minha conta a revista fazer logout faça seu login assinaturas a revista
piauí jogos

    CRÉDITO: ANDRÉS SANDOVAL_2022

esquina

Alerta Carrão!

Ator é seguido por fãs em rodas de samba no Rio

Camille Lichotti | Edição 193, Outubro 2022

A+ A- A

No penúltimo domingo de agosto, o samba comia solto na Praça da Glória, no Rio de Janeiro. A Gloriosa Roda de Samba (nome oficial do evento) estava longe de acabar quando a estudante Harumy Sato, de 21 anos, decidiu ir embora, pouco depois das nove da noite. A jovem esgueirava-se entre a multidão a caminho da saída, quando um vulto passou à sua esquerda cortando o mar de gente que rodeava os músicos. “É o Humberto Carrão!”, gritou uma desconhecida ao seu lado, apontando para o homem de óculos redondos e casaco vermelho. Sato nem acreditou que finalmente havia encontrado o ator. Decidiu segui-lo até a lateral do palco onde os músicos começavam a tocar o pagode Tá Escrito, do Grupo Revelação.

Sato tentou cumprimentá-lo e pedir uma foto, mas desistiu: a agitação em volta de Carrão era intransponível. Antes de sair, ela se lembrou de um compromisso importante: abriu o grupo Alerta Humberto no WhatsApp e deixou seu recado. “ALERTA HUMBERTO”, escreveu, em maiúsculas. “Na feira da Glória. Tá aqui perto da roda, na frente das mesas. Ele tá fugindo de mim.” Àquela altura, para o delírio do público, os músicos adaptaram os versos de Tá Escrito, cantando Erga essa cabeça, mete o pé e vai na fé/Manda o Bolsonaro embora.

Uma das integrantes do grupo de WhatsApp por acaso estava no bairro da Glória quando Sato mandou seu alerta. Ela alterou os planos que tinha para a noite e foi à procura de Carrão na Gloriosa Roda de Samba. “Fiquei com vergonha de incomodá-lo, mas cheguei lá e pedi uma foto, e ele foi muito simpático”, diz a psicóloga de 26 anos, que não quer ser identificada. A fotografia foi comemorada pelas dez integrantes do grupo Alerta Humberto. A psicóloga conta que entrou no grupo só pela brincadeira, sem imaginar que conseguiria mesmo encontrar o ator. “Gosto do Humberto desde a época da Malhação”, diz ela.

 

O grupo de WhatsApp foi criado por duas amigas em 10 de agosto, quando a notícia de que o galã havia terminado um casamento de dez anos causou alvoroço entre os fãs.

Naquele dia, uma postagem sobre o assunto viralizou no Twitter: “Humberto Carrão solteiro. Amigas frequentadoras das rodas de samba do Centro do Rio, de blocos de Carnaval e de botecos, conto com vocês.” Daí veio a ideia de criar um grupo aberto que disparasse um alerta sempre que Carrão fosse flagrado em algum rolé da noite carioca. “Eu nunca o vi pessoalmente, mas adoro acompanhar o grupo, e ele realmente sempre está em um samba. Até nossos amigos costumam avisar quando o encontram, e aí repassamos no grupo também”, explica, rindo, uma das fundadoras do grupo, que não quis ter o nome revelado porque acha que pode se indispor com Carrão.

O primeiro Alerta Humberto soou numa terça-feira de agosto, quando o ator foi flagrado por uma das integrantes na Praça Tiradentes, no Centro do Rio. Em pouco mais de um mês de criação, o grupo já encontrou Carrão cinco vezes – todas elas muito festejadas. “É só pela farra, nada além disso”, explica outra integrante.

