia morado por mais de uma década. Integrante do coletivo Fala Akari, que luta pelos interesses da favela, a jovem estava ali para acompanhar o trabalho da Defensoria Pública do estado. Desde a intervenção federal no Rio, decretada pelo presidente Michel Temer em fevereiro, grupos de defensores percorrem as áreas pobres da cidade com o intuito de explicar quais são os direitos de seus moradores durante as abordagens das forças de segurança.

Os doze representantes da Defensoria que participavam da ação se dividiram em duas frentes. Cada uma adentrou o complexo por um ponto. Aguiar se juntou à equipe liderada pelo defensor Daniel Lozoya. O grupo se aproximava dos moradores e entregava panfletos com perguntas e respostas. Uma das indagações: “O que os agentes de segurança podem?” A resposta: revistar uma pessoa sem mandado judicial nos casos de prisão ou quando houver clara suspeita sobre seus atos; levá-la à delegacia para verificação se ela estiver sem documentos; revistar qualquer veículo sem mandado judicial desde que o dono acompanhe a operação; prender um indivíduo apenas se ele for pego em flagrante cometendo algum crime ou por mandado judicial; entrar na casa de alguém somente com mandado judicial.

MATÉRIA FECHADA PARA ASSINANTES
Para acessar, assine a piauí

Tiago Coelho

Repórter da piauí e roteirista

Leia também

Últimas Mais Lidas

Projeto da piauí é um dos vencedores de desafio do Google

"Refinaria de Histórias" vai transformar reportagens em séries, filmes e documentários

Maria Vai Com as Outras #6 – parte II: Trans – Gênero, corpo e trabalho

A advogada Márcia Rocha fala sobre a inserção de pessoas trans no mercado de trabalho formal

PT e aliados preparam campanha Lula-2022

Solto, ex-presidente vai percorrer o país e comandar oposição a Bolsonaro

Os donos do Supremo

Professora da FGV critica poder absoluto da presidência da Corte sobre pauta de votação: “Pode levar todo o tribunal para o buraco”

Foro de Teresina #76: O mistério da casa 58, o golpismo bolsonarista e o pacote de Paulo Guedes

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Começo para uma história sem fim

Como uma foto, um porteiro e um livro de registros complicaram ainda mais a investigação do caso Marielle

Parasita – nepotismo, corrupção e benfeitores

Em conexão inesperada com o Brasil, sátira coreana ajuda a pensar sobre parasitas e hospedeiros

Na piauí_158

A capa e os destaques da revista que começa a chegar às bancas

Mais textos
1

Começo para uma história sem fim

Como uma foto, um porteiro e um livro de registros complicaram ainda mais a investigação do caso Marielle

3

O estelionatário

O brasileiro que enganou um mafioso italiano, políticos panamenhos e Donald Trump

5

Cientista da democracia

O que os experimentos de Claudio Ferraz têm a dizer sobre o nosso sistema político, a sabedoria do eleitor e o governo de Jair Bolsonaro

7

Na piauí_158

A capa e os destaques da revista que começa a chegar às bancas

8

PT e aliados preparam campanha Lula-2022

Solto, ex-presidente vai percorrer o país e comandar oposição a Bolsonaro

9

Os donos do Supremo

Professora da FGV critica poder absoluto da presidência da Corte sobre pauta de votação: “Pode levar todo o tribunal para o buraco”

10

Foro de Teresina #76: O mistério da casa 58, o golpismo bolsonarista e o pacote de Paulo Guedes

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana