esquina

Cabelos ao vento

Uma iraniana na Olimpíada do Rio

Mariana Filgueiras

Quando desembarcou em Manaus, vinda de Teerã, a engenheira de computação Fataneh Hassani sabia o de sempre a respeito do Brasil – floresta, frutas, samba, Pelé – e um pouco mais. É que, durante o longo percurso aéreo, se inteirou de algumas novidades: leu sobre o alto índice de mulheres violentadas no país e aprendeu a se proteger do zika vírus. Solteira, pôde viajar apenas depois que seus pais a autorizaram, embora já tenha 42 anos. Se estivesse casada, precisaria conseguir o aval do marido. O do chefe, obteve sem nenhum esforço. Mal tomou conhecimento de que a subordinada pretendia trabalhar na Olimpíada do Rio de Janeiro, ele prometeu estender suas férias caso fosse aceita. Ainda que não soubesse quase nada do Brasil, Hassani sabia muito de seu amor por esportes. Ela corre maratonas desde a adolescência.

Dois meses de férias pagas nos trópicos, com direito à maior celebração esportiva do mundo? Nem em sonho cogitara ganhar um presente desses. Só faltava rejeitarem sua inscrição… Não rejeitaram. A engenheira se tornou, assim, a única voluntária iraniana nos Jogos de 2016. Recebeu, primeiro, a tarefa de assistir fotógrafos da imprensa internacional nas arenas manauaras em que haveria competições. Mais para o final da Olimpíada, iria atuar na cidade-sede.

MATÉRIA FECHADA PARA ASSINANTES

Mariana Filgueiras

Mariana Filgueiras é jornalista.

Leia também

Últimas

Queridos, encolhi o país

Brasil piorou em PIB, renda per capita, indicadores de saúde e educação

Passou a boiada e agora chama a polícia

Bolsonaro desmonta sistema de fiscalização ambiental e, pressionado por Biden, diz que Força Nacional vai combater desmatamento

A cada 15 minutos, um Henry pede socorro

Serviços de saúde atendem por ano quase 33 mil crianças de até 9 anos com sinais de violência física, sexual ou psicológica; em cada quatro agressões, três acontecem dentro de casa

Temas recorrentes, tragédias perenes

A Última Floresta documenta, com olhar antropológico, aldeia na terra Yanomami

É praia, é piscina, é viagem oficial!

As equipes precursoras de Bolsonaro aumentam o número de dias das viagens e aproveitam para fazer turismo às custas do dinheiro público

Sem clima pra boiada

Conferência de chefes de Estado quer metas concretas de redução do desmatamento ilegal; estratégia bolsonarista atropela acordos com Biden

Mais textos