De tanto ser visto em rodas de samba, o ator boêmio virou meme. Figurinha carimbada nos lugares mais frequentados pelos notívagos, Carrão percorre um circuito cultural que se espalha pelo mapa do Rio: há uma profusão de imagens dele na Rua do Ouvidor, na Rua do Lavradio, na Pedra do Sal, na Praça Tiradentes, na Gloriosa Roda de Samba, no bar Bip Bip, no Bar Velho Adonis, no Bar do Omar, no Pagode da Garagem, no Armazém São Thiago, entre outros pontos de samba. Muitas vezes, ele aparece tocando um instrumento para acompanhar a folia.

Além do WhatsApp, o Twitter também é uma ferramenta para as perseguidoras de Carrão. Em 2018, uma fã precursora cantou a bola em um tuíte: “Alguém avisa pro Humberto Carrão que tô no samba, na Lapa, esperando por ele.” Foi só depois da separação, porém, que a corrida atrás do ator pegou fogo. Em agosto deste ano, uma mulher lamentava-se no Twitter: “Mais uma semana acabando e eu não peguei o Humberto Carrão em nenhum samba do RJ… Triste.” Ao que um amigo respondeu: “Hahaha, você foi nos lugares indicados? Vi que tinha o Bip Bip no meio.” Mas parece que naquela noite Carrão não estava no minúsculo bar em Copacabana frequentado por músicos. Segundo tuitou a mesma fã frustrada, ele fora fotografado na Feira das Yabás, em Madureira, evento idealizado pelo sambista Marquinhos de Oswaldo Cruz.

Em entrevista a uma coluna do portal UOL, em agosto passado, o ator explicou a fama. “Eu sou louco pelo Brasil e por essa cidade. Eu não poderia viver no Rio de Janeiro sem frequentar a rua, literalmente, e os bares”, disse. “É fácil me encontrar.” Cruzar com Humberto Carrão em uma roda de samba tornou-se uma experiência genuinamente carioca. E a brincadeira tem mais graça porque ele não se restringe à Zona Sul da cidade, onde é mais comum encontrar os famosos. Certa vez, uma influencer relatou tê-lo visto “tocando numa roda num buraco em Oswaldo Cruz”. Era o dia do Trem do Samba, uma das maiores festas de música popular do Rio.

 

Humberto Carrão tem 31 anos e começou a vida artística ainda criança, nos anos 2000. Participou de Malhação, Amor de Mãe e Sob Pressão, entre outras séries e novelas da Rede Globo, e atuou em filmes como Marighella e Aquarius. Em setembro passado, estreou na série Rota 66 – A Polícia que Mata, interpretando o jornalista Caco Barcellos. A partir deste mês, estará na novela Todas as Flores, da Globoplay. Por suas posições políticas incisivas, ganhou o título de “galã da esquerda”. No Festival de Cannes de 2016, foi um dos membros do elenco de Aquarius que levantou cartazes denunciando o impeachment da presidente Dilma Rousseff como um golpe.

Carrão não costuma compartilhar sua rotina e vida pessoal nas redes sociais – o que também acaba virando piada entre seus fãs. “Se não for pra militar e mostrar roda de samba, ele nem posta foto no Instagram”, tuitou um deles.

No último domingo de setembro, ele fez os dois: sambou e militou. O ator estava no comício do ex-presidente Lula, na quadra da Portela, uma das mais tradicionais escolas de samba do Rio. Com um boné do MST, foi filmado enquanto acompanhava o batuque para celebrar a campanha do petista.

A festa de aniversário de Carrão, no fim de agosto, foi – como esperado – uma roda de samba ao ar livre, na Rua do Ouvidor. Quando o Sol se pôs, os festeiros já tinham lotado a estreita via do Centro do Rio. Ao lado de sambistas da Mangueira, músicos e artistas, o ator passou a noite tocando repique de mão e entoando um repertório infindável de sambas. No fim, a música de parabéns foi cantada ao redor de um bolo vermelho e preto – as cores do Flamengo, time do qual é torcedor. As palmas foram acompanhadas pelo som da cuíca e dos tan-tans.

A piauí procurou Humberto Carrão, mas o ator não quis comentar a aura festiva que os fãs lhe atribuem. É um boêmio discreto